Reumatismo e COVID-19

  • +A
  • -A

O chamado reumatismo, na verdade, engloba mais de 200 doenças causadoras de inflamação em articulações, músculos, ligamentos e tendões. As mais conhecidas são a artrite reumatoide e a artrose, que causam dores principalmente nas articulações e nas cartilagens. Entretanto, várias dessas doenças reumatológicas podem acometer outros órgãos, como os rins e o coração.

Estima-se que no Brasil existam mais de 12 milhões de pacientes acometidos por algum tipo de doença reumatológica. A maioria delas atinge pessoas com idades superiores a 40 anos, principalmente, os mais idosos.

A pandemia de coronavírus (COVID-19) é uma questão de preocupação global. Sabemos que fatores como condição de fumar e doenças concomitantes, como hipertensão, diabetes mellitus e doenças cardiorrespiratórias, provavelmente aumentam a gravidade da COVID-19, especialmente complicações pulmonares.

Alguns pacientes diagnosticados com COVID-19 podem apresentar manifestações reumáticas, como dores articulares ou artrite, além de outras manifestações mais graves que podem ocorrer em algumas doenças reumáticas mais severas, como lúpus ou síndrome de Sjogren.

Uma vez que muitos tratamentos para doenças reumatológicas incluem, além de anti-inflamatórios e analgésicos, os corticoides ou outros medicamentos imunossupressores, a dúvida principal de muitos pacientes é como lidar com esses tratamentos crônicos:

– Devo ou não interromper o uso desses medicamentos?

– Será que eles reduzem a minha imunidade, aumentando o risco de adquirir a COVID-19?

As sociedades médicas nacionais e internacionais afirmam que pacientes com doenças reumáticas em terapia imunossupressora não devem interromper o uso de corticoides durante a infecção do novo coronvírus, embora devam ser utilizadas nas doses mínimas possíveis. Os chamados medicamentos modificadores da doença também devem ser mantidos.

Se tiver alguma dúvida quanto ao medicamento que você está usando, é muito importante conversar com seu médico antes de tomar qualquer decisão que envolva a interrupção ou a redução da dosagem do seu tratamento.

Várias sociedades internacionais de reumatologia, como American College of Rheumatology (ACR), Australian Rheumatology Association (ARA), British Society for Rheumatology (BSR) e European League Against Rheumatism (EULAR), fazem as seguintes recomendações para os pacientes durante o surto do novo coronavírus:

– Praticar higiene após espirros/tosse, lavar regularmente as mãos, evitar tocar o rosto, afastar-se de lugares lotados, manter o distanciamento social, evitar transportes públicos movimentados e cancelar viagens;

– o uso de máscaras é recomendado para pessoas com suspeita ou confirmação de infecção. Nesses casos, as máscaras N95, com ajuste adequado ao rosto, são aconselháveis;

– a interrupção abrupta da terapia com corticoides deve ser evitada, mesmo durante a infecção ativa;

– se os pacientes estiverem tomando medicamentos antirreumáticos modificadores da doença, incluindo biológicos, pequenas moléculas e outros agentes imunossupressores, práticas padrões podem ser seguidas para descontinuá-las, caso desenvolvam infecção;

– consultas presenciais rotineiras devem ser adiadas até o fim do surto. Tanto os pacientes quanto os profissionais de saúde devem considerar substituí-las por teleconsultas, se factível;

– os pacientes devem ser vacinados para gripe e pneumococos.

Como até agora não existem tratamentos com eficácia comprovada para a COVID-19 (ou até que se tenha uma vacina disponível) as recomendações para a prevenção das contaminações feitas pelo Ministério da Saúde do Brasil devem ser seguidas não só por todos os pacientes em tratamento de doenças reumatológicas, mas por todas as pessoas:

– Lave com frequência as mãos com água e sabão até a altura dos punhos ou higienize-as com álcool em gel 70%;

– ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com o braço e não com as mãos;

– evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas. Ao tocar, lave sempre as mãos, como já indicado;

– mantenha uma distância mínima de 2 metros de qualquer pessoa tossindo ou espirrando;

– evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote uma onda amigável sem contato físico, mas sempre com sorriso no rosto;

– higienize com frequência o celular e brinquedos das crianças;

– não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos;

– evite aglomerações e mantenha os ambientes limpos e bem ventilados;

– se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente, idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar;

– durma bem, tenha uma alimentação saudável e faça atividades físicas.

Referências:

  1. Recomendações do Ministério da Saúde. https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#o-que-e-covidacessado em 14 abril 2020.
  2. Misra, D.P., Agarwal, V., Gasparyan, A.Y. et al. Rheumatologists’ perspective on coronavirus disease 19 (COVID-19) and potential therapeutic targets. Clin Rheumatol (2020). https://doi.org/10.1007/s10067-020-05073-9
  3. EULAR guidance for patients during Covid-19 outbreak. https://www.eular.org/eular_guidance_for_patients_covid19_outbreak. cfm. Updated 17 March 2020. Accessed on 19 Mar 2020
  4. BSR guidance for patients during Covid-19 outbreak. https://www.rheumatology.org.uk/News-Policy/Details/Covid19-Coronavirus-Clin Rheumatol update-members. Updated 25 March 2020. Accessed on 29 Mar 2020
  5. ACR guidance for patients during Covid-19 outbreak. https://www.rheumatology.org/announcements. Updated 28 March 2020. Accessed on 29 Mar 2020
  6. Australian Rheumatology Association guidance for patients during Covid-19 outbreak. https://arthritisaustralia.com.au/adviceregarding-coronavirus-covid-19-from-the-australianrheumatology-association/. Updated 17 March 2020. Accessed on 19 Mar 2020
COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Mauro Luís de Mello Ferreira

Dr. Mauro Luís de Mello Ferreira

Geriatria

CRM: 34107 / SP

TAGS
coronavirus
covid-19
reumatismo

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

5 comentários para "Reumatismo e COVID-19"

VERONICA M SILVA

Meus adradecimentos a Equipe, especialmente a Dr. Mauro Luís, pelas orientações e dicas. Tenho artose, artrite e osteoporose c mais de 60a.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Verônica. Ficamos muito felizes em saber que gostou da matéria. Temos aqui uma sugestão de leitura, https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/doencas-dos-ossos/osteoartrite-exercicios-joelho-casa. Espero que goste. Continue conosco para mais dicas. Abraços!

Cleide Lalucci Braga

A matéria acima veio esclarecer os sintomas que meu marido está tendo após contrair o Covid-19. Dores articulares e inchaço nas articulações. Está difícil aceitar que é consequência do Covid mas td indica que é. Obrigada pelas orientações.

fernanda victor

Tenho 36 anos. Fiz tratamento dos 11 aos 21 para febre reumática (reumatismo no sangue). Não tenho problemas relacionados à doença desde então (em remissão), mas gostaria de saber se há, até o momento, alguma evidência de que pessoas com reumatismo desse tipo, que não necessitam mais de tratamento, tem algum risco adicional se contraírem covid.

Gisela

Bom dia,Está no 22 dias de covid.Tive todos os sintomas possíveis e imagináveis. Acredito que pq tenho a imunidade muito baixa, desde a infância. Agora no pós covid, sinto MUITA DOR nos tendões, músculos…. meus dedos das mãos, punho e antebraço doem muitíssimo, deixando meus dedos dormentes. Os tendões das pernas (tendão de Aquiles) dói muito mesmo. Os pés tb. Sem nenhum exagero, agora melhorou, mas nas duas semanas iniciais, meu NARIZ estava intocável de tanta dor, muito inchado e queimava. Aliás, toda minha pele queimou. Principalmente rosto e os dedos dos pés. Queimava, estava absurdamente inchado, ardia e ficava, agora que esses sintomas melhoraram e a pele está descamando. Realmente tive todos os sintomas.Mas agora, são as dores que incomodam. Não são só tendões e músculos, pode parecer exagero, mas parece até que; onde quer que tenha cartilagem e ligamentos ou tendões , dói bastante. Já tive sete pneumonia, no decorrer da vida, tive chicurrunha e todas essas doenças virais como, sarampo, catapora, rubéola, cachumba etc…. mas sem nenhuma duvida, em NENHUMA destas que citei, fiquei tão debilitada.Sem conseguir me levantar, pelas dores e por falta de forças nas pernas tb.Tomara Deus, que eu não fique com essa dor terrível nos braços, punhos e dedos das mãos. Pois nem escrever eu consigo e digitar este texto, demorou mais de 40 minutos. Pois tive que parar várias vezes, para amenizar a dor.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.