Quais doenças podem ser um fator de risco para o desenvolvimento da osteoporose?

  • +A
  • -A

A osteoporose aparece com mais frequência em pessoas idosas, pois o processo natural de envelhecimento é um dos principais fatores para a perda de massa óssea e fragilização dos ossos. Contudo, a osteoporose também pode ser causada pela manifestação de outras doenças que se façam presentes no organismo do paciente. Esta versão de osteoporose é chamada de secundária. 

Principais doenças e disfunções que facilitam o desenvolvimento da osteoporose


“Diversas doenças e disfunções no organismo em geral podem funcionar como
fatores de risco para a osteoporose. A deficiência estrogênica é um exemplo, assim como a deficiência de cálcio e vitamina D. Também posso citar o hiperparatireoidismo, hipertireoidismo, doenças inflamatórias/neoplasias e deficiência de GH, por exemplo”, informa o geriatra Ricardo Komatsu.

Associam-se à osteoporose ainda problemas como diabetes, insuficiência renal crônica, uso de corticóides, doenças da medula óssea e doenças reumáticas. Hábitos ruins de vida como tabagismo, alcoolismo, sedentarismo, alimentação ruim (pouco nutritiva) e até mesmo o uso de certas drogas também podem facilitar o desenvolvimento da osteoporose.   

Segundo o especialista, todas essas doenças facilitam a manifestação da osteoporose porque estimulam o aumento da reabsorção óssea e a diminuição da formação óssea. Portanto, é fundamental sempre tratar adequadamente e o quanto antes toda e qualquer doença que venha a aparecer, não apenas pelos sintomas do quadro inicialmente principal, mas pelas complicações que podem ocorrer como consequência – o que inclui a osteoporose. 

Tratamento medicamentoso é essencial para controlar a osteoporose


Tanto o tratamento quanto a prevenção contra osteoporose dependem de evitar todos os fatores de risco já mencionados, mas não apenas disso.
O tratamento medicamentoso também é crucial para controlar os sintomas e a progressão da perda de massa óssea. “O tratamento pode envolver medidas como terapia de reposição hormonal, moduladores seletivos do receptor de estrogênio, calcitonina, fármacos formadores de massa óssea”, dentre outros”, informa o médico.

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Ricardo Komatsu

Dr. Ricardo Komatsu

Geriatria

CRM: 56604 / SP

TAGS
diabetes
ossos
osteoporose

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Quais doenças podem ser um fator de risco para o desenvolvimento da osteoporose?"

Rosana

Qual a diferença entre osteoporose e osteopenia? Também são causadas pelos mesmos problemas citados na matéria? Tenho osteopenia e trato com cálcio e ostentam.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Rosana. Segundo o geriatra José Eduardo Martinelli: “A osteopenia é uma diminuição da massa óssea que ainda não atingiu valores para ser classificada como osteoporose. É uma osteoporose em grau mais leve. Se não for devidamente tratada, a osteopenia tende a se tornar uma osteoporose com o tempo”. Lembrando que, é fundamental manter o acompanhamento com um médico especialista. Segue matéria com mais informações que podem auxiliar em sua dúvida: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/doencas-dos-ossos/qual-e-a-diferenca-entre-a-osteopenia-e-a-osteoporose Abraços!

Meire Cordeiro Soccol

Tem como realizar exame(s) para certificar o nível do estrogênio no meu organismo?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Meire. A principal queda na produção do hormônio, vem depois da menopausa. Alterações persistentes nos ciclos menstruais costumam ser o primeiro sintoma de mudanças da função ovariana. O acompanhamento médico é o principal caminho para facilitar o diagnóstico precoce, assim o especialista poderá solicitar os exames necessários. Confira o link abaixo, onde o Dr. irá falar sobre a relação do estrogênio com a calcificação dos ossos. Até a próxima.
https://cuidadospelavida.com.br/meu-corpo/ossos/hormonios-qual-relacao-estrogenio-calcificacao-ossos

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.