Osteoporose: Existem variações da doença? Quais são?

  • +A
  • -A

A osteoporose é caracterizada por uma gradativa redução da densidade mineral do tecido ósseo, provocando uma fragilização dos ossos e, frequentemente, causando fraturas. A doença pode ser alocada em dois grupos com causas distintas: osteoporose primária e secundária. Quais as diferenças entre elas? Descubra!

“A osteoporose primária se refere à maioria dos casos e está relacionada mais diretamente aos processos de envelhecimento (chamada de senil ou tipo II). Nela, está também a osteoporose pós-menopausa (classificada como tipo I). Já o tipo secundário é um conjunto amplo que engloba causas metabólicas e também aquelas relacionadas a fatores de risco, como o tabagismo”, explica o geriatra Leonardo Minozzo.

Estima-se que pelo menos 30% das pessoas têm osteoporose em função de alguma doença. Entre as principais causas de osteoporose secundária estão as doenças renais crônicas, doenças hepáticas, distúrbios da tireoide, artrite reumatoide e doenças inflamatórias intestinais crônicas. 

Existe diferença no tratamento entre a osteoporose primária e secundária?


De acordo com o médico, o tratamento da maior parte dos casos é feito de forma ampla para ambos os tipos de osteoporose, incluindo uma alimentação com níveis adequados de cálcio e vitamina D,
exercícios físicos para desenvolver resistência e força e uso de medicamentos. 

No entanto, o tratamento pode variar a partir dos fatores relacionados à causa da doença que provocou a osteoporose secundária e também conforme o sexo do paciente. “Outro aspecto que pode modificar o tratamento é a resposta às medicações e o grau de diminuição de densidade óssea. Há, atualmente, medicações injetáveis com potencial de aumentar a densidade óssea. As indicações, no entanto, precisam ser bem analisadas”, completa o especialista.

É possível prevenir o desenvolvimento da doença?


Evitar alguns hábitos e fatores capazes de desencadear a osteoporose são formas de prevenir o problema. “O
tabagismo, a desnutrição em suas diversas formas, o uso de medicamentos como corticoides e anticonvulsivantes por longo período, a insuficiência renal e doenças ligadas aos hormônios, como o hipotireoidismo, são considerados fatores de risco”, cita Dr. Minozzo.

Além disso, há outras formas de prevenção, como ter uma dieta rica em nutrientes essenciais para a saúde dos ossos (cálcio e vitamina D), praticar atividades físicas de baixo impacto, como natação, caminhada e pilates, e se consultar frequentemente com um especialista, realizando exames preventivos, como a densitometria óssea.

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Leandro Minozzo

Dr. Leandro Minozzo

Geriatria

CRM: 32053 / RS

TAGS
ossos
osteoporose

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Osteoporose: Existem variações da doença? Quais são?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.