Após a menopausa, Regina Célia enfrenta a perda de massa óssea com medicamentos


  • +A
  • -A

A osteoporose é uma doença que surge, normalmente, a partir dos 40 ou 50 anos, é mais comum em mulheres e é causada por alterações metabólicas que aumentam a perda de cálcio nos ossos, deixando-os porosos e frágeis. O problema atinge 10 milhões de brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. No mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que até 18% das mulheres e 6% dos homens sofrem com o enfraquecimento dos ossos. Uma vez que a doença está instalada, ela requer tratamento, especialmente para evitar as fraturas, que podem causar imobilização e até mesmo levar à morte.

Corpo em transformação

 

A engenheira Regina Célia Tavares de Oliveira, de 54 anos, moradora do Rio de Janeiro, descobriu que estava com osteopenia, um estágio de perda de massa óssea que precede a osteoporose, durante uma consulta médica. “Trabalho e tenho atividade física constante, mas há 2 anos entrei na menopausa e senti muito as transformações no corpo”, explica Regina. “Um dos sintomas foi exatamente a perda de massa óssea e, por isso, meu médico optou por mudar o medicamento”.

A menopausa é um período de grandes transformações no corpo da mulher e um dos principais fatores de risco da osteoporose. Nessa fase da vida, a quantidade de estrogênio, hormônio ligado à reposição de cálcio nos ossos, diminui vertiginosamente, facilitando o desenvolvimento da osteoporose. “A osteoporose é mais frequente em mulheres por causa do efeito protetor que os estrógenos têm na massa óssea, que é perdido depois da menopausa. Na osteoporose, a densidade dos ossos está bastante reduzida”, explica a ginecologista Dra. Ana Marta Monteiro de Souza.

Regina informa que o tratamento ainda está em seus estágios iniciais, mas que não teve reações adversas e que em maio de 2017 vai realizar um novo exame para averiguar os resultados.

Como prevenir a osteoporose?

 

Além do uso de medicamentos, a adoção de hábitos saudáveis ao longo de toda a vida ajuda a impedir o surgimento da osteoporose. Entre eles está a prática regular de atividade física, como faz Regina. Além disso, o consumo de doses diárias adequadas de cálcio e vitamina D por meio da alimentação durante toda a vida e a exposição segura à luz solar também são recomendados pelos médicos especialistas.

Caso você seja diagnosticado com a doença, é importante seguir o tratamento prescrito à risca. A osteoporose é uma doença silenciosa, ou seja, não costuma apresentar sintomas, mas pode causar fraturas de difícil cicatrização que podem ser letais, especialmente em pacientes mais velhos.

 

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Ana Marta Monteiro de Souza

Dra. Ana Marta Monteiro de Souza

Ginecologia e Obstetrícia

CRM: 69273 / SP

TAGS
ossos
osteoporose
superacao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

2 comentários para "Após a menopausa, Regina Célia enfrenta a perda de massa óssea com medicamentos"

Cláudia Fontes

Tenho 47 anos ainda não cheguei nessa fase ainda da menopausa. Mais já estou me adiantando sobre o assunto. De como são os sintomas o que tomar para amenizar sobre isso. Gostaria de ter mais informações sobre isso..

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Cláudia, temos em nosso site matérias que tratam sobre o assunto. Segue o link de uma delas: https://cuidadospelavida.com.br/cuidados-e-bem-estar/terceira-idade/o-que-acontece-corpo-mulher-menopausa

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.