Após a menopausa, Regina Célia enfrenta a perda de massa óssea com medicamentos


  • +A
  • -A

A osteoporose é uma doença que surge, normalmente, a partir dos 40 ou 50 anos, é mais comum em mulheres e é causada por alterações metabólicas que aumentam a perda de cálcio nos ossos, deixando-os porosos e frágeis. O problema atinge 10 milhões de brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. No mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que até 18% das mulheres e 6% dos homens sofrem com o enfraquecimento dos ossos. Uma vez que a doença está instalada, ela requer tratamento, especialmente para evitar as fraturas, que podem causar imobilização e até mesmo levar à morte.

Corpo em transformação

 

A engenheira Regina Célia Tavares de Oliveira, de 54 anos, moradora do Rio de Janeiro, descobriu que estava com osteopenia, um estágio de perda de massa óssea que precede a osteoporose, durante uma consulta médica. “Trabalho e tenho atividade física constante, mas há 2 anos entrei na menopausa e senti muito as transformações no corpo”, explica Regina. “Um dos sintomas foi exatamente a perda de massa óssea e, por isso, meu médico optou por mudar o medicamento”.

A menopausa é um período de grandes transformações no corpo da mulher e um dos principais fatores de risco da osteoporose. Nessa fase da vida, a quantidade de estrogênio, hormônio ligado à reposição de cálcio nos ossos, diminui vertiginosamente, facilitando o desenvolvimento da osteoporose. “A osteoporose é mais frequente em mulheres por causa do efeito protetor que os estrógenos têm na massa óssea, que é perdido depois da menopausa. Na osteoporose, a densidade dos ossos está bastante reduzida”, explica a ginecologista Dra. Ana Marta Monteiro de Souza.

Regina informa que o tratamento ainda está em seus estágios iniciais, mas que não teve reações adversas e que em maio de 2017 vai realizar um novo exame para averiguar os resultados.

Como prevenir a osteoporose?

 

Além do uso de medicamentos, a adoção de hábitos saudáveis ao longo de toda a vida ajuda a impedir o surgimento da osteoporose. Entre eles está a prática regular de atividade física, como faz Regina. Além disso, o consumo de doses diárias adequadas de cálcio e vitamina D por meio da alimentação durante toda a vida e a exposição segura à luz solar também são recomendados pelos médicos especialistas.

Caso você seja diagnosticado com a doença, é importante seguir o tratamento prescrito à risca. A osteoporose é uma doença silenciosa, ou seja, não costuma apresentar sintomas, mas pode causar fraturas de difícil cicatrização que podem ser letais, especialmente em pacientes mais velhos.

Dra. Ana Marta Monteiro de Souza é ginecologista e obstetra, formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e atua em São Paulo. CRM-SP: 69273

 

TAGS
ossos
osteoporose
superacao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

2 comentários para "Após a menopausa, Regina Célia enfrenta a perda de massa óssea com medicamentos"

Cláudia Fontes

Tenho 47 anos ainda não cheguei nessa fase ainda da menopausa. Mais já estou me adiantando sobre o assunto. De como são os sintomas o que tomar para amenizar sobre isso. Gostaria de ter mais informações sobre isso..

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Cláudia, temos em nosso site matérias que tratam sobre o assunto. Segue o link de uma delas: https://cuidadospelavida.com.br/cuidados-e-bem-estar/terceira-idade/o-que-acontece-corpo-mulher-menopausa

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.