Meu filho repetiu de ano: como evitar que a criança entre em depressão?


  • +A
  • -A

Repetir de ano normalmente é um trauma para todo jovem estudante, principalmente no caso das crianças, por conta da falta de maturidade em lidar com situações adversas. O problema pode se tornar ainda maior quando o ocorrido tem um impacto acima do normal, fazendo com que os pequenos entrem em depressão.

Perda de autoestima e autoconfiança com reprovação ajuda a explicar depressão


De acordo com o psiquiatra Miguel Angelo Boarati, não é possível utilizar apenas uma forma para avaliar a dificuldade escolar ou para se prevenir a depressão pós-reprovação. Tudo depende dos motivos que estejam envolvidos. “A reação emocional dependerá de vários fatores, principalmente o motivo que levou à reprovação”, afirma.

O especialista explica que a reprovação pode afetar a autoestima e autoconfiança, principalmente quando ela já está abalada, o que pode desencadear um quadro de depressão. “Porém, em alguns casos, o efeito pode ser positivo, com ganho de consequência quanto ao baixo empenho e à importância de se dedicar aos estudos. Não é possível definir um só padrão. Dependerá de cada caso”.

Prevenção é a melhor forma de evitar que crianças entrem em depressão por reprovação


Segundo o médico, é importante que pais e professores estejam atentos durante o ano escolar para entender o motivo do rendimento ruim, pois às vezes a criança possui dificuldades de atenção, falhas nos conteúdos pedagógicos ou já está com algum problema emocional. “
Neste caso, a criança deve ser avaliada a tempo para que o problema seja sanado. Pequenos ajustes podem ser úteis, como modificação no processo de avaliação ou tratamento específico com suporte escolar ou medicação”.

Trabalhar preventivamente, de acordo com o Dr. Miguel, é a melhor forma de impedir que complicações ocorram com uma criança em função de uma reprovação escolar. O mesmo vale para evitar que ela venha a repetir de ano. “Ao perceber que a criança não vai bem, deve-se procurar um especialista (psiquiatra infantil, psicopedagogo ou psicólogo) para que se possa detectar a razão dos sintomas depressivos e/ou do desempenho acadêmico insatisfatório”.  

Dr. Miguel Angelo Boarati é psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e atende em São Paulo. CRM-SP: 85105

Foto: Shutterstock

TAGS
depressao
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Meu filho repetiu de ano: como evitar que a criança entre em depressão?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.