Pensamentos suicidas: você não está sozinho, é preciso procurar ajuda!

  • +A
  • -A

Em quadros de depressão é muito comum que ocorram nos pacientes pensamentos suicidas, especialmente se o transtorno estiver em grau já mais avançado. O apoio da família e dos amigos mais próximos é fundamental para que você não venha a concretizar esses pensamentos, assim como o tratamento realizado por um médico especialista. De acordo com o Sistema de Informações sobre Mortalidade, vinculado ao Ministério da Saúde, foram registradas 107.374 mortes por suicídio entre 2007 e 2016. Para saber mais sobre como ajudar pacientes depressivos nesta situação, conversamos com a psiquiatra Erika Mendonça de Morais.

Pensamentos suicidas: quais são os fatores de risco? Como ajudar?

É infelizmente comum que familiares sejam pegos de surpresa quando algum ente querido comete suicídio, já que as pessoas lidam de forma diferente com a depressão e muitos conseguem mascarar a angústia causada pela doença. No entanto, existem alguns fatores de risco que, se identificados, devem levar a um grau maior de atenção. Histórico de suicídio na família, identificação ou conexão com pessoas que cometeram suicídio, além, é claro, de tentativas anteriores de suicídio, são alguns dos que mais se destacam.

Um elemento importante é a empatia por quem está passando por essa situação complicada e angustiante, já que pensamentos suicidas não denotam fraqueza e são relativamente comuns. “Quando você passa a ter pensamentos de morte ou ideação suicida é importante saber, de início, que isso não é algo raro. Muitas pessoas no mundo passam por isso, então não tem motivo para se sentir diminuído. Além disso, existem tratamentos eficazes na prevenção e redução do risco de suicídio”, informa a psiquiatra Erika Mendonça.

Segundo a especialista, as pessoas da sua família, especialmente, podem te ajudar a acreditar na sua própria melhora e que é possível se livrar do desespero e da falta de esperança que te instigam a pensar na possibilidade de tirar a própria vida. médico também assume esse papel de incentivador. Com seu embasamento científico, poderá te estimular ainda mais a aderir ao tratamento da doença.

Pensamentos suicidas devem ser sempre levados a sério; paciente não quer chamar atenção


“Na maioria das vezes o tratamento consegue fazer a ideação suicida desaparecer. Para que isso ocorra, é fundamental a adesão ao tratamento, isto é, uso adequado das medicações e frequência às consultas de psicoterapia. Também
é fundamental que os familiares e amigos te motivem a buscar ajuda, sejam bons ouvintes e não desvalorizem seus sentimentos”.

A psiquiatra explica que deve-se sempre valorizar quando uma pessoa diz que tem pensamentos suicidas e não considerar que é algo “para chamar a atenção”, como muitos fazem. “A maioria das pessoas que cometeram suicídio comentaram com alguém o que pensavam. Então, a ideia de ‘quem quer não fala’, não é verdadeira. Se você possui um familiar com tendências suicidas, procure incentivá-lo a buscar ajuda profissional e acompanhá-lo sempre que possível”.

Foto: Shutterstock

Dados do Ministério da Saúde:  http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/44404-novos-dados-reforcam-a-importancia-da-prevencao-do-suicidio

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Érika Mendonça de Morais

Dra. Érika Mendonça de Morais

Psiquiatria

CRM: 124933 / SP

TAGS
depressao
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

9 comentários para "Pensamentos suicidas: você não está sozinho, é preciso procurar ajuda!"

Cristiane

As pessoas nunca acreditam, e ainda zombam achando frescura .

Altair

Minha mãe idosa não me compreende, porque ela tem vontade de viver. Meu filho autista, se queixa das minhas fraquezas. Minha filha é a única que me compreende mas, é uma jovem, e está cansada de estar sozinha com tudo isto. Meus familiares me criticam. Os que me conhecem não compreendem. Não tenho amigos. Os de minha igreja se afastaram de mim. Viver é uma carga muito pesada. Dormir, é uma forma de (de alguma maneira) “estar morta” e não ter que passar por coisas que não suporto. O silêncio da noite me acalma, então não durmo de noite…

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Altair, muitas pessoas no mundo passam por isso, então não tem motivo para se sentir diminuído. Aproveite que sua filha lhe apoia, e peça para que ela te acompanhe em uma consulta com o médico psiquiatra. Ele poderá te ajudar a encontrar um caminho para que você volte a ter uma qualidade de vida. Abraços.

Alicia Rondini

Na minha familia tanto pelo lado materno como paterno tem mas de 10 suicidas.Aos 40 anos pensei mto nisso.mas a Seicho No Ie e medicação do Dr. ALCEU ARAUJOforan minha salvação.6 meses atrás comecei fazer yoga e passei a me sentir tão bem q larguei a medicação. Mas bastaram uns poucos problemas familiares e vi q não da.Hj com tristeza voltei a medicação.gostaria saber como posso adquirir Venlafaxina com desconto pois pesa muito no meu orçamento. Tenho 73 anos.Trabalho.e muito mas adoro minha profissao.Sou professora.obrigada pela atencao

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Alicia, o Programa Cuidados pela Vida é um Programa que atende pacientes que utilizam medicamentos do laboratório Aché. O medicamento cloridrato de venlafaxina não participa do Programa Cuidados pela Vida. Os produtos participantes estão disponíveis no site, aba Produtos Participantes. Abraços.

Carulina Maria Resende Rocha

Suicidar é a unica coisa que passa na minha cabeça durante um tempo.. e agora principalmente

Julia

Às vezes me parece tão idiota os motivos, mas, eu tenho muitos pensamentos suicida. Parece que só assim tudo vai acabar.

Alex

Bom de algum jeito não consigo me ver no futuro fazendo absolutamente nada, para eu não faz mas sentido algum de eu ir para ah escola to meio que cansado de escutar todos sempre falando sempre da mesmas coisas mas o que eu mas escuto são os problemas dos outros isso me deixa completamente irritado e cansado ao mesmo tempo sempre e ah mesma coisa eu só quero sumir só isso.Desculpe por escrever assim desse jeito tudo desajeitado afinal esses são meus pensamentos 🙁

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Carulina, Julia e Alex, não desistam, procurem o auxílio do médico especialista, assim poderão iniciar um tratamento. Tentem também praticar hobbies e atividades que te façam sentir bem. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.