Paulistana se reaproxima da família ao controlar ansiedade e depressão


  • +A
  • -A

A depressão e o transtorno de ansiedade, apesar de serem duas doenças mentais diferentes, com sintomas e formas de tratamento distintos, podem estar presentes ao mesmo tempo em um mesmo paciente. Nestes quadros, um distúrbio pode provocar ou facilitar o desenvolvimento do outro. Casos assim, chamados de comorbidades, são graves, mas, infelizmente, bastante comuns.

 

Falta de vontade e motivação são comuns em quadros depressivos

 


Há 12 anos, Ana Maria de A. descobriu que tinha as duas doenças em uma consulta com seu médico. “Atrapalhava demais. Tinha uma
falta de interesse nas coisas, pelas relações sociais. Ficava meio estática e isso me causou um certo isolamento da família e dos amigos”, lembra a aposentada, hoje com 63 anos, citando as características da depressão.

Já no transtorno de ansiedade, o paciente apresenta ansiedade em níveis extremos, sem que haja a influência de fatores estressantes. “É caracterizada por uma sensação difusa e desagradável de apreensão que pode ser acompanhada por sintomas físicos, como dor de cabeça, aumento do suor, aperto no peito e mal-estar gástrico”, afirma a psiquiatra Cláudia Chaves.

 

Depressão e transtorno de ansiedade têm sintomas em comum

 


Além desses sintomas, a depressão e a ansiedade também têm características semelhantes, como a dificuldade de concentração, sensação exagerada de medo e
irritação. Para as duas doenças, mudanças no estilo de vida são benéficas. Praticar atividades físicas e técnicas de relaxamento, se alimentar bem, conviver com a família e eliminar o consumo de álcool, cigarro e de outras drogas faz parte do tratamento.

O uso de medicações, seja de antidepressivos ou de outras classes de medicamentos, também foi importante para o sucesso do tratamento de Ana Maria, que iniciou uma nova abordagem há cerca de cinco meses. “As doenças me prejudicaram no trabalho, mas hoje estão estabilizadas e levo a vida normalmente. Não sinto mais nada”, diz a moradora de São Paulo. Mais próxima de sua família, a aposentada voltou a ter uma boa qualidade de vida graças ao tratamento.

 

Dra. Claudia Chaves Dallelucci é psiquiatra, formada em Medicina pela Universidade de Mogi das Cruzes e atua no Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes da UNIFESP (PROAD). CRM-SP: 151077

 

Foto: Shutterstock

TAGS
ansiedade
depressao
psicologico
superacao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Paulistana se reaproxima da família ao controlar ansiedade e depressão"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.