Depois de anos sem resposta, gaúcha descobre quadro de fibromialgia e consegue controlar depressão

  • +A
  • -A

Por ainda ser pouco conhecida e por causa de seu quadro complexo, a fibromialgia é uma doença que pode levar muitos anos para ser diagnosticada. “É caracterizada por um conjunto de sintomas, cujos principais são dores intensas e generalizadas pelo corpo e alterações no sono”, afirma a reumatologista Angélica de Carvalho.

 

Depressão e ansiedade são comuns em pacientes com fibromialgia

 

O caso de Selmira, de 81 anos, representa muitos outros brasileiros que ainda hoje lutam para descobrir a razão por trás de suas dores. “Fui em vários médicos, mas nenhum deles encontrou uma resposta para o meu problema. Fiz vários tratamentos, só que nada adiantou”, conta a moradora de Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul.

Além de conviver com a dor por boa parte de sua vida, a aposentada ainda batalha para manter seu quadro de diabetes controlado. Para piorar sua situação, Selmira também teve depressão, o que é bastante comum nos casos de fibromialgia. A doença, no entanto, foi desencadeada por uma morte na família. Sentia tristeza profunda e desânimo, mas sempre recebia ajuda de parentes próximos.

 

Fibromialgia é tratada com analgésicos, antidepressivos e anticonvulsivantes

 

Foi somente há quatro anos que o médico procurado pela gaúcha descobriu que era a fibromialgia que causava seus sintomas. Logo iniciou o tratamento com medicações prescritas pelo profissional. No entanto, depois de quatro anos, a aposentada e sua filha deixaram de ver melhoras significativas e procuraram novamente o médico.

Com o novo tratamento, as dores de Selmira diminuíram consideravelmente. “Está melhorando. Hoje, sinto menos dor, dói só em algumas partes do corpo e faço massagem quando a dor fica mais intensa”, conta a idosa. A depressão também melhorou, embora a aposentada prefira evitar ficar muito tempo sem companhia com receio da piora da doença.

 

Dra. Angélica de Carvalho é reumatologista, formada em Medicina pela Universidade Federal da Paraíba e com residência médica em Reumatologia pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. CRM-SP: 107623

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Angélica de Carvalho

Dra. Angélica de Carvalho

Reumatologia

CRM: 107623 / SP

TAGS
depressao
dores-no-corpo
psicologico
superacao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

1 comentário para "Depois de anos sem resposta, gaúcha descobre quadro de fibromialgia e consegue controlar depressão"

também tenho fibromilgia e sofro muito com fortes dores no corpo. E agora descobri artrose na coluna cervical.

A melhora vem com exercicio fisicos, caminhada e pilates.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.