Pacientes com dor crônica são mais propensos a um quadro de depressão?


  • +A
  • -A

Problemas crônicos que cursam com dor se associam bastante à depressão, de modo que tanto eles podem contribuir para desencadear o transtorno mental, quanto este pode resultar em dores crônicas. Cientificamente, ainda não se sabe ao certo a razão para que isso aconteça. A influência comportamental é apontada como crucial para se entender o processo.  

“De acordo com estudos e mesmo a prática médica diária, dor e depressão estão diretamente relacionadas. Ainda não se tem uma explicação conclusiva sobre qual a relação, mas os estudos apontam que pacientes deprimidos sentem mais dor (de 30 a 100%) e pacientes com dor ficam mais deprimidos, variando de 22 a 78%”, informa a psiquiatra Júlia Trindade.  

 

Fatores que explicam associação entre depressão e dor crônica

 

A questão comportamental ajuda a entender a relação entre dor crônica e depressão pelo seguinte: a dor gera imobilidade, que resulta em fraqueza muscular, tensão nervosa e diminuição da atividade funcional. A falta de estímulo corporal e mental facilita a depressão, já que ocorre a supressão de hormônios ligados ao prazer, fundamentais para o bem estar.  

“A diminuição da atividade funcional também pode resultar em outros problemas, como dificuldade financeira, o que tende a gerar diminuição da autoestima, isolamento e, por fim, depressão. Não é à toa que os transtornos depressivos são, após a insônia, a segunda anormalidade mais freqüentes em pacientes com dor”, completa Júlia.

 

Tratamento de depressão associada à dor crônica

 

A maioria dos pacientes com dor crônica passa por diversos especialistas sem resultado,  chegando a acreditar que seu caso não tem solução. O médico deve estar preparado para ouvir as queixas, as dores e estar interessado na relação da dor com o humor do paciente. “Se colocar no lugar do paciente é algo que funciona sempre. O tratamento deve englobar estímulo à atividade física, fisioterapia, reabilitação funcional, acompanhamento psicoterápico, psicoeducação e medicamentos antidepressivos com poder analgésico”, conclui a psiquiatra.

 

Dra. Júlia Pinto Trindade é psiquiatra formada em medicina pela Universidade Federal de Pelotas/RS, com residência em psiquiatria pela Universidade Federal de Santa Maria/RS. CRM: 24363

 

Foto: Shutterstock

TAGS
depressao
dores-no-corpo
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

10 comentários para "Pacientes com dor crônica são mais propensos a um quadro de depressão?"

Claudia

Olá sou a Claudia tenho 53 anos faz muito tempo que sofro com dores crônicas,tomo antidepressivos medicamentos para pressão arterial e sem falar nos analgésicos e inflamatórios.Estou esperando um RM pelo sistema único de saúde já faz anos que lido com isso,ultimamente tenho pensado em suicídio mas luto contra esse desfecho porque acima de tudo amo a vida e a Deus.mas está muito difícil de suportar e ouvir a senhora tem que esperar.obrigada pela atenção um abraço.

Afonsini

Infelizmente tem medicos que nao estao nem aiEu tô com 71 anos sofrendo de Depressão e até hoje só uma medica se interessou por mim e me tratou. Ela foi um anjo na minha vida.Meu filho de 42 anos nao teve a mesma felicidade de encontrar um médico ou medica assim.É a medica que me ajudou era do pato da prefeitura de Gravata de Navegantes SC.Meu filho cansou de ir a médicos só diziam que era estress e acabou morrendo.Será que eles nao conheciam os sintomas do ESTRESSE PÓS TRAUMATICO?Foi o que ele sofreu e veio a falecer.Ainda bem que existe medicas ou medicos que tem empatia pelos pacientes.Que realmente ajudam por amor nao só pelo lado financeiro.

CUIDADOS PELA VIDA

Afonsini, sentimos muito pela perda do seu filho. Forte abraço.

Ester

Eu me chamo Ester tenho depressão tratava no convênio da empresa que trabalhava,hoje tou sem tratamento as vezes eu quero me isolar as vezes me dá vontade de sumir choro muito e sinto uma trstesa que não sei de onde vem .

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Ester, a rede pública de saúde dispõe de bons profissionais e inclusive de terapia Ester acho válido você procurar ajuda, não sofra sozinha, procure ajuda, a depressão tem tratamento, aqui mesmo temos relatos de pessoas que se curaram e hoje estão muito bem, nós aqui estamos na torcida por você. Grande abraço.

cilamar

Olá, sou a cilamar, tenho 50 anos, já me trato há 3 anos de transtorno de ansiedade generalizada, sindrome do pânico pós traumático,depressão, stress e dores crônicas por todo corpo. Me acompanham psicólogo, psiquiatra, reumatologista, fisiatra e o cardiologista, pois minha pressão sobe por ansiedade e tomo medicação para pressão. Fui diagnosticada também com fibromialgia, pois as dores são dia e noite, mesmo com medicação de uso contínuo para tudo isso tenho limites para fazer qualquer tipo de atividade, inclusive lavar uma louça. Digo que não é fácil, ainda tenho muitos sintomas, mas os médicos me ajudam muito, oque mais me atrasa no tratamento são as pericias do inss, pois cada vez que negam não consigo comprar a medicação de forma adequada pois é muito caro e isso prejudica meu tratamento, fico dependendo de amostras, oque mais entristesse é saber que além de todo sofrimento tenho que passar por pericias que nem sempre são aprovadas me deixando depressiva e deprimida por saber que passarei por meses e meses de novo por dificuldade de medicação adequada, alimentação adequada e falta de compreensão.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Cilamar, é mesmo uma situação difícil, mas tudo vai se resolve. Abraços e fique bem.

Claudio Luiz Monteiro Ramos

Minha esposa sofre de dores crônica que surgiram após uma situação ocorrida no trabalho. O estress pode causar o surgimento das dores?

Edmar Rodrigues Lanatovitz

Me chamo Edmar ,quero fala da minha esposa (Priscila) ,ela tem uma depressão muito forte q desencadeou depois de uma traição minha ,mas me arrependo muito por tudo oq aconteceu em nossas vidas ,ela me perdoou e já faz muitos anos o acontecido ,mas ela sofre cada vez mais dessa doença e muio mais ,ela sempre anda desanimada ,sempre com muita dor no corpo não tem ânimo, não sai de casa dorme bastante, o caso dela é muito crítico ,ela faz tratamento correto onde moro é muito bom para SUS ,mas o grande problema é q fui diagnosticado como (bipolar) e está sendo muito difícil essa situação pra nós, eu sou uma pessoa difícil de lidar ,e fico devendo muito no tratamento dela ,sinto raiva de mim todos os dias por isso.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Edmar, você se sente bem culpado por tudo que se passa com sua esposa, eu diria que você precisa se cuidar, ficar bem para poder cuidar dela. Abraços e melhoras para vocês dois.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.