Depressão: mudanças hormonais súbitas podem ser gatilho para a doença?


  • +A
  • -A

A depressão é uma das doenças que mais preocupam as autoridades de saúde ao redor do mundo. Tristeza, desânimo ,falta de prazer e mudanças de apetite são alguns dos seus sintomas. Existem várias causas para a doença, no entanto, um dos fatores mais importantes são as mudanças na quantidade de hormônios produzidos pelo organismo.  

“Algumas alterações hormonais, como alterações da tireoide e a menopausa, podem ser um dos gatilhos para a depressão“, afirma a psiquiatra Cláudia Chaves. A falta do hormônio T4, por exemplo, que é produzido pela tireoide e atua no funcionamento da memória e no controle da fome e do humor, favorece o desenvolvimento da depressão.

 

Mudanças hormonais na adolescência podem facilitar depressão

 


Outra fase em que ocorrem muitas mudanças hormonais é a
adolescência, caracterizada também por experimentações e mudanças da psique, da forma de ver o mundo e de se perceber nele. “É o período em que nos tornamos indivíduos autônomos e que, portanto, merece atenção especial, para que se tenha um indivíduo saudável em sua totalidade na idade adulta”, aconselha Cláudia.

Em alguns casos, a reposição hormonal pode ser indicada por um médico para tratar a doença. Entretanto, segundo a profissional, não existem cuidados específicos que o paciente deve tomar ao passar por essas mudanças e fases, como a menopausa. “A melhor ‘receita’ para uma boa saúde mental é ter hábitos saudáveis, como boa alimentação, rotinas para dormir, ter uma boa rede de suporte social e atividades de lazer“, recomenda a especialista.

 

Uso de drogas e situações impactantes são gatilhos para depressão

 


Além das mudanças hormonais, existem alguns fatores estressores que podem ser considerados gatilhos para o desenvolvimento da depressão, como o uso de substâncias psicoativas, perdas importantes, como
morte na família, rompimento, perda de emprego, dificuldades financeiras e situações violentas, como assaltos, por exemplo.

Alguns fatores de risco podem ser evitados ou tratados, como é o caso do uso de drogas, incluindo o álcool. Outros, no entanto, fogem do controle do paciente, como a perda do emprego. O desenvolvimento posterior da doença psiquiátrica depende das características individuais de cada pessoa, que envolvem tanto elementos genéticos quanto psíquicos.

 

Dra. Cláudia Chaves Dallelucci é psiquiatra, formada em Medicina pela Universidade de Mogi das Cruzes e atua no Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes da UNIFESP (PROAD). CRM-SP: 151077

 

Foto: Shutterstock

TAGS
depressao
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

10 comentários para "Depressão: mudanças hormonais súbitas podem ser gatilho para a doença?"

Aline Soares

Não é facil realmente a vida perde o sentindo

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Aline, durante o combate à depressão, a resiliência é um fator que ajuda o paciente a se proteger contra o desenvolvimento de episódios depressivos, evitando recaídas, por exemplo. A ajuda medica é de suma importância para o tratamento da doença e diminuição dos sintomas. Até logo.

Dirce

Só quem sofre dessa doença, sabe o quanto é difícil acordar e viver a cada dia Na minha existência os médicos só enchem agente de remédios, e depois disso ficamos escravos de remédios e psiquiatras

CUIDADOS PELA VIDA

Oi, Dirce! Em muitos casos os pacientes precisam usar remédios para controlar os sintomas do quadro, mas apenas isso pode não ser o suficiente. É essencial que você implemente no dia a dia práticas de vida saudáveis que te ajudem a tratar o problema. Falamos sobre isso aqui no site, veja a matéria completa em: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/depressao/depressao-complementar-tratamento-remedio. Abraços!

Cintia Padovan

O esporte. Tomar a iniciativa é difícil mas depois de 3 meses você nota a mudança. O corpo reage e você vai ressurgindo.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Cintia. Diversas pesquisas já apontaram que o esporte é uma das práticas mais eficazes no combate à depressão, pois resulta na liberação de hormônios como a endorfina e a serotonina, responsáveis pela sensação de prazer. Parabéns pela busca da melhora na qualidade de vida. Até a próxima!

Rayane

É difícil conviver com uma doença que está em sua cabeça,e todos acham mentira ou fantasia 😔

CUIDADOS PELA VIDA

Oi, Rayane! Apesar da doença atingir uma grande parcela da população e de existir um número cada vez maior de campanhas alertando sobre os sintomas e a importância do tratamento, ainda há muito preconceito em torno da depressão. Entretanto, é importante conversar com amigos e familiares de confiança sobre o que está sentindo. Orientamos, também, que procure uma ajuda profissional para iniciar um tratamento. Até logo!

Alexandre

Como desejar deitar e sua cama virar um buraco, você se afundar, e não voltar.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Alexandre! Fale sobre aquilo que lhe dói. Procure auxílio de um psiquiatra para que o tratamento seja realizado corretamente e após isso, pode-se iniciar as ações através do uso de medicamentos, acompanhamento psicológico, juntamente com o apoio de familiares e amigos. Hoje em dia é possível ter uma vida saudável mesmo com a depressão, e olhando além dessa possibilidade, cada vez mais, as recentes pesquisas sugerem que os tratamentos utilizados atualmente podem até mesmo normalizar a função cerebral associada à depressão. Abraços!

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.