Depressão: doença atinge mais homens ou mulheres?


  • +A
  • -A

A depressão é uma doença que vai muito além do sentimento profundo de tristeza. Envolve também desesperança, insegurança, problemas no sono, na memória e mudanças no apetite que afetam bem mais as mulheres: De acordo com os estudos já feitos até hoje, a depressão atinge duas vezes mais as mulheres do que os homens.

“Essa diferença pode ocorrer por vários motivos. Um deles é que os homens relatam menos sintomas depressivos, mesmo quando já estão presentes, passando a impressão de que o número de homens doentes é bem menor”, afirma a psiquiatra Luciana Staut.

Há também um grupo de pesquisadores que defende que as mulheres são mais ligadas a relações pessoais. Quando essas relações passam por mudanças, o corpo acaba sofrendo com alterações hormonais que podem desencadear um quadro de depressão.

 

Homens escondem mais os sintomas da depressão que as mulheres

 

Quanto aos sintomas, a especialista diz que não há diferença. O que existe é uma forma diferente de manifestá-los. “As mulheres tendem a comunicar mais quando não estão bem e quando se sentem tristes tendem a chorar mais demonstrando para o outro que não se sentem felizes”, explica a profissional.

Os homens, por outro lado, podem ter mais dificuldade para falar dos sentimentos ou até vergonha, tendendo a mascarar os sintomas presentes. “Quando se trata de depressão em homens, devemos ficar atentos a sinais, como irritabilidade mais acentuada, agressividade, uso de álcool em maior quantidade que o habitual, alteração de sono e isolamento social”, exemplifica Luciana.  

 

Tratamento da depressão é o mesmo nos homens e nas mulheres

 

Já o tratamento não apresenta diferenças entre homens e mulheres e deve ser embasado em um tripé: medicamentos, atividade física e psicoterapia. Durante o combate à depressão, o médico observará se o paciente tem dificuldade em fazer uso continuado de um remédio e em alterar sua rotina diária inserindo exercícios físicos e a psicoterapia.

 

Dra. Luciana Cristina Gulelmo Staut é psiquiatra, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e membro da Associação Brasileira de Psiquiatria. CRM-MT: 6734

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Luciana Staut

Dra. Luciana Staut

Psiquiatria

CRM: 6734 / MT

TAGS
depressao
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

10 comentários para "Depressão: doença atinge mais homens ou mulheres?"

Maria Filomena

Estou com depressão e ideias suicidas.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Maria, quando o estágio da depressão está avançado, é extremamente importante que o paciente busque ajuda psicológica e psiquiátrica o quanto antes, para que um tratamento seja iniciado o mais rápido possível, buscando reverter o quadro. Nós do Programa Cuidados Pela Vida desejamos melhoras e sucesso no seu tratamento. Até a próxima.

Luciane

Eu queria saber se o remédio anti-depressivo pode parar de uma vez,e de numa idade avançada é tão necessário o uso dele. E quais os sintomas de parar com ele?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Luciane, temos uma outra matéria que pode lhe ajudar, confira!

https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/depressao/parar-tratamento-depressao-antes

Vanessa

Gostaria de saber se eu tomar 3 vidros de rivotril se eu vou morrer…Eu li que se tomar com álcool mata mesmo então acho que vou misturar com vodka tenho 3 vidros em casa. A única coisa que sinto é deixar meu bebê de um ano e meio sem a mãe mas ele tem tanto amor do pai e dos avós.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Vanessa. Nós do Cuidados pela Vida nos preocupamos com seu bem-estar e recomendamos que diante de situações difíceis você converse com seus familiares e amigos, pois um problema dividido pode ter diferentes soluções. Recomendamos também acompanhamento com profissional médico, que pode ser um clínico geral ou um dos especialistas que tratam da mente e das emoções, como psiquiatra e psicólogo, pois eles também te ouvirão e poderão te ajudar a minimizar o seu sofrimento. Estamos sempre aqui para te apoiar e ajudar a ter melhor qualidade de vida. Sinta-se abraçada por todos nós.

Ladjane

É muito importante falar da depressão. Sendo o “mal do século” e tendo tantas causas externas, relacionadas ao nosso modelo sem qualidade de vida, precisamos desmistificar a doença, para não parecer que é fraqueza emocional, como muitos acreditam, aumentando o preconceito e a exclusão!

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Ladjane. Agradecemos por compartilhar seu comentário conosco. A depressão é um transtorno mental que vai muito além da tristeza profunda. A doença provoca também apatia, insegurança, ansiedade, insônia, problemas de concentração e até pensamento suicidas. E ao contrário do que muitos pensam, não é fácil sair dela. É preciso receber acompanhamento médico, fazer o tratamento corretamente com os medicamentos indicados com comprometimento afim de amenizar os sintomas e trazer maior qualidade de vida para o paciente acometido pela doença. Continue por aqui para receber mais informações e dicas como essa. Até logo.

Virginia vanya alves de brito

É verdade que não havera mais desconto na compra do “Exodus”?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Virginia. Entre em contato com a nossa central de atendimento para receber mais orientações sobre o programa. Cuidados Pela Vida – 0800 777 8432 – E-mail: contato@cuidadospelavida.com.br. Até breve.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.