Catarinense vence depressão e ansiedade e recupera qualidade de vida


  • +A
  • -A

A depressão é uma das doenças que mais gera preocupações ao redor do mundo devido ao grande número de casos. No Brasil, por exemplo, o problema atinge cerca de 11% da população, segundo o Ministério da Saúde. Um levantamento feito pelo jornal Estado de S. Paulo mostrou que o número de óbitos aumentou significativamente no país: foram 467 mortes, um crescimento de 705%. Não é à toa que o transtorno é considerado o mal do século.  

Ansiedade também é um dos sintomas da depressão

 

Rosângela W.  é uma das brasileiras que luta contra a depressão. A professora de 46 anos mora em Braço do Norte, em Santa Catarina, e explica como a doença surgiu em sua vida: “A correria do dia a dia fez com que eu me tornasse uma pessoa muito ansiosa, muito nervosa, a ponto de adoecer.”

No imaginário popular, uma pessoa depressiva é aquela que está sempre triste e desanimada (o que é um mito), mas a ansiedade também pode fazer parte da doença. “A ansiedade e a agitação podem acompanhar a depressão, como também podem estar presentes em outros transtornos psiquiátricos”, afirma a psiquiatra Elaine Henna.

Vale destacar também que um trabalho realizado pelo Hospital das Clínicas, em São Paulo, apontou que 50% dos pacientes que se queixaram de dores e fadiga apresentavam depressão, ou seja, sempre fique atento a alguns sinais suspeitos para buscar tratamento. “Muitas vezes, as pessoas apresentam cansaço, dores inespecíficas e persistentes que não atribuem à depressão”, destaca a médica.

 

Hábitos saudáveis fazem parte do tratamento

 

Para que o diagnóstico seja preciso e possibilite a recuperação do paciente, é fundamental que o médico investigue a fundo cada caso, analisando os sintomas e as melhores formas de combater a doença. Foi o que fez o profissional que acompanhou Rosângela. O psiquiatra lhe prescreveu, então, a medicação para tratar a depressão e explicou seu funcionamento.

Iniciado há três anos, o tratamento contra a depressão fez com que a professora pudesse recuperar sua qualidade de vida e voltasse a realizar suas atividades: “O tratamento tem dado um resultado positivo. Ele mudou completamente a minha vida. Me tornei uma pessoa muito mais tranquila.” Outras medidas que também podem compor o tratamento são manter uma alimentação saudável e praticar atividades físicas.

Dra. Elaine Aparecida Dacol Henna é psiquiatra formada pela Universidade de Mogi das Cruzes e atua em Sorocaba (SP). CRM-SP: 66403

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Elaine Henna

Dra. Elaine Henna

Psiquiatria

CRM: 66403 / SP

TAGS
ansiedade
depressao
psicologico
superacao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Catarinense vence depressão e ansiedade e recupera qualidade de vida"

EDUARDO BASTIANI

Perfeita a narrativa da dinâmica da ansiedade e depressão.Após uma pausa nas minhas atividades profissionais, me dei conta de quanto eu estava acelerado e ansioso e o resultado foram dores por todo o corpo sem qualquer causa aparente.Hoje, depois de dois anos de tratamento psiquiátrico, com medicação e um ótimo terapeuta, criei hábitos saudáveis e fiz minha rotina de tratar a depressão como se trata qualquer outro vício, dia a dia, hora a hora, minuto a minuto.Eduardo Bastiani

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Eduardo. Ficamos gratos por compartilhar seu comentário e um pouco da sua experiência. Buscar atendimento profissional é de suma importância para a saúde e bem-estar do paciente. Dessa forma é possível controlar os sintomas e trazer maior qualidade de vida para você. Até logo.

Carlos Roberto Pacheco

Estou com síndrome do pânico ansiedade. Perdi toda minha alegria não tenho ânimo pra nada.to tomando remédio acho quecnao tá adiantando as vezes melhora depois sinto denovDe novo não sei que faço.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Carlos. Agradecemos por compartilhar seu relato. Seguir o tratamento indicado pelo médico com comprometimento e responsabilidade é crucial para combater os sintomas de forma completa e eficaz. Converse com seu psiquiatra e o informe sobre a persistência dos sintomas para que ele possa orienta-la de forma completa. Desejamos sucesso no seu tratamento. Até a próxima.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.