Vida de aposentada melhora com tratamento para depressão e transtorno bipolar


  • +A
  • -A

Tratar alguém com uma doença psiquiátrica é algo que requer uma análise profunda dos sintomas, do dia a dia e até do histórico familiar do paciente. O tratamento de um paciente com mais de uma doença simultânea, uma situação conhecida como comorbidade, é mais complexo, pois ambos os transtornos devem ser contemplados na abordagem terapêutica, que deve respeitar as particularidades de cada quadro.

 

Paciente bipolar oscila entre episódios de depressão, mania e hipomania

 


Ana R., de 71 anos, viveu essa situação. Em 1996, a aposentada foi diagnosticada com depressão e
transtorno afetivo bipolar. Os problemas, apesar de serem confundidos, são bastante diferentes. Um paciente bipolar apresenta tanto episódios de depressão quanto de mania e hipomania, que são momentos de euforia e energia extremas e pouco sono.

“Ela ficava muito agitada ou muito deitada, sem comer nem tomar banho. A família não se afastou, mas ela ficou mais resistente em relação aos parentes”, lembra Elaine Diniz, filha de Ana, que conta ainda que, nos episódios de mania, a moradora de Brazlândia, no Distrito Federal, falava “muita bobeira” quando estava agitada.

 

Sintomas durante episódios de depressão são intensos

 


Já os sintomas vistos em episódios depressivos são, segundo a psiquiatra Luciana Staut, muito semelhantes aos da
depressão. “Eles têm características como anedonia (perda de prazer em coisas que, antes, a pessoa se sentia bem fazendo), desânimo, cansaço excessivo, pensamentos negativos ou até de morte”, diz a médica. A diferença fica por conta da intensidade, que costuma ser maior no transtorno bipolar.

Ana faz tratamento desde que foi diagnosticada. No entanto, o profissional que a acompanha trocou seus medicamentos há quatro anos, o que tem dado resultados positivos. “As doenças foram um dos fatores que levaram minha mãe a se aposentar. O tratamento ajudou a estabilizar o problema e ela passa muito menos tempo acamada hoje”, afirma Elaine.

 

Dra. Luciana Cristina Gulelmo Staut é psiquiatra, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso, membro da Associação Brasileira de Psiquiatria e atende em Cuiabá (MT). CRM-MT: 6734

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Luciana Staut

Dra. Luciana Staut

Psiquiatria

CRM: 6734 / MT

TAGS
depressao
psicologico
superacao
transtorno-bipolar

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Vida de aposentada melhora com tratamento para depressão e transtorno bipolar"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.