Já pensou em doar sangue? Veja regras para doação e saiba a importância do ato


  • +A
  • -A

Doar sangue é uma atitude altruísta capaz de salvar vidas. Não é raro alguém sofrer um acidente de carro ou passar por uma cirurgia complexa e necessitar de uma transfusão de sangue. No entanto, os bancos de sangue precisam ser constantemente repostos para que todas as pessoas possam ser atendidas. O problema é que nem sempre o número de doadores é suficiente.

Segundo o hematologista Afonso Cortez, é importante que pessoas com boas condições de saúde doem sangue ao menos duas vezes por ano para manter o estoque e atender às necessidades dos hospitais. “Em casos de emergências, é preciso fazer apelos à população. A quantidade de doações apresenta queda em época de férias, no inverno e em feriados prolongados”, explica o médico.

O que impede a doação de sangue?

 

Não são todas as pessoas que podem fazer uma doação. Existem regras nacionais estabelecidas pelo Ministério da Saúde que ajudam a proteger tanto os doadores quanto os receptores. “Para doar, é preciso ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar acima de 50 quilos, estar bem alimentado e saudável e portar documento de identidade oficial com foto”, afirma o profissional.

Usuários de drogas injetáveis e inalatórias, portadores do vírus HIV ou hepatite B e C, pessoas que praticaram sexo sem proteção e que têm múltiplos parceiros sexuais não podem doar sangue. Outras doenças também fazem pessoas ficarem fora da ação: “Pessoas com antecedente de câncer, doenças cardíacas e que tiveram suspeita de dengue, zika vírus ou chikungunya, no último mês, são impedidas de doar”, exemplifica Cortez.

Repouso após a doação

 

Para saber se um indivíduo está apto ou não para doar sangue, um médico ou enfermeiro realiza uma entrevista clínica para esclarecer dúvidas e fazer perguntas ao candidato. Febre, gripe, gravidez recente, cirurgias, vacinação, tatuagem e uso de medicamentos são impeditivos temporários e devem ser comunicados ao profissional para que ele avalie o caso. Depois da doação, é preciso descansar durante dez minutos e não fazer esforço ao longo do dia.

Dr. Afonso José Pereira Cortez é hematologista e hemoterapeuta e diretor médico da Associação Beneficente de Coleta de Sangue (Colsan). CRM-SP: 47488

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Afonso José Pereira Cortez

Dr. Afonso José Pereira Cortez

Hematologia

CRM: 47488 / SP

TAGS
circulacao
sangue

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Já pensou em doar sangue? Veja regras para doação e saiba a importância do ato"

Cristina

Em junho de 2015 fiz uma cirurgia para retirada de um tumor benigno no femur (condrossarcoma de baixo grau) e recebi uma bolsa de sangue. Fiz outra cirurgia em maio de 2016 para enxerto osseo sem transfusão de sangue. Posso doar sangue? Sou tipo O negativo.

Mônica

Sou doadora há algumas décadas; como tenho sangue O Negativo, sei da grande procura por este tipo de sangue e faço questão de doar enquanto puder.

Daiane Santos Rodrigues

Minha imunidade anda muito baixa ando ficando muito doente com problema de garganta inflamada direto e tem um mês que cortei o dedo tive que levar ponto nesses casos pode doar sangue.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Daiane. Estamos contentes com sua iniciativa, mas é necessário que esteja nos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde, como cita a matéria, ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar acima de 50 quilos, estar bem alimentado e saudável, para realizar a doação de sangue, isso serve para manter a proteção de ambos pacientes. É fundamental, que cuide de sua saúde. Recomendamos que realize uma consulta médica para uma avaliação e ter um diagnóstico preciso. Assim, que se recuperar, poderá pensar novamente nessa possibilidade. Desejamos melhoras. Até breve!

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.