5 dicas para lidar melhor com a ansiedade


  • +A
  • -A

Os transtornos de ansiedade, em geral, têm em comum o medo excessivo de algo ou de uma situação que seja percebida como ameaçadora (que pode ser de fato uma ameaça real ou não) e a antecipação de uma ameaça futura. Esse medo afeta tanto o comportamento como as funções do organismo como um todo, podendo afetar tanto a saúde física como a mental.

Os sintomas de ansiedade variam, mas no geral as pessoas apresentam sintomas físicos e psicológicos, que incluem:

-Dor de cabeça;

-Nervosismo, inquietação ou tensão;

-Sensação de alerta, pânico ou pavor;

– Ritmo cardíaco acelerado;

-Respiração rápida ou hiperventilação;

-Sudorese aumentada ou intensa;

-Tremor ou espasmos musculares;

-Fraqueza;

-Dificuldade de concentração ou de pensar claramente sobre qualquer coisa que não seja o que te preocupa no momento;

-Insônia;

-Problemas digestivos ou gastrointestinais, como gases, constipação ou diarreia, entre outros.

A ansiedade pode afetar de forma significativa a sua saúde e, em longo prazo, pode aumentar o risco de desenvolvimento de condições/doenças crônicas. Por exemplo, a ansiedade pode alterar a frequência cardíaca e a circulação sanguínea, o que, com o tempo, pode afetar de forma significativa o sistema cardiovascular, com risco de desenvolvimento de doenças cardíacas. Pessoas ansiosas por muito tempo podem desenvolver, entre outras doenças, depressão, insônia, dor crônica e transtorno de abuso de substâncias.

Algumas técnicas de relaxamento e mudanças de hábitos podem ser úteis no controle da ansiedade. Abaixo, listamos algumas delas:

-Identifique os padrões. Conseguir perceber o que gera a ansiedade e o começo de sua manifestação é o primeiro passo para conseguir minimizar seus efeitos. A partir daí você pode tanto criar estratégias para neutralizar esses gatilhos como usar ferramentas para amenizá-la. Por exemplo: alguém que estuda, e percebe que sempre que chega o período de provas começa a ficar ansioso por achar que não se preparou adequadamente, pode traçar um plano de estudo possível e estruturado que o permita começar a estudar antes e que o faça se sentir mais seguro para as provas. Ou então alguém que precisa fazer uma apresentação no trabalho, e percebe que está ficando ansioso, pode começar a fazer exercícios de respiração e relaxamento para diminuir os sintomas.

-Aprenda técnicas de relaxamento. Algumas técnicas de respiração profunda podem ajudar a diminuir a pressão arterial, a frequência cardíaca e a tensão que é comumente associada ao estresse e à ansiedade. Focar em imagens mentais que distraiam a mente dos pensamentos ansiosos, como imaginar que está em uma praia ou jardim, também pode ajudar a diminuir a tensão e deixar que pensamentos mais positivos venham à tona. Seja qual for a técnica que você preferir, ter uma à mão quando os sintomas começarem a se manifestar pode proporcionar uma sensação de controle maior sobre a situação, diminuindo a ansiedade.

-Pratique exercícios físicos. Atividades físicas regulares diminuem o hormônio do estresse, que influencia a ansiedade, e melhoram o humor geral. Além disso, podem ajudar você a focar no que está fazendo naquele momento, afastando as preocupações e os pensamentos que alimentam a ansiedade. Atividades simples como caminhadas rápidas ou corridas leves podem ser incorporadas na rotina de forma mais fácil e podem ajudar a diminuir a ansiedade quando ela aparece.

-Alimente-se de forma mais saudável. Quando estiver ansioso, é uma boa ideia evitar a cafeína e o álcool, que podem piorar e/ou mascarar o problema, tornando-o maior. Alguns alimentos como o salmão, a sardinha, as nozes e a linhaça são ricos em ômega 3 que, além de fazer bem para a saúde, pode ajudar a diminuir a ansiedade. Já alimentos processados, ricos em açúcares e gorduras, podem piorar o quadro. Dessa forma, a recomendação geral é que você dê preferência sempre a alimentos menos processados e mais próximos de sua forma natural, como frutas, legumes, verduras, oleaginosas e carnes, por exemplo, que possuem muito mais nutrientes e ajudam na manutenção da saúde como um todo.

-Procure ajuda. Pessoas que têm uma rede de apoio próxima parecem ter uma habilidade maior em lidar com problemas mentais e físicos do que aquelas que estão isoladas. Ter um amigo próximo ou familiar com quem conversar e partilhar preocupações em momentos difíceis pode impedir que a ansiedade consuma a sua vida. Se não tiver essa rede de apoio ou se mesmo assim não conseguir lidar com a ansiedade, procure o suporte de um profissional de saúde, como um terapeuta/psicólogo, que poderá avaliar outras estratégias que podem ser relevantes para você.

Colaboração:
Rosyanne Oliveira – Farmacêutica.

Referências consultadas:

Healthline. Everything you need to know about anxiety. Disponível em:

<https://www.healthline.com/health/anxiety-symptoms>. Acesso em: dezembro 2018.

Healthline. The effects of anxiety on the body. Disponível em:<https://www.medicalnewstoday.com/articles/322510.php>. Acesso em: dezembro 2018.

JOVANOVIC, T. et al. What is anxiety? Anxiety. Org. Disponível em:

<https://www.anxiety.org/what-is-anxiety>. Acesso em: dezembro 2018.

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Renata Demarque

Dra. Renata Demarque

Psiquiatria

CRM: CRM 127252 / SP

TAGS
imunidade-baixa

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

2 comentários para "5 dicas para lidar melhor com a ansiedade"

Priscila Amâncio da Silva

Amei o conteúdo

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Priscila. Ficamos felizes por saber que tem apreciado nossos conteúdos. Clique no link abaixo e confira mais matérias que abordam esse tema. Até a próxima.

https://cuidadospelavida.com.br/busca/ansiedade

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.