Existem atividades ou brincadeiras que podem ajudar os pais a se conectarem com filhos autistas?


  • +A
  • -A

Crianças com autismo apresentam dificuldade importante em interagir e por isso os pais devem estimulá-las constantemente a evoluir nesse sentido. Brincadeiras e atividades interativas podem ajudar o paciente nesse sentido, desde que sejam saudáveis e estabeleçam uma conexão entre pais e seus filhos autistas.

“Acredito que não existam atividades ou brincadeiras específicas que possam ajudar nesse sentido. Todo tipo de brincadeira e atividades que estimulem uma maior interação, especialmente aquelas que a criança realmente gosta, podem ajudar”, afirma a psiquiatra Ana Cláudia Ducati.

 

Comunicação é essencial mesmo que seja difícil para o paciente

 

Segundo a especialista, brincar com os filhos é algo que todos os pais deveriam fazer independente de diagnóstico. Porém, devido às dificuldades de interação ou muitas vezes à ausência de interesse por interação da criança com TEA (Transtorno do Espectro Autista), essa prática se torna uma grande dificuldade para os pais. Por isso, muitas vezes o tratamento inclui o uso de medicamentos que ajudam a amenizar os sintomas do quadro.

Mesmo assim, brincar com a criança com TEA pode ajudar e muito em seu desenvolvimento, pois a simples interação com ela representa um estímulo, benéfico em vários sentidos. Ela pode passar a fazer mais contato visual, verbalizar mais palavras e até buscar mais o contato com outras crianças. “Se lembrarmos que a socialização é uma das principais dificuldades da criança com TEA, quanto mais estimulação receber nesse sentido, mais irá evoluir”, pontua a psiquiatra.

 

Pais devem insistir com filhos autistas mesmo que eles rejeitem o contato

 

Algumas atividades, como brincar com massinha, texturas, temperaturas e consistências diferentes, podem auxiliar na estimulação sensorial e, assim, trabalhar o desconforto que algumas crianças têm com sensações táteis, por exemplo. “Além disso, recomenda-se sempre falar com a criança durante a brincadeira e manter faces bastante expressivas pode ajudar. É importante que os pais não desistam quando a criança rejeitar o contato, pois muitas vezes a evolução é lenta mesmo”, completa Ana Claudia.

 

Dra. Ana Claudia Ducati Dabronzo é psiquiatra geral e da infância e adolescência, formada pela Universidade de São Paulo (USP). CRM: 150.562

Foto: Shutterstock

TAGS
autismo
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

1 comentário para "Existem atividades ou brincadeiras que podem ajudar os pais a se conectarem com filhos autistas?"

Janaina da Silva pereira

Como lidar com adolescentes

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.