Sintomas de asma e bronquite podem ser confundidos com os sintomas do novo coronavírus?

  • +A
  • -A

A COVID-19 é o nome dado à doença causada pelo novo coronavírus. Trata-se de uma manifestação clínica que pode variar desde um quadro sem nenhum sintoma até uma infecção respiratória grave. Um dos sintomas mais frequentes é a falta de ar: segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 20% das pessoas infectadas pelo vírus apresentam sérios problemas respiratórios, precisando de ventilação mecânica para conseguir respirar. Será que outras doenças que causam falta de ar, como asma e bronquite, podem ser confundidas com o novo coronavírus?

Como diferenciar a falta de ar causada pelo novo coronavírus?


De acordo com o pneumologista José Eduardo Martinelli, a falta de ar por si só não caracteriza uma infecção do novo coronavírus, já que uma infecção respiratória bacteriana e até mesmo o uso incorreto da medicação de controle da asma e da bronquite podem desencadear um broncoespasmo acompanhado de
insuficiência respiratória

É preciso, portanto, prestar atenção aos outros sintomas causados pela COVID-19. Além da febre e falta de ar, um paciente infectado pelo novo coronavírus apresenta também tosse, coriza e dor de garganta, segundo o Ministério da Saúde. Alguns pacientes também se queixam de pressão no peito. 

“Em função do pânico em relação à epidemia, os pacientes já portadores de doença pulmonar prévia podem pensar que estão infectados com a COVID-19 se houver alguma descompensação respiratória no seu quadro. Mas, é importante se atentar para o fato de que, nesses casos, a falta de ar não é acompanhada de febre, mas o vírus causa um quadro inicial de muita febre”, esclarece o especialista.

A COVID-19 pode ser confundida com H1N1?


No período de outono e inverno, podem surgir ainda outros problemas, como a gripe decorrente da influenza ou até uma pneumonia bacteriana. Nesses casos, pode haver um quadro de febre associado, mas essa febre demonstra que há outro componente infeccioso. No momento atual, a influenza H1N1 e a COVID-19 podem ser confundidas e o paciente tem que procurar assistência médica para que se faça o diagnóstico diferencial, já que os tratamentos também variam”, alerta o médico.

Vale lembrar que pessoas que já possuem doenças pulmonares crônicas podem ter quadros mais graves de COVID-19. Por isso, é fundamental seguir as medidas recomendadas de proteção, como lavar sempre as mãos com água e sabão, usar álcool em gel 70%, não tocar olhos, nariz e boca com as mãos sujas, ficar em casa sempre que possível e, se precisar sair, usar máscaras de proteção.

 

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS): https://www.who.int/docs/default-source/coronaviruse/situation-reports/20200301-sitrep-41-covid-19.pdf?sfvrsn=6768306d_2

https://www.who.int/docs/default-source/coronaviruse/situation-reports/20200306-sitrep-46-covid-19.pdf?sfvrsn=96b04adf_4

Dados do Ministério da Saúde: https://coronavirus.saude.gov.br/sobre-a-doenca#sintomas

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. José Eduardo Martinelli

Dr. José Eduardo Martinelli

Geriatria

CRM: 27875 / SP

TAGS
asma
bronquite
coronavirus
respiracao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

1 comentário para "Sintomas de asma e bronquite podem ser confundidos com os sintomas do novo coronavírus?"

Sandoval moreira barbosa

Tenho um mosquiteiro a dias não abria fui abril o e comecei a ficar com fauta de ar achei que iria morrer.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.