Pneumotórax: entenda o que é essa complicação que pode surgir em quem sofre de DPOC


  • +A
  • -A

Está com tosse, com dor aguda no tórax e sentindo falta de ar e se cansando com facilidade? Cuidado, estes são os principais do pneumotórax, um problema relativamente comum e que pode atingir qualquer pessoa, mas principalmente, fumantes, quem tem doenças pulmonares ou sofreu um trauma torácico recente.

O pneumotórax é caracterizado pelo acúmulo anormal de ar entre o pulmão e a membrana interna do tórax, conhecida como pleura. Ele pode se desenvolver como consequência da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), conjunto de doenças que atrapalham o fluxo de ar para os pulmões. O problema precisa ser tratado, pois além de causar dor e dificuldade para respirar, ele provoca a compressão do pulmão e, em casos mais graves, desloca o coração, altera o ritmo cardíaco e pode levar à morte.

Os tipos de pneumotórax

De acordo com a causa, o pneumotórax pode ser dividido em quatro tipos: o espontâneo, quando está ou não ligado a uma doença pulmonar; o traumático, quando surgiu por causa de um trauma no tórax; o infeccioso, causado por infecções pulmonares; e por fim, o iatrogênico, quando é produto de uma intervenção médica.

A solução para o problema irá variar de acordo com a gravidade. Em casos mais brandos, o espaço gerado pelo acúmulo de ar tende a regredir de tamanho em duas semanas. Já em situações mais complicadas é preciso uma intervenção médica, como aponta o pneumologista: “O tratamento de urgência é a drenagem de tórax, com a instalação de um tubo flexível no espaço pleural para drenar o ar retido. Às vezes, o cirurgião pode optar por mera aspiração do ar retido.”

A doença pode reaparecer

Mesmo depois de curado, é preciso atenção: o problema pode voltar a surgir. “Quem já apresentou dois ou três quadros de pneumotóraxes, a chance de se repetir é muito grande e deve consultar um cirurgião torácico para realizar algum procedimento a fim de evitar a repetição do quadro”, afirma Kirchenchtejn. A melhor maneira de preveni-lo é não fumar ou evitar estar perto de quem fuma. Situações que exponham alguém a mudanças bruscas de pressão, como mergulhos e saltos, também devem ser repensados.

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Ciro Kirchenchtejn

Dr. Ciro Kirchenchtejn

Pneumologia

CRM: 50579 / SP

TAGS
dpoc
respiracao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

12 comentários para "Pneumotórax: entenda o que é essa complicação que pode surgir em quem sofre de DPOC"

Ricardo nobbi

Já tive 3 pneumotórax espontâneo,no último o cirurgião fez a bolectomia pleural.desculpem me não sei se é assim que pronuncia o procedimento ,tive em intervalos de dez em dez anos,parei de fumar hoje me sinto menos Cançado é bem melhor.o cirurgião é muito competente Dr Agnaldo Aisemberg em bh,

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Ricardo. Ficamos felizes por saber da sua melhora. Continue nos acompanhando para mais dicas e informações sobre saúde, doenças e tratamentos. Abraços.

Samuel Garcia Corrêa

Estou gripado há três semanas , tô com uma tosse nao a meio de sarar ,nao aguento mais

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Samuel. Orientamos que você busque atendimento médico para identificar a causa dos sintomas e inicie o tratamento mais adequado. Até logo.

Eunice

faço tratamento com pneumologista faço uso de Bombinhas alenia ..sabutamol e Clenil mesmo assim me sinto com dificuldades pra respirar tem dia que parece que não vou conseguir viver é difícil não posso com cheiro de nada tá difícil não sei o que fazer já tenho 64 anos ,.. obrigado me ajudem

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Eunice. Além dos medicamentos, é essencial que evite os fatores de risco para a doença, que são o tabagismo e o contato com fumaça, seja de poluição ou do cigarro de outras pessoas. A prática de atividade física regular de intensidade leve também pode ajudar no tratamento, melhorando a respiração do paciente. Entretanto, deve-se consultar um médico pneumologista para indicar o melhor tratamento. Até breve!

Fabiana

Sinto dores horríveis nas costas uma tosse chata q vai e volta e uma sensação do pulmão estar cheio e não esvaziar estou fazendo tratamento para asma mas nao resolveu nada ainda ,estou usando vanair, bamifix e predinisona. Já estou a 2 meses co. Esse problema…

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Fabiana. Para que o seu diagnóstico seja preciso e possibilite a recuperação, é fundamental que o médico pneumologista investigue a fundo o caso, analisando os sintomas e as melhores formas de combater a doença. Desejamos sucesso no seu tratamento!

Maria EVODI BARROS

caso inédito. meu companheiro tem câncer de intestino. logo, pela idade avançada, foi submetido a quimioterapia. por ter fragilidade capilar. colocou um cateter.Dias após houve complicações. Fez a troca. Retirando de um lado e pondo no outro lado.Pra quem é da área médica sabe do que falo.TRES dias após, apresentou febre, falta de ar.entre outros sintomas. levei ao médico. pediu exames. constatou pnemotorax por fragmentos do cateter que foi pro pulmão..

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Maria! Agradecemos por compartilhar seu comentário. Continue conosco para mais matérias como essas. Desejamos sucesso no tratamento do seu companheiro!

Eduardo

Um abraço um pouco mais forte pode causar algum problema pulmonar, como pneumotorax?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Eduardo. O pneumotórax é caracterizado pelo acúmulo anormal de ar entre o pulmão e a membrana interna do tórax, conhecida como pleura. Até o momento não houve caso de doença pulmonar por conta de um abraço muito forte, mas há pessoas que são muito frágeis até mesmo a um abraço forte demais, por isso ás vezes é necessário ser cauteloso em relação á isso. Agradecemos por compartilhar seu comentário!

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.