É possível controlar a asma sem dispositivos inalatórios?


  • +A
  • -A

Os dispositivos inaladores são fundamentais para o tratamento da asma, pois eles permitem a administração de medicações importantes para o controle da doença, como os corticoides, permitindo que o paciente reduza a quantidade e intensidade das crises. Sem isso, o paciente pode ter crises graves, frequentes e de difícil recuperação.

“As medidas modernas para o tratamento da asma se baseiam em medicações inalatórias, não por via oral”, afirma o pneumologista Mauro Gomes. Por isso, os dispositivos inaladores são tão importantes para o tratamento da doença. Vale ressaltar que esses dispositivos nada mais são do que ferramentas que permitem que os remédios, geralmente em pó, armazenados dentro de cápsulas, sejam administrados diretamente para as vias respiratórias, tratando os sintomas da doença com mais eficácia e menos efeitos colaterais do que se fossem administrados por via oral, por exemplo.

 

O que fazer para auxiliar no controle de uma crise de asma?

 

Mesmo com o tratamento sendo realizado corretamente, ainda podem acontecer crises, motivadas pela exposição a fatores como fumaça de cigarro, poeira em excesso, etc. Nessas situações, o paciente deve ter sempre por perto uma medicação broncodilatadora (que pode ser em spray ou em pó inalatório), fundamental para abrir as vias aéreas rapidamente no evento de uma crise, permitindo que ele respire. Quando uma crise é deflagrada e o paciente não conta com isso, muitas vezes é necessário recorrer ao atendimento de urgência.

Além dos broncodilatadores, outras formas que ajudam a controlar uma crise de asma são: acalmar-se; sentar em posição confortável ou se colocar na posição em que fique mais fácil respirar; manter-se em local arejado, longe de alérgenos. Para prevenir as crises, deve-se evitar os fatores desencadeadores, que são os alérgenos (poeira, ar frio, poluição, fumaça, etc). 

 

Importância de manter o tratamento prescrito para o controle da asma

 

Como as asma é uma doença crônica, sem cura, que exige tratamento por toda a vida, é recomendado seguir os cuidados constantemente. Porém, muitos pacientes abandonam o tratamento com corticoides porque acham que a doença está sob controle e, por isso, podem voltar a ter crises agudas e perigosas. Por isso, é fundamental seguir as recomendações no tratamento e só suspender a medicação, ou alterar sua dosagem, se isso for autorizado pelo médico.

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Mauro Gomes

Dr. Mauro Gomes

Pneumologia

CRM: 59917 / SP

TAGS
asma
respiracao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

18 comentários para "É possível controlar a asma sem dispositivos inalatórios?"

Elaine

Bom diatenho bronquite alergica,gostaria de saberqual tratamento na crise,sou ipertença e ataque cardiacotomo remedio,entao qdo tenho crise da tosse as veses com cataro as secas,e um pouco de falta de ar o que devo fazer.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Elaine, para que se possa inciar qualquer tipo tratamento é necessário uma consulta com o pneumologista para que após exames seja identificado o tratamento mais adequado para você. Temos uma outra matéria com informações importantes sobre a asma confira no link abaixo. Abraços.

https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/asma-e-bronquite/quais-tipos-asma-existem

Betania Pinto da Silva

minha nora tem asma e é alérgica a remédios ela tem crises constantes q chega a desmaiar oq posso fazer pra ajudar ela usa remedios so q n usa continuo

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Betania, assim como em toda doença crônica, o tratamento da asma exige acompanhamento constante com um médico apropriado. É especialmente importante e necessário manter contato com este profissional. Não existe cura definitiva para a doença, então é preciso que o paciente se submeta a um tratamento constante para impedir a exacerbação dos sintomas. O médico que acompanha o processo deverá indicar os fatores de risco que ele deve evitar para que as crises não aconteçam, bem como o medicamento adequado para controlar o quadro como um todo.

Aparecida de Jesus Fernandes

Sofri muito tempo até encontrar a medicação correta é bem difícil, passar mal e às vezes escutar que está tudo bem. Hoje posso dizer que está controlada às crises. Trabalho de noite e durmo de dia duas a três horas no máximo.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Aparecida, ficamos felizes pela sua melhora. É de extrema importância que o tratamento indicado pelo médico seja seguido com muito respeito e responsabilidade para obter resultados benéficos a saúde. Temos mais uma matéria que traz informações muito importantes sobre essa patologia e seu tratamento. Clique no link abaixo e confira. Até a próxima.

https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/asma-e-bronquite/medico-mudar-dosagem-medicamento-asma

Maria cristina ferreira dos santos

Olá eu tenho asma deste os nove anos de idade .hoje estou com 33 anos eu tinha crises horríveis de asma já fiquei internada várias vezes .há três anos eu faço uso de uma medicação. Chamada Alenia esse remédio me devolveu a vida hoje eu faço tudo não tenho mais crises .porém tomo todos os dias e assim tenho o controle da minha asma .

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Maria Cristina, que bom saber da sua melhora! São casos como o seu que incentivam outras pessoas a continuar com o tratamento em busca de uma melhor qualidade de vida. Abraços!

Marcia

Poder usar cordicodi direto

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Marcia, o uso prolongado de medicamentos corticoides pode trazer alguns efeitos colaterais, como por exemplo: Aumento de peso, desenvolvimento de estrias e diminuição do apetite sexual. Geralmente, os efeitos colaterais desaparecem ao interromper o uso. Todavia, recomendamos uma visita ao seu médico de confiança para a correta prescrição de um tratamento. Até logo!

Elias Moreira

Olá boa tarde! Aqui é o Elias Moreira, tenho asma e tomo os seguintes medicamentos para controle que são: Foraseq 12mcg 400mcg e também o Lugano 12mcg 250mcg.Comecei a tomar também o dexametasona 4 mg e está me fazendo bem, evitando em mim tosse e crises durante o dia.A minha pergunta é: Eu posso continuar tomando o dexametasona 4 mg uma vez ao dia para auxiliar em meu tratamento, juntamente com o Foraseq ou Lugano, já que está me fazendo bem?Mas tenho dúvidas por quanto tempo posso tomar o dexametasona 4 mg?Aguardo seu retorno.Obrigado!Elias

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Elias, ressaltamos que a prescrição médica deve sempre ser seguida à risca, uma vez que esse profissional é habilitado para prescrever medicamentos. Cada caso é um caso, e a combinação de medicamentos podem ou não ser nocivos à saúde. Converse com o seu médico para que a melhor forma de tratamento seja adequado ao seu caso. Abraços!

Lucimar

Eu já tive enternada 2 vezes com crise de asma tenho falta de ar e muita cerração catarro uso bombinha e inalação e normal o que tá me ajudando a dormir e um umidificador de ambiente que mantém o quarto a rezado

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Lucimar, temos uma matéria a qual fala sobre a importância de saber como utilizar o umidificador de ar a seu favor, confira logo abaixo. Abraços!

https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/asma-e-bronquite/ar-seco-umido-riscos-asma

Fabio

Meu filho tem asma alergica ele tinha crusse sempre hoje ja ta bem cotrolada mas. Ele mesmo assim usa sempre a bombinha. ..gostaria de saber .se tenho q continuar dando a bombinha a ele .ou so se. Ele voltar a ter crisse

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Fabio, recomendamos sempre seguir a prescrição médica. Caso o tratamento já tenha terminado, converse com o médico do seu filho, pois cada caso pode variar, podendo ser necessária ou não a medicação contínua. Até a próxima.

Karminha Vasconcelos

Minha mãe usa alenia.. tem crises de falta de ar por conta de um.leve mas crônico enfisema pulmonar. As crises w a levavam ao hospital cessaram…mas a falta de ar…ainda sente. Toma aerosol com atrovent

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Karminha, por mais que em alguns momentos o quadro de asma fique menos intenso, sem crises, o tratamento da asma não pode parar pois trata-se de uma doença crônica, que não tem cura e que exige cuidados por toda a vida. Além disso, abandonar o tratamento abre margem para que os sintomas voltem. O tratamento constante, portanto, também é uma forma de manter a evolução já obtida. É muito importante que você comunique o médico da sua mãe sobre a persistência dos sintomas, para que se necessário o médico realize alterações no tratamento. Até logo.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.