Cachimbos, charutos e narguilés são fatores de risco para DPOC assim como o cigarro?

  • +A
  • -A

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma condição que causa a obstrução progressiva dos brônquios, as vias aéreas inferiores, e, nos casos de enfisema pulmonar, a destruição dos alvéolos de uma forma irreversível. Mais de 90% dos casos da doença se relacionam ao tabagismo, mas será que só o cigarro é capaz de provocar a doença ou cachimbos e charutos também são fatores de risco para DPOC? Descubra!

Outros hábitos de fumo também são fatores de risco para DPOC


De acordo com o pneumologista Igor Nery,
outros hábitos de fumo também são prejudiciais e representam um risco a saúde. “Cachimbos, charutos e narguilés, assim como todos os dispositivos que promovem a combustão do tabaco e sua consequente inalação, são fatores de risco para DPOC. O cachimbo e o charuto geram, além do comprometimento pulmonar, uma tendência maior ao câncer de boca e laringe”, alerta o profissional.

 O médico afirma que é imprescindível a abstenção de hábitos de fumo para o tratamento. “A permanência da agressão e o acúmulo cada vez maior de substâncias agressivas aos pulmões promovem um aumento na velocidade de progressão da doença mesmo com o uso das medicações e isso põe em risco a eficiência do tratamento”, explica o especialista.

Sintomas aparecem em casos avançados de DPOC


Por ser uma doença em que
os primeiros sinais aparecem de forma lenta e discreta, o diagnóstico muitas vezes é feito apenas em quadros já bem avançados. O principal sintoma é a falta de ar, que pode surgir durante atividades simples, como ao subir a escada e ao praticar esportes. Crises de tosse com catarro, chiado, aperto no peito, cansaço e uma maior tendência a desenvolver infecções respiratórias também são sinais associados à DPOC.

O controle dos sintomas é um componente primordial para a melhora da qualidade e da expectativa de vida do paciente, o que pode ser feito com o uso de broncodilatadores e com a prevenção das crises de DPOC. As mudanças no estilo de vida e a vacinação contra infecções respiratórias reduzem o risco de complicações, como pneumonia, broncopneumonia, embolia pulmonar, infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC). Vale lembrar que essas medidas devem ser feitas sempre sob orientação médica.

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Igor Nery

Dr. Igor Nery

Pneumologia

CRM: 9847 / PR

TAGS
cigarro
dpoc
respiracao
tosse

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Cachimbos, charutos e narguilés são fatores de risco para DPOC assim como o cigarro?"

Jair

Minha esposa tem efizema pulmonar, falta de ar e como ela é depressiva e tem ansiedade de alto nivel, não consegue parar de fumar, já tentamos de td p/ auxilia-la, porém não obtivemos nenhum resultado, como fazer?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Jair. Segundo informações da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS), o aconselhamento e medicação mais que duplicam as chances de um fumante ter sucesso em sua tentativa de parar de fumar. Se necessário, também podem ser receitados remédios para ajudar a aliviar sintomas psicológicos, como irritação e ansiedade. O ideal é buscar ajuda profissional para que sua esposa tenha ferramentas que auxiliem no tratamento para tabagismo. Abraços

Afranio

Fumar maconha prejudica quem tem dpoc?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Afranio. O consumo de produtos com tabaco é o principal fator de risco para o desenvolvimento da DPOC, assim como o fumo de maconha. No entanto, a doença é multifatorial e mesmo quem não é fumante pode tê-la. Comenta, a pneumologista Luiza Helena Degani Costa. Recomendamos a leitura desta matéria: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/asma-e-bronquite/possivel-desenvolver-dpoc-mesmo-sem-ser-fumante. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.