Pacientes com asma têm dificuldade de respirar em cidades em altas altitudes?


  • +A
  • -A

Visitar uma região muito alta, acima dos 2.500 metros de altitude, não é uma tarefa fácil para o corpo humano, já que a mudança provoca uma série de alterações no organismo. A pressão atmosférica mais baixa faz com que haja menos oxigênio circulando. A consequência é uma dificuldade para respirar bem maior e quem sofre mais com esse problema são os pacientes asmáticos.

Em cidades altas, asma pode piorar tosse seca e falta de ar


“Há maior dificuldade do asmático respirar em grandes altitudes quando a doença não está devidamente controlada, piorando a falta de ar, a tosse seca e a limitação do esforço físico devido ao processo inflamatório crônico das vias aéreas, agravando a limitação de fluxo de ar nos brônquios”, afirma o pneumologista Jaime Ferreira Baetas Junior.

Antes de viajar, é importante visitar o consultório médico para uma avaliação do quadro de asma. Em alguns casos, quando o paciente está com os sintomas exacerbados, o profissional poderá desaconselhar a visita a um local de alta altitude até que a doença se estabilize. A viagem poderá piorar ainda mais os sintomas e sobrecarregar todo o corpo, em especial, os sistemas respiratório e cardiovascular.

Tratamento da asma ajuda a evitar piora dos sintomas em altas altitudes


Para os pacientes asmáticos que forem autorizados a fazer a viagem, algumas dicas podem ajudar a driblar o problema. “Manter o uso contínuo da medicação inalatória
mesmo fora da crise, com acompanhamento médico por se tratar de uma doença crônica”, recomenda o especialista. Os medicamentos broncodilatadores, por exemplo, ajudam a reduzir a inflamação dos brônquios, permitindo a passagem do ar para os pulmões com mais facilidade.

“Em algumas cidades da América do Sul, na altitude extrema, é recomendável evitar variações bruscas de temperatura e esforço físico intenso, como as corridas nas montanhas”, aconselha o pneumologista. Quando há práticas esportivas envolvidas, é importante também preparar o corpo antes da viagem, fazendo exercícios aeróbicos com antecedência para melhorar o condicionamento físico e adotando uma alimentação mais saudável.

Dr. Jaime Ferreira Baetas Junior é pneumologista, professor da Universidade Cidade de São Paulo (Unicid) e responsável pelo ambulatório de doenças respiratórias do Complexo Hospitalar Padre Bento de Guarulhos. CRM-SP: 63007

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
TAGS
asma
respiracao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

6 comentários para "Pacientes com asma têm dificuldade de respirar em cidades em altas altitudes?"

Rosângela simor

Quando estou na praia,tomo banho de mar,fasso caminhadas na areia, e me sinto muito bem,nunca tive crises de tosse e sibilos mesmo com vento frio e a água gelada,estou pensando seriamente em morar definitivo na praia

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Rosangela, fazer o tratamento da asma conforme as orientações médicas é a melhor maneira de controlar os sintomas e evitar as crises da doença. Embora não haja cura para a asma, usar os medicamentos corretamente e evitar os gatilhos da doença te ajudam a controlar seu quadro e a levar uma vida normal. É importante ainda dedicar um tempo à prática de atividades físicas, que também geram benefícios aos pacientes. Antes, no entanto, procure seu médico para receber orientações específicas. Até logo.

Martim

Mesmo no calor se o ar está seco sinto dificuldade para respirar. Preciso uzar a bombinha.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Martim, de acordo com o pneumologista Dr. Mauro Gomes os dispositivos inaladores são fundamentais para o tratamento da asma, pois eles permitem a administração de medicações importantes para o controle da doença, como os corticoides, permitindo que o paciente reduza a quantidade e intensidade das crises. Sem isso, o paciente pode ter crises graves, frequentes e de difícil recuperação. É muito importante que você busque orientação profissional com um pneumologista para que ele possa indicar o tratamento mais adequado para você. Até breve.

Carlos

Enfisema e asma é igual ?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Carlos, o pneumologista Luis Renato Alves explica que a enfisema pulmonar, é um problema que afeta o sistema respiratório e é causado pela inalação de agentes tóxicos nocivos. Essas substâncias levam ao desenvolvimento de um processo inflamatório nos alvéolos pulmonares, causando perda do tecido pulmonar e prejuízo nas trocas gasosas. A asma é um dos principais problemas do sistema respiratório. A doença provoca a inflamação dos brônquios, vias por onde o ar passa em direção aos pulmões, causando falta de ar, tosse, cansaço e chiado no peito. Ao receber o diagnóstico, você deve iniciar o tratamento rapidamente, já que é possível preservar sua qualidade de vida. Informa a também pneumologista Dra. Luiza Helena Degani Costa. Até logo.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.