Em que idade costuma acontecer a primeira crise de pânico?

  • +A
  • -A

As crises do transtorno do pânico ocorrem sempre de forma inesperada e em função de um medo agudo e recorrente de que algo ruim aconteça. As causas não são muito bem definidas, mas alguns fatores como genética e estresse podem influenciar. A crise de pânico pode acometer pacientes das mais diversas faixas etárias.

Transtornos que podem cursar com crises de pânico

“Não existe uma idade específica para a ocorrência de sintomas de pânico, mas epidemiologicamente o transtorno ocorre mais com adultos jovens, com idade média de 25 anos. Não há nenhum fator que explique a ocorrência em um momento específico da vida, mas sabe-se que eventos traumáticos em qualquer idade podem estar relacionados às crises de pânico”, afirma a psiquiatra Cláudia Chaves.

Segundo a especialista, uma crise de pânico pode ocorrer não apenas em um quadro de transtorno de pânico. Pode ocorrer também durante o curso de outras doenças psiquiátricas, como transtorno de ansiedade generalizada e depressão. O fator primordial para essas crises é a presença de eventos traumáticos, além do estresse e da genética.  

Sintomas e tratamento das crises de pânico

A caracterização de uma crise de pânico é de um período de intenso temor ou desconforto com sintomas de palpitação, sudorese, tremores, sensação de falta de ar ou sufocamento, náusea, sensação de tontura, medo de perder o controle ou enlouquecer, medo de morrer, sensações de formigamento, calafrios ou ondas de calor, dentre outros. Vale frisar que estes sintomas ocorrem abruptamente, com pico em 10 minutos”, afirma Dra. Claudia.

O tratamento da síndrome do pânico se baseia em psicoterapia e uso de medicamentos. A combinação de ambos é bem mais eficaz do que um único método atuando sozinho. Naturalmente, buscar ter uma boa qualidade de vida, reduzindo bastante o estresse, principalmente, também ajuda a diminuir as chances das crises voltarem a aparecer.

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Claudia Chaves

Dra. Claudia Chaves

Psiquiatria

CRM: 151077 / SP

TAGS
depressao
panico
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

6 comentários para "Em que idade costuma acontecer a primeira crise de pânico?"

Rui filho

Sinto muita presao na cabeca que vai pro ceu da boca e dentes superiores,principalmente qdo me stresso ,fico chateado preicupado,qdo ffaco alguma atividade srtressante,zonzeira,sensacao de o da dentro da cabeca etc

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Rui. Obrigado por compartilhar seu comentário conosco. Para identificar a causa dos sintomas é muito importante buscar orientação profissional, converse com seu médico para que ele possa identificar o tratamento mais adequado para você, e assim, com o tratamento trazer melhor qualidade de vida para você. Até a próxima.

Vivian Borges de souza

sinto muito medo de sair rua se tenho que resolver alfo fico ansiosa tenho tremedeira calor e frio seguido do calor passo quase o dia todo trancada no quarto sem fazer nada parece que o arquivo dentro da cabeça caui e nao consigo organizar o pensamento quando estou melhor escrevo tudo que tenho de fazer ,sou muito carente de atencao carinho mas nao tenho minha familia não acredita em depressão, nao tenho vontade de arrumar nada nem mesmo tomar banho ou de ir pra cozinha me alimentar vivo assustada e ja tentei 2 vezes suicidio mas consegiram me levar a tempo pro hospital, ja tive que ser internada uma vez hoje tenho pensamentos de morte se pulo a janela mas penso nos meus filhos nao quero morrer passo com uma psicóloga e um psiquiatra tomo velija 60 mg dois ao dia e pregabalina 150 mg um ao dia amitripitilina um comprido e vinte cinco gotas de rivotril tenho mesmo assim panico de tudo so vou pra rua se for acompanhada

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Vivian. Agradecemos por compartilhar a sua experiência conosco! Nós do Cuidados Pela Vida somos solidários ao que está sentindo, é importante lembrar que com o tratamento correto será capaz de controlar os sintomas do transtorno e ter uma qualidade de vida melhor. Desejamos sucesso no seu tratamento e recuperação!

Henrique

Eu tenho muito mais muito medo de barata faz alguns minutos que isso aconteceo então vamos la eu estava vindo para o meu quarto quando eu vi uma barata tentei matar mais n conseguir como era 2 e pouca da manhã, nao queria acordar maus pais aproposito eu tava assitindo tv na sala, voltando a historia a barata correu para de baixo da minha cama com muito medo olhei para ela como sou filho de pais evangelicos começei a horar para me alcalmar em meio a horação vi ela passando para de baixo do meu quarda-roupa que fica ao lado da minha cama minharespiração comessou a ficar ofegante mau consiguia falar com o todo poderoso entao fui converssando com ele pela mente a barata saio de baixo do guarda-roupa e veio em minha direção meu coração asselerou muito minha respiração ficou pezada rumei um dos par da minha chinela na barata e asertei a barata morreu, mas começei a ficar com um pouco tonto e vomitei um pouco de catarro la na pia do banheiro em tudo isso esqueci de falar que estava a chorar muito desde que vi aquela barata eu a vi 3 vezes e nestas 3 vezes eu gritei um pouco alto mas nao o suficiente para acordar meus pais eu quase desmaiei e falei para o poderoso -pai eu nao aguento ficar nesta casa pai me tire daq o mais rapido possivel dai eu fui me acalmando vim pesquisar isso tudo o que senti e agora estou terminando esse comentario Por favor me ajudem

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Henrique. Obrigada por compartilhar sua experiência conosco. Pelo seu relato, aparentemente, você tem fobia de baratas, a catsaridafobia. Porém apenas um médico poderá confirmar. É comum que uma pessoa que tenha algum tipo de fobia, quando exposta ao agente causador entre em uma crise de pânico, como é descrito nessa matéria: https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/ansiedade/quais-os-sintomas-de-uma-crise-de-sindrome-do-panico, o Dr. Gustavo Cahú indica que para superar o momento de crise é ideal manter a calma, sentar e procurar respirar lentamente e profundamente. Isso pode ajudar a aliviar os sintomas. No entanto, o recomendado é procurar o atendimento médico e um tratamento adequado com terapia e, se for preciso, medicamentos. Estimamos melhoras. Abraços!

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.