Qual a diferença entre transtorno de ansiedade generalizada e ansiedade social?


  • +A
  • -A

Os transtornos de ansiedade compreendem um grupo de distúrbios psiquiátricos ligados a uma exacerbação da sensação de ansiedade. É o caso do transtorno de ansiedade generalizada e da ansiedade social. Apesar de ambos serem transtornos crônicos e disfuncionais, com grandes riscos à qualidade de vida dos pacientes se não forem tratados, existem diferenças significativas entre eles.

 

Transtorno de ansiedade generalizada é marcado por excesso de preocupação no dia a dia

 


“O transtorno de ansiedade generalizada (TAG) é caracterizado por
preocupações excessivas com situações do dia a dia, como trabalho, família e dinheiro, superestimação dos riscos e sentimento de incapacidade de lidar com qualquer coisa de maneira eficaz”, afirma a psiquiatra Mônica Melo. Questões simples, como ter que ir ao banco, se tornam um verdadeiro pesadelo para um paciente com a doença.

Além da dificuldade de controlar as preocupações, o portador de transtorno de ansiedade generalizada, frequentemente apresenta irritabilidade, insônia, dificuldade de concentração e alguns sintomas físicos, como fadiga, dores no corpo, tensão muscular, tontura, boca seca, náusea, diarreia, desejo frequente de urinar, mãos úmidas e frias e sudorese.

 

Ansiedade social pode provocar o isolamento do paciente

 


Já a ansiedade social, chamada também pela sigla TAS, é caracterizada pela presença do medo de situações sociais embaraçosas, de ser julgado e humilhado. “O portador costuma desenvolver estratégias para evitar tais situações ou tentar suportá-las, podendo apresentar rubor facial, tremor das mãos e da voz, tiques nervosos, ‘branco’ quando está falando, náusea, urgência em urinar, sudorese e taquicardia”, explica a especialista.

O medo excessivo de ser avaliado negativamente por outros, pode levar o indivíduo com ansiedade social a ter menos relacionamentos amorosos e menos sucesso na carreira, além de aumentar as chances de depressão e tentativas de suicídio. Já no quadro de TAG, as preocupações levam o paciente a beber, fumar e comer mais, adiar atividades ligadas ao trabalho e aos amigos e reduzir sua vida social.

Em termos de tratamento, os dois transtornos apresentam várias semelhanças e devem ser abordados com medicações e outras medidas, como psicoterapia. A terapia cognitiva comportamental é uma abordagem com excelentes resultados e utiliza técnicas de relaxamento e psicoeducação. Mudanças de hábitos, como a higiene do sono e a prática de atividades físicas, também costumam ser úteis.

 

Dra. Mônica Melo é psiquiatra, graduada em Medicina pela Universidade Católica de Brasília e especialista em Terapia Cognitiva Comportamental pelo Instituto de Psiquiatria da USP. CRM-DF: 16685

 

Foto: Shutterstock

TAGS
ansiedade
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Qual a diferença entre transtorno de ansiedade generalizada e ansiedade social?"

Natália

Dra,Fui diagnosticada com TAG a alguns anos.Já realizei vários tratamentos, porém nas minhas gestações eu tenho recaídas.Nesse momento estou com bebê de 2 meses e apresentando crises muito fortes de pânico,assim levando a minha pressão arterial subir muito.Fui ao psiquiatra e ele me receitou só remédio para pressão,pediu para que eu voltasse depois de 10 dias com mapa da minha pressão.Ele informou que primeiro vai tratar a pressão depois a ansiedade.Meu sofrimento está muito grande,tenho 3 crianças em casa e preciso melhorar.Vc acha que deveria procurar outro médico,ou deveria seguir com o tratamento que me foi dado?Obrigada

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Natália, siga as orientações prescritas por seu médico. Em caso de dúvidas ou algum desconforto não hesite em perguntar. Abraços.

Cecília

Natália, com certeza vc está no médico errado. Vc deveria procurar um médico homeopata para tratar do todo, infelizmente o modelo da medicina convencional , tratando de partes isoladas como se fossemos um robô está totalmente ultrapassado e mais adoecedor do que não tratar nada!!!

Neila

Natália, acho que pelo sofrimento que vc relata vc deve procurar um outro médico. Um psiquiatra por exemplo, que saberá tratar desse seu problema e consequentemente de sua pressão arterial. Viver sofrendo com 3 crianças é que não dá.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.