Como diferenciar os sinais de envelhecimento da doença de Alzheimer?


  • +A
  • -A

Algumas características da doença de Alzheimer apresentam semelhanças com as mudanças que acontecem com o corpo humano ao chegar na velhice e que não caracterizam nenhum problema de saúde, sendo apenas consequências do envelhecimento. No entanto, essas semelhanças podem causar confusão, especialmente no começo do Alzheimer, atrasando a procura por um médico e o diagnóstico da doença.

Mudanças causadas pelo Alzheimer prejudicam a rotina do idoso


“No processo de envelhecimento, ocorrem lapsos de memória e uma pequena dificuldade em aprender coisas novas. Porém, estas alterações não
atrapalham as atividades do dia a dia dos idosos“, afirma a geriatra Daniela Fonseca de Almeida Gomez. No envelhecimento normal, o idoso esquece nomes de artistas, ocasionalmente guarda coisas em lugares errados, apresenta alterações de humor devido a fatos concretos e eventualmente tem dificuldade para achar palavras.

Já quem tem Alzheimer, esquece nomes de pessoas próximas, guarda coisas em lugares estranhos, tem súbitas alterações de humor sem motivos, não consegue lembrar palavras e faz substituições por outras sem sentido. “Os pacientes apresentam prejuízo da memória recente frequentemente, tornam-se repetitivos e esquecem compromisso, o que atrapalha a execução de tarefas”, diz a especialista.

Problemas com a memória são mais frequentes nos casos de Alzheimer


A melhor forma de diferenciar os sintomas do Alzheimer do envelhecimento é prestar atenção na frequência dos esquecimentos e observar se eles atrapalham o dia a dia do idoso. Assim, é possível fazer o diagnóstico precocemente e
iniciar o tratamento. “Muitas vezes, os familiares acham que a perda de memória é natural do envelhecimento e procuram o geriatra apenas quando ocorre algum fato mais marcante e grave, como episódios de agressividade ou quando o idoso se perde na rua”, destaca a profissional.

O médico, por sua vez, faz a diferenciação durante a consulta, quando o paciente ou um membro da família mostra preocupação com o prejuízo da memória. Segundo Daniela, o geriatra faz testes cognitivos que mapeiam várias áreas, como memória recente, evocação, linguagem, execução e orientação, para identificar se a perda da memória é em virtude de alguma doença ou se trata apenas do envelhecimento natural do idoso.

Dra. Daniela Fonseca de Almeida Gomez é geriatra e gerontóloga e graduada em Medicina na Faculdade de Ciências Médicas de Santos (FCMS). CRM-SP: 104817

Foto: Shutterstock

TAGS
alzheimer
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

6 comentários para "Como diferenciar os sinais de envelhecimento da doença de Alzheimer?"

Rose

Gostaria de saber o porquê a pessoa com alzaime só se lembra de um lugar do passado tipo quando morava com sua mãe e não se lembra de ter se mudado e estar morando em uma casa a mais de 30 anos e fica muito nervosa e como devo agir ou dizer neses casos e ela já tem 81 anos só se queixa 24 horas por dia que não ta em sua casa pode me ajudar por favor

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Rose, a perda de memória, em geral, é o principal sintoma da doença, e a perda da memória recente, especificamente, é sempre o primeiro sintoma que se manifesta no quadro. As memórias mais antigas, por outro lado, demoram mais para se deteriorar. Contudo, Pesquisas científicas afirmam que a leitura e a manutenção da atividade intelectual está associada à preservação das funções cognitivas, ou seja, pode impedir a perda de memória causada pelo Alzheimer. Sugerimos que procure ajuda profissional para que o médico te de orientações de como agir nessas e em outras situações. Abraços!

Gilberto Alves.

Estou atualmente com problemas com momentos da perca da memória , mas faço esforços !Na maioria sempre consigo relembrar, mas não consigo ficar “100” cento com a minha MEMÓRIA !!!Sou Vendedor de produtos perecíveis : Produtos QUEIJOS : Mussarela, Queijo Prato, Parmesão, Gorgonzola, Provolone e outros.Provolone

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Gilberto,converse com seu médico sobre os sintomas e a quantidade de eventos, as vezes problemas com a memória podem ser causados por noites de sono interrompido. Desejamos saúde e boas vendas.

Margot

Tenho 55 anos, desde meus sete anos já trabalhava e estudava para ajudar minha família, sempre fui muito , pró ativa, multi tarefas, com muita facilidade de aprender e memorizar qualquer coisa. Mas desde meus 27 anos, faço tratamento psiquiatrico e medicamentoso para TDR, TAG, e TP, em 2017 sintomas diferentes dos “habituais” chamaram atenção da minha filha (35 anos), e da minha mãe, (75anos), comecei repetidamente perguntar ” qual o dia, da semana e do mês que estamos, quando saímos, questionava várias vezes , para onde mesmo que estávamos indo, percebi redução na marcha, além de dificuldades deambulação. Em casa eu que sempre fui organizada e sempre amei fazer comidas diversas, já não consigo mais me organizar, e executar com a mesma destreza, agilidade que tinha antes, perdi vontade de me alimentar, perdi muito peso, sentia cansaço fadiga crônica extrema. Não consigo mais pagar/receber contas, não faço mais supermercado sozinha, no final de cada dia não me.lembro se tomei ou não meus medicamentos, tomei ou não banho. Tenho alterações do ciclo sono vigília, alucinações e pseudo alucinações, algumas vezes acordo durante a noite e tenho dificuldades para reconhecer meu próprio quarto, meu humor oscila muito, sinto trizteza, solidão, sinto as vezes que estou desaprendendo um monte de coisas. Numa conversação já não consigo encontrar as palavras necessárias, enfim um verdadeiro desastre. Meu psiquiatra dr Thiago Bonfim , incomodado com a situação, iniciou rastreio para demência diferencial. Ele estava certo, TC crânio desmineralização Melina, exames laboratórios B12, Ácido Fólico, Vitamina D com deficiência grave. Atualmente estou em reposição das vitaminas, (que podem levar meses), hoje voltei a me alimentar, ganhei peso, a dificuldade deambulação diminui os demais sintomas ainda permanecem. Foi aplicado testes avaliativos mentais/psiquiátricos, depois que eu ao invés de pagar minhas contas, gastei todo o dinheiro numa loja de sapatos. Após cumprir protocolo de rastreio o psiquiatra optou por iniciar tratamento para demência na D.A., pra constar meus dias nunca são mais iguais. E tenho a sensação que alguma coisa dentro da minha cabeça está se perdendo, agora lentamente. Me isolei de tudo e de todos. Confusa, tem dias que parece que eu estou morrendo, outros sinto saudades da pessoa que eu era.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Margot, obrigado por compartilhar sua história conosco. Demência é o nome dado pelos médicos e profissionais da área de saúde a um conjunto de doenças. Momentos como estes são complicados e é necessário ajuda dos familiares. Bom saber que conseguiu voltar a se alimentar pois é um passo muito importante, assim como continuar o tratamento prescrito pelo seu médico. Desejamos melhoras.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.