Mal de Alzheimer: Quais sintomas podem ser aliviados pela ação dos medicamentos?


  • +A
  • -A

O tratamento atual do mal de Alzheimer não permite curar a doença. Entretanto, os avanços da medicina têm dado mais qualidade de vida aos pacientes, inclusive na fase grave. O objetivo do tratamento com medicações é aliviar os sintomas existentes, de modo a estabilizar ou retardar a progressão da perda da memória, proporcionando mais independência nas atividades do dia a dia por mais tempo.

 

Tratamento do mal de Alzheimer torna paciente mais independente

 


“Acredita-se que parte dos
sintomas da doença de Alzheimer seja resultado da redução dos níveis de acetilcolina presentes no cérebro. Um modo possível de tratar o problema é utilizar medicações que inibem a degradação dessa substância”, afirma a geriatra Aline Bandeira. É o caso dos medicamentos compostos por inibidores da acetilcolinesterase.

Segundo a médica, o efeito esperado com o uso desta classe de medicação é uma melhora inicial dos sintomas. Evidências mostram a estabilização parcial da progressão da demência, tornando-a mais lenta. Já a cognição, o comportamento e a funcionalidade do paciente estabilizam, ou até melhoram, e os benefícios começam a ser observados entre a oitava e a 12ª semana de tratamento.

 

Medicações freiam a piora da memória em pacientes com Alzheimer

 


“A memantina é outra medicação aprovada para o tratamento da
doença de Alzheimer nas fases moderada e grave. Atua em receptores envolvidos em impulsos nervosos, em áreas do cérebro relacionadas à aprendizagem e memória, melhorando a transmissão dos sinais nervosos e, consequentemente, a memória”, explica a profissional. Há efeitos positivos para a cognição, o estado mental e para a impressão clínica global, que avalia a gravidade da doença e a resposta ao tratamento.

Os sintomas comportamentais e psicológicos podem ser tratados ainda com medicações específicas e controladas. Muitas delas, com expectativa de bons resultados, podem ser indicadas para o tratamento e o controle de agitação, agressividade, alterações do sono, depressão, ansiedade, apatia, delírios e alucinações. O mais importante é detectar a doença precocemente e iniciar o tratamento ainda no início do Alzheimer.

 

 

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Aline Ferreira Bandeira de Melo

Dra. Aline Ferreira Bandeira de Melo

Geriatria

CRM: 12235 / GO

TAGS
alzheimer
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

11 comentários para "Mal de Alzheimer: Quais sintomas podem ser aliviados pela ação dos medicamentos?"

Márcia Costa

Minha mãe é portadora de DA há _ 12 anos e já fez uso de diversos medicamentos de acordo com prescrição para cada fase da DA. Hoje ela ainda está na fase moderada. Penso eu q mesmo após tantos anos de DA ainda esteja nessa fase por conta da precocidade do tratamento, eficiências das medicações e da eficiência da sua geriatra. Agora ela faz uso do DONILADUO – MEMANTINA DONEPSILA. Ainda se alimenta com as próprias mãos, anda ( até demais ), dorme bem e não apresenta nenhum tipo de agressividade. De todos os pacientes de DA q conheço ou já ouvi relatos minha é uma das mais controladas.Apesar de muitos falarem o contrário, eu acredito muito na eficiência das medicações no q diz respeito a desaceleração e controle da DA.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Márcia, obrigada por compartilhar a história de sua mãe conosco! Abraços.

Marilene caino

Muito bom estas informações! Minha mae tem DA está numa fase muito agressiva. Vou compartilhar no face. Obrigada

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Marilene, ficamos felizes que tenha gostado! Continue por aqui para ter acesso a essas e outras informações. Abraços.

Daniela Maximiano

Meu pai está tranquilo uma vez ou outra que fica querendo ir embora ele toma doneprezila., Memantina mitarzapina

Rosita Gonçalves Favero

Eu comecei a tomar o Donepezila e no 4º comprimido vomitei muito, tive tontura e dor de cabeça. Esta dentro da normalidade?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Rosita, realize uma consulta com o médico que prescreveu o medicamento, assim ele poderá te orientar. Abraços.

Ester

Bom dia,Tenho pai com Mal de Alzheimer há 13 anos. Há meses fiz meu comentário, mas até hoje ele não foi publicado, Porque?GrataEster

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Ester, o seu comentário está na matéria “Fazer palavras cruzadas pode ajudar na luta contra o mal de Alzheimer?”. Segue o link de acesso: https://cms.cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/alzheimer/palavras-cruzadas-ajudar-alzheimer%5D
Abraços.

Jucimara

Olá, cuido de minha mãe idosa, 88 anos, iniciou com demência e evoluiu para Alzheimer . Posso dizer q o mais dificultoso é movimenta-la. Houve comprometimento dos movimentos e por vzs a fala. Não anda, totalmente dependente de nossos cuidados. Prescrito alois e donila, acredito q ambos atuam e contribuem, nunca houve episódios de agressividade. Realmente as medicações são importantes. O amor, a paciência e um ambiente tranquilo fazem toda a diferença!

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Jucimara. Obrigado por compartilhar seu relato conosco. O especialista Dr. José Eduardo Martinelli afirma que, a melhor maneira dos familiares lidarem com um paciente com doença de Alzheimer é, em primeiro lugar, entender o que é a doença e seus sintomas. Também é fundamental ter orientação para cuidar bem do paciente. Isso pode vir do médico ou de outros profissionais, como psicólogos, terapeutas ocupacionais e enfermeiros. O familiar cuidador deve ter paciência para responder as perguntas e ouvir o que já sabe, visto que está acostumado a ouvir várias vezes os mesmos discursos do paciente. Também deve ter a inteligência de buscar sempre contornar as situações. Continue por aqui para receber mais informações e dicas como essa. Até a próxima.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.