Quais são as consequências do abandono do tratamento de Alzheimer? A doença pode acelerar a progressão?

  • +A
  • -A

Cuidar de um paciente com mal de Alzheimer não é fácil. Dependendo do estágio da doença, o idoso pode precisar de ajuda para tomar banho, trocar de roupa e até para comer. Hoje, com o tratamento adequado, é possível viver bem e desacelerar a piora dos sintomas da doença. No entanto, suspender o uso ou trocar as medicações pode colocar todos os avanços em risco.

 

Interromper o tratamento do Alzheimer piora sintomas da doença

 

“O abandono do tratamento medicamentoso do Alzheimer só deve ocorrer sob recomendação médica, nos casos em que há comorbidades que contraindiquem o uso das medicações anticolinesterásicas”, afirma o geriatra Ricardo Komatsu. Se você ou o idoso não estiverem de acordo ou estejam enfrentando dificuldades com algum aspecto do tratamento, é essencial conversar com o geriatra antes de tomar qualquer decisão.

“Abdicar dos medicamentos sem que haja recomendação pode não só acelerar a progressão da doença como também acarretar em grandes prejuízos à qualidade de vida do paciente no longo prazo, uma vez que o tempo em que ele estará apto a exercer suas atividades e a interagir com os demais pode ser consideravelmente reduzido”, diz o profissional.

 

Medicação indicada para Alzheimer ajuda a melhorar a memória recente

 

De acordo com o geriatra e pneumologista José Eduardo Martinelli, a prescrição dos medicamentos de ação anticolinesterásica tem como objetivo melhorar a memória e algumas alterações no comportamento do seu familiar com Alzheimer. “O mecanismo pelo qual isso ocorre leva a um aporte maior da acetilcolina na fenda sináptica, provocando uma melhora na memória recente”, explica o especialista.

Martinelli diz que, antes de ter esse medicamento à disposição, a expectativa de vida do idoso diagnosticado com mal de Alzheimer era de apenas cinco anos. Já com o uso, o prognóstico melhorou consideravelmente, em especial, se outras medidas forem adotadas, como atividades cognitivas, alimentação saudável, controle de outras doenças e convívio com a família.

 

 

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. José Eduardo Martinelli

Dr. José Eduardo Martinelli

Geriatria

CRM: 27875 / SP

Dr. Ricardo Komatsu

Dr. Ricardo Komatsu

Geriatria

CRM: 56604 / SP

TAGS
alzheimer

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

22 comentários para "Quais são as consequências do abandono do tratamento de Alzheimer? A doença pode acelerar a progressão?"

Anapaula

Meu sogro ,tem 89anos ele é um senhor bem forte ,come bem ,o único problema é que acada uma hora ele pede café,não sei se ele se esqueceu que já tomou,mais não adianta lembrá-lo pois em alguns segundos ele volta a pedir.e ele fala muito alto pedindo ,as frases dele do dia dia é,quero café,quero café repetidamente até nos não aguentar mais de tantos gritos e daí damos o café ,mais penso ser muito preocupante ,ele tem problema na próstata e toma medicamento ,combodaste.e não damos nenhum outro remédio ,para ele porém o único problema dele é claro o esquecimento ,repetições diária de palavras,e dificuldade de se vestir , e tomar banho claro ele anda bem ,mais sempre temos que star de olho pois ele anda meio desequilibrado e não gosta de caminhar e quando estar em público começa chingar e pedi para ir embora por que estar com fome .o que estes sinal pode ser pois estou mega cansada me ajude seria realmente nescessário remédios ajudaria significada mente ele . obrigada pela atenção.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Ana Paula, leve-o para uma consulta com o geriatra, relate sobre os comportamentos que você têm observado, assim ele poderá auxiliá-los. Abraços.

Marilda Lemos Pereira

A neurologista que está tratando do meu esposo que foi diagnosticado com. Alzheimer, receitou o suplemento Souvenaid além dos outros medicamentos para a doença.Gostaria de saber se realmente este suplemento funciona, porque ainda não comprei devido a dificuldade financeira por ser um produto caro. Muito obrigada.

Cemilia Cardoso

Minha tomava donila duo. E o geriatra trocou por risperidona. Foi uma boa troca?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Cemilia, a orientação passada pelo geriatra é de extrema importância para seu tratamento, portanto é necessário seguir as recomendações. Abraços.

Reinaldo

Aos 93 anos, depois de tomografia que revelou pequenas isquemias no cérebro, foi prescrito pelo neurologista o uso de donepezila. Levado ao geriatra teve a medicação suspensa sob alegação de que nesta idade não surtiria nenhum efeito. Gentileza comentar.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Reinaldo, é necessário informar ao seu neurologista de que você teve a medicação suspensa para que ele possa realizar a indicação de um novo tratamento com algum outro medicamento. Até logo.

Edilva Inácio de Oliveira

Meu pai tem 54 anos e foi diagnosticado com Alzheimer não gosta de receber ajuda de ninguém da família ele não toma banho fica dias com mesma roupa temos que insistir muito para se limpar e tem alguns delírios também não gosta de sair de casa para nada pede janta fora de hora é normal isso? As vezes fico perdida sem saber o que fazer

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Edilva, Para tratar delírios e alucinações, medicamentos antipsicóticos podem ser utilizados mas sempre com a prescrição de um psiquiatra. A medicação é essencial para o tratamento, sem ela, o paciente não se estabilizará e manterá os sintomas e a progressão da doença mental. Os pacientes também podem apresentar insônia, agressividade, depressão e ansiedade. Iniciar o tratamento é fundamental para controlá-los. Até logo.

SIMONE SOUZA

O neurologista de minha avó passou Excelan Patch 5m para o Alzheimer, ainda não tive condições de comprar.Gostaria de saber se surte efeito mesmo, principalmente com a memoria recente?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Simone, seguir o tratamento indicado pelo médico é muito importante no tratamento de qualquer doença, com o alzheimer não é diferente. Siga as orientações passadas pelo seu neurologista, geriatra ou outro profissional que realiza o acompanhamento da doença para que os sintomas possam ser minimizados melhorando a qualidade de vida do paciente. Abraços.

Cristiane

Oi..minha tia tem 84 anos, descobrimos a 1 ano mais ou menos, q ela está com Alzheimer,mas de um mês para cá ela está muito agressiva não só com palavras mas q agredir qdo é contráriada e fala q as pessoas roubam ela… Não sei o q fazer estou ficando com medo….ela fica com muita raiva…

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Cristiane, procurar um médico geriatra para que se inicie o tratamento é muito importante para minimizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida tanto do paciente quanto do cuidador e/ou familiares. Temos mais uma matéria que pode te ajudar com mais algumas informações adicionais sobre a doença. Até breve.

https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/alzheimer/nao-discutir-paciente-doenca-de-alzheimer

Sandra

Meu pai tem 83 anos e tem alzheimer há uns 5 anos. Toma varios medicamentos (Heimer/ Donila/Velija/Quetiapina, alėm de Pantoprazol/ Tansulosina/ Xarelto. Desejo saber o que pode ocorrer se for reduzindo a medicação até retirar totalmrnte?? Obg.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Sandra, conforme informado na matéria o abandono do tratamento medicamentoso do Alzheimer só deve ocorrer sob recomendação médica. Deixar de utilizar os medicamentos sem que haja recomendação pode não só acelerar a progressão da doença como também acarretar em grandes prejuízos para o paciente. Até logo.

Cristina

Oi cuido de uma senhora que toma vários medicamentos para Alzheimer ela é agressiva se não toma clonazepam .toma epez. Donila . E vários outros fica o dia praticamente dopada como reverter isso

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Cristina. Enviamos um e-mail para ter mais informações sobre seu relato. Até breve.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.