Herpes genital: tratamento é diferente da doença na boca?

  • +A
  • -A

Por mais que o herpes genital e o labial sejam manifestações em locais diferentes, o vírus em questão é o mesmo, o que significa que o tratamento adotado deverá ser também o mesmo. Independente do tipo do herpes, o tratamento a ser seguido deve ser sempre indicado por um médico especialista e iniciado o mais cedo possível, assim que os primeiros sintomas surgirem.  

Principais características do herpes genital


“O
tratamento contra herpes genital é o mesmo do herpes labial. Ambos são tratados com antiviral oral, na mesma dosagem e pelo mesmo período de tempo. Nos casos de primeira infecção ou de pacientes que têm imunidade baixa, o tempo de tratamento é mais prolongado”, informa a dermatologista Juliana Fonte. Vale ressaltar que manter a imunidade sempre alta reduz o risco de crises (exacerbação dos sintomas).  

Ainda segundo a especialista, é importante ter o conhecimento de que os indivíduos com herpes genital são capazes de transmitir a doença mesmo quando estão sem lesões. Ou seja, neste caso específico, as chances de transmissão são maiores. Como uma das principais formas de transmissão do herpes genital é a relação sexual, o paciente deve sempre ter em mãos preservativos para não transmitir o vírus para outras pessoas.

Deve-se ter em mente que o herpes é um vírus extremamente comum, que infecta o organismo da maioria das pessoas. Porém, em muitas o vírus fica em estado latente (“adormecido”), sem nunca apresentarem sintomas. De acordo com a Sociedade brasileira de Dermatologia (SBD), 99% da população adulta já adquiriu imunidade na infância e adolescência ao herpes simplex.

Tratamento medicamentoso com lisina


O tratamento medicamentoso contra o herpes é muito importante e ganha força no combate à doença quando tem lisina na sua composição. Estudos apontam que este aminoácido é eficaz na redução das
infecções de repetição causadas pelo herpes simples. É importante saber que a lisina não é produzida pelo organismo e pode também ser obtida por meio da alimentação.     

 

Dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD):

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/herpes/68/

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Juliana Fonte

Dra. Juliana Fonte

Dermatologia

CRM: 32136 / RS

TAGS
herpes
herpes-genital
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

6 comentários para "Herpes genital: tratamento é diferente da doença na boca?"
Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.