Produtos Participantes

Não tome medicamentos sem a orientação do seu médico. A persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.

Produto

Carregando...
Diosmin

Não tome medicamentos sem a orientação do seu médico. A persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.

Compre Agora

Diosmin

Princípio ativo: Diosmina, hesperidina

Apresentação: Comprimido - MS 1.0573.0248 | Granulado - MS 1.0573.0383

Indicação: Diosmin é indicado no tratamento sintomático das varizes e de outros sintomas relacionados à Insuficiência Venosa Crônica como dor nas pernas, sensação de queimação, inchaços e etc. Diosmin é indicado no tratamento dos sintomas relacionados à insuficiência venosa do plexo hemorroidário (hemorroidas) como dor, inchaço local, sensação de queimação e sangramento.

Contraindicação: Embora não se conheça, até o momento, nenhuma contraindicação absoluta para o uso de Diosmin, o mesmo deve ser evitado em pacientes que apresentem reações alérgicas a quaisquer componentes da sua formulação.

  • COMPOSIÇÃO
  • POSOLOGIA
  • INFORMAÇÕES
  • VER BULA
Cada comprimido revestido de Diosmin contém:

Fração flavonoica purificada, sob forma micronizada de:

diosmina ......................................................................................... 450 mg

flavonoides expressos em hesperidina.............................................. 50 mg

Excipientes: crospovidona, dióxido de silício, dióxido de titânio, estearato de magnésio, laurilsulfato de sódio, manitol, Opadry II, povidona, corante azul FDC 2 laca e corante vermelho Ponceau 4R laca.
Você deve usar Diosmin apenas sob a orientação médica.

A via de administração de Diosmin é oral.

A posologia usual é de 2 comprimidos revestidos ao dia: um pela manhã e outro a noite, de preferência durante as refeições.

Nas crises hemorroidárias, a dose deve ser aumentada para 2 comprimidos, 3 vezes ao dia, por 4 dias seguido de 2 comprimidos, 2 vezes ao dia, por 3 dias.

O uso de Diosmin por via de administração não recomendada pode acarretar riscos de reações desagradáveis e falta de efeito clínico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Diosmin atua sobre as veias do sistema circulatório, diminuindo a distensibilidade e a estase venosa (dificuldade de circulação do sangue), melhorando o tônus venoso; na microcirculação, normaliza a permeabilidade e reforça a resistência dos vasos capilares, o que resulta em uma diminuição do edema (inchaço) de origem venosa.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não há, até o momento, dados sobre o uso de Diosmin em portadores de insuficiência hepática ou renal. Caso você tenha antecedente ou esteja em tratamento por doenças que afetam os rins e o fígado, avise seu médico antes de iniciar o tratamento com este medicamento.

A administração de Diosmin para o tratamento sintomático de crise hemorroidária aguda não substitui o tratamento específico e seu uso deve ser feito por um curto tempo. Caso os sintomas não regridam rapidamente ou se agravem, o médico deverá ser avisado.

Diosmin não deve ser utilizado em crianças e adolescentes (com idade inferior a 18 anos).
Os estudos realizados em animais de laboratório não demonstraram toxicidade em relação às funções de reprodução. Ainda assim, o uso de Diosmin em gestantes e lactantes deverá ser cauteloso, considerando risco / benefício.
As substâncias ativas de Diosmin foram avaliadas, através de estudos clínicos, em pacientes grávidas no último trimestre de gestação e que apresentavam quadro de crise hemorroidária. O medicamento foi considerado eficaz e seguro nesta fase gestacional.

Lactação: em razão da ausência de dados extensos sobre a passagem deste medicamento para o leite materno, a amamentação não é recomendada durante o tratamento. Este medicamento não deve utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não há relatos de interações medicamentosas com as substâncias ativas do produto Diosmin.

Não há referências a restrições de uso do produto junto com alimentos. Não há informação sobre alterações de exames laboratoriais pelas substâncias ativas deste medicamento.

Efeito na capacidade de dirigir e operar máquinas:
Apesar de não haverem estudos específicos avaliando o efeito desta medicação sobre a habilidade de dirigir e operar máquinas, baseando-se no mecanismo de ação e no perfil de segurança, não é esperado ocorrer influência significativa sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30oC). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Diosmin é um comprimido revestido oblongo liso de revestimento rosa e núcleo bege.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso você esqueça de tomar uma das doses de Diosmin, deverá fazer uso da mesma assim que lembrar, exceto nos casos em que o horário da próxima dose já esteja muito próximo. Não é recomendável dobrar a dose de Diosmin em caso de esquecimento de uma das tomadas.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Raramente ocorrem reações desagradáveis com o uso de Diosmin. No entanto, a administração do produto poderá ocasionar reações comuns (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) como: cefaleia (dor de cabeça), náuseas, dor abdominal, dispepsia, diarreia, insônia, sonolência e mialgia (dor nos músculos). Dor musculoesquelética foi relatada em estudo clínico com o produto, com frequência de 3,2%.

A literatura cita ainda as seguintes reações adversas, sem frequência conhecidas: cansaço, vômito, dor epigástrica e alterações na pele, não obrigando nunca a interrupção do tratamento.

Existem casos relatados de eczema (doença de pele na qual surge lesões sob forma de placas, manchas ou bolhas) e pitiríase rósea após administração oral de formulações contendo diosmina e hesperidina. Esses efeitos, porém, regridem completamente após descontinuação da medicação.

Foram relatados ainda sintomas como tontura, vertigem, ansiedade e fadiga ao tratamento com diosmina e hesperidina.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não há relatos de superdosagem com Diosmin.

Caso isso ocorra, procure imediatamente um Serviço Médico de Emergência e informe, se possível, o número de doses tomadas e o horário. Baseado no perfil de efeitos adversos observados em doses habituais é possível que ocorram manifestações gastrointestinais mais intensas como náuseas, vômitos, dor abdominal, diarreia e cefaleia.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.
DIOSMIN

diosmina + hesperidina

APRESENTAÇÕES

Comprimidos revestidos 450 mg + 50 mg: embalagens com 10, 30 ou 60 comprimidos.

USO ORAL USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada comprimido revestido de Diosmin contém:

Fração flavonoica purificada, sob forma micronizada de:

diosmina ......................................................................................... 450 mg

flavonoides expressos em hesperidina.............................................. 50 mg

Excipientes: crospovidona, dióxido de silício, dióxido de titânio, estearato de magnésio, laurilsulfato de sódio, manitol, Opadry II, povidona, corante azul FDC 2 laca e corante vermelho Ponceau 4R laca.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

1) PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Diosmin é indicado no tratamento sintomático das varizes e de outros sintomas relacionados à Insuficiência Venosa Crônica como dor nas pernas, sensação de queimação, inchaços e etc.
Diosmin é indicado no tratamento dos sintomas relacionados à insuficiência venosa do plexo hemorroidário (hemorroidas) como dor, inchaço local, sensação de queimação e sangramento.

2) COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Diosmin atua sobre as veias do sistema circulatório, diminuindo a distensibilidade e a estase venosa (dificuldade de circulação do sangue), melhorando o tônus venoso; na microcirculação, normaliza a permeabilidade e reforça a resistência dos vasos capilares, o que resulta em uma diminuição do edema (inchaço) de origem venosa.

3) QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Embora não se conheça, até o momento, nenhuma contraindicação absoluta para o uso de Diosmin, o mesmo deve ser evitado em pacientes que apresentem reações alérgicas a quaisquer componentes da sua formulação.

4) O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não há, até o momento, dados sobre o uso de Diosmin em portadores de insuficiência hepática ou renal. Caso você tenha antecedente ou esteja em tratamento por doenças que afetam os rins e o fígado, avise seu médico antes de iniciar o tratamento com este medicamento.
A administração de Diosmin para o tratamento sintomático de crise hemorroidária aguda não substitui o tratamento específico e seu uso deve ser feito por um curto tempo. Caso os sintomas não regridam rapidamente ou se agravem, o médico deverá ser avisado.

Diosmin não deve ser utilizado em crianças e adolescentes (com idade inferior a 18 anos).
Os estudos realizados em animais de laboratório não demonstraram toxicidade em relação às funções de reprodução. Ainda assim, o uso de Diosmin em gestantes e lactantes deverá ser cauteloso, considerando risco / benefício.

As substâncias ativas de Diosmin foram avaliadas, através de estudos clínicos, em pacientes grávidas no último trimestre de gestação e que apresentavam quadro de crise hemorroidária. O medicamento foi considerado eficaz e seguro nesta fase gestacional. Lactação: em razão da ausência de dados extensos sobre a passagem deste medicamento para o leite materno, a amamentação não é recomendada durante o tratamento.

Este medicamento não deve utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Não há relatos de interações medicamentosas com as substâncias ativas do produto Diosmin.

Não há referências a restrições de uso do produto junto com alimentos. Não há informação sobre alterações de exames laboratoriais pelas substâncias ativas deste medicamento.

Efeito na capacidade de dirigir e operar máquinas:
Apesar de não haverem estudos específicos avaliando o efeito desta medicação sobre a habilidade de dirigir e operar máquinas, baseando-se no mecanismo de ação e no perfil de segurança, não é esperado ocorrer influência significativa sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5) ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30oC). Proteger da luz e umidade.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Diosmin é um comprimido revestido oblongo liso de revestimento rosa e núcleo bege.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

6) COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você deve usar Diosmin apenas sob a orientação médica.

A via de administração de Diosmin é oral.

A posologia usual é de 2 comprimidos revestidos ao dia: um pela manhã e outro a noite, de preferência durante as refeições.

Nas crises hemorroidárias, a dose deve ser aumentada para 2 comprimidos, 3 vezes ao dia, por 4 dias seguido de 2 comprimidos, 2 vezes ao dia, por 3 dias.

O uso de Diosmin por via de administração não recomendada pode acarretar riscos de reações desagradáveis e falta de efeito clínico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

7) O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Caso você esqueça de tomar uma das doses de Diosmin, deverá fazer uso da mesma assim que lembrar, exceto nos casos em que o horário da próxima dose já esteja muito próximo. Não é recomendável dobrar a dose de Diosmin em caso de esquecimento de uma das tomadas.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

8) QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Raramente ocorrem reações desagradáveis com o uso de Diosmin. No entanto, a administração do produto poderá ocasionar reações comuns (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento) como: cefaleia (dor de cabeça), náuseas, dor abdominal, dispepsia, diarreia, insônia, sonolência e mialgia (dor nos músculos). Dor musculoesquelética foi relatada em estudo clínico com o produto, com frequência de 3,2%.

A literatura cita ainda as seguintes reações adversas, sem frequência conhecidas: cansaço, vômito, dor epigástrica e alterações na pele, não obrigando nunca a interrupção do tratamento.

Existem casos relatados de eczema (doença de pele na qual surge lesões sob forma de placas, manchas ou bolhas) e pitiríase rósea após administração oral de formulações contendo diosmina e hesperidina. Esses efeitos, porém, regridem completamente após descontinuação da medicação.

Foram relatados ainda sintomas como tontura, vertigem, ansiedade e fadiga ao tratamento com diosmina e hesperidina.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

9) O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não há relatos de superdosagem com Diosmin.

Caso isso ocorra, procure imediatamente um Serviço Médico de Emergência e informe, se possível, o número de doses tomadas e o horário. Baseado no perfil de efeitos adversos observados em doses habituais é possível que ocorram manifestações gastrointestinais mais intensas como náuseas, vômitos, dor abdominal, diarreia e cefaleia. Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.

Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS

MS - 1.0573.0248
Farmacêutica Responsável: Gabriela Mallmann CRF-SP 30.138

Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.

Via Dutra, km 222,2 Guarulhos - SP
CNPJ 60.659.463/0001-91 Indústria Brasileira

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICAEsta bula foi aprovada pela ANVISA em 17/04/2015.
Download da Bula

Quero me cadastrar!

Clique aqui e cadastre-se para obter os benefícios do programa.

CADASTRE-SE

Temas Populares

Fique por Dentro

Os sintomas das varizes podem ficar mais fortes à noite? Por quê?

Dores no corpo

Os sintomas das varizes podem ficar mais fortes à noite? Por quê?

cuidados-e-bem-estar

Dores no corpo

Os sintomas das varizes tendem a ficar mais intensos à noite, pois ao longo do dia ocorre um acúmulo de sangue nos membros inferiores. Este acúmulo está muito ligado ao fato das pessoas ficarem em pé ou sentadas nos períodos do dia em que estão ativas,
Varizes podem causar trombose?

Varizes

Varizes podem causar trombose?

saude-e-tratamento

Varizes

A trombose venosa, por definição, é a presença de um coágulo dentro de uma veia. Pode ser superficial, quando o coágulo está em uma veia localizada logo abaixo da pele, ou profunda, quando a veia acometida está no meio dos músculos das pernas ou dentro da
O uso de anticoncepcionais é um fator de risco para varizes?

Varizes

O uso de anticoncepcionais é um fator de risco para varizes?

saude-e-tratamento

Varizes

As varizes são veias que, devido a problemas na circulação sanguínea, acumulam sangue em determinada área do corpo, principalmente nas pernas, se dilatam e entortam, causando dor, inchaço e sensação de queimação. As mulheres que tomam anticoncepcionais devem conversar com um ginecologista ou
Dor nas pernas pela manhã podem não ser um sintoma das varizes?

Varizes

Dor nas pernas pela manhã podem não ser um sintoma das varizes?

saude-e-tratamento

Varizes

As dores nas pernas são muito características do quadro de varizes e, assim como os demais sintomas, muitas vezes não aparece logo pela manhã, então é possível que o paciente ao acordar não sinta nenhum incômodo. De acordo com o angiologista Rodrigo Fukushima, isso ocorre porque
Qual é a diferença entre varizes e vasinhos? Saiba identificar!

Varizes

Qual é a diferença entre varizes e vasinhos? Saiba identificar!

saude-e-tratamento

Varizes

Dores, inchaço, formigamento e queimação nas pernas são os principais sintomas das varizes, dilatações das veias que atrapalham o fluxo sanguíneo. As varizes e os "vasinhos" são, essencialmente, o mesmo problema de saúde. A diferenciação é feita com base
Qual é a importância de exercícios para tonificar a panturrilha na prevenção das varizes?

Pernas e Braços

Qual é a importância de exercícios para tonificar a panturrilha na prevenção das...

meu-corpo

Pernas e Braços

Varizes: o que são as úlceras varicosas?

Pernas e Braços

Varizes: o que são as úlceras varicosas?

meu-corpo

Pernas e Braços

As úlceras na pele são o último estágio da insuficiência venosa crônica, doença que envolve o aparecimento de varizes dos membros inferiores. Normalmente, elas surgem depois de pequenos traumas e se formam por causa da fragilidade da pele e dos vasos sanguíneos. As úlceras podem ser
Varizes sem tratamento podem afastar as pessoas do trabalho?

Pernas e Braços

Varizes sem tratamento podem afastar as pessoas do trabalho?

meu-corpo

Pernas e Braços

As varizes provocam sintomas incômodos capazes de atrapalhar significativamente a qualidade de vida. Quando não tratadas, elas podem fazer com que o paciente precise se afastar de suas atividades profissionais, pelo menos presencialmente, visto que a locomoção até o trabalho se torna inviável pela dificuldade de se movimentar
Os vasinhos provocam mais dores que as varizes?

Pernas e Braços

Os vasinhos provocam mais dores que as varizes?

meu-corpo

Pernas e Braços

As varizes nada mais são do que veias “saltadas”, ou seja, tortuosas e dilatadas. Elas vêm acompanhadas de vasos menores, chamados de “vasinhos” ou microvarizes, que também são bastante perceptíveis. Tanto as varizes quanto os vasos de menor calibre causam dor, porém estes últimos nem sempre
O que é escleroterapia? Tratamento é realizado contra vasinhos nas pernas

Pernas e Braços

O que é escleroterapia? Tratamento é realizado contra vasinhos nas pernas

meu-corpo

Pernas e Braços

Como é o desconforto sentido pelos pacientes com varizes?

Pernas e Braços

Como é o desconforto sentido pelos pacientes com varizes?

meu-corpo

Pernas e Braços

Os pacientes com varizes dos membros inferiores tendem a apresentar diferentes incômodos, tais como dor, queimação, sensação de peso e cansaço nas pernas, inchaço, prurido e formigamento. Estes sintomas normalmente pioram ao longo do dia, sendo mais intensos no final do dia e à noite.  

Sintomas

Varizes: por que a doença causa sensação de queimação nas pernas?

Pernas e Braços

Varizes: por que a doença causa sensação de queimação nas pernas?

meu-corpo

Pernas e Braços

As varizes são veias que se deformaram e incharam devido a problemas na circulação sanguínea. Elas nem sempre se resumem a questões estéticas, podendo ser, na verdade, um problema de saúde que requer cuidados médicos. Um dos sintomas da doença é a sensação de