Produtos Participantes

Não tome medicamentos sem a orientação do seu médico. A persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.

Produto

Carregando...
Artrolive

Não tome medicamentos sem a orientação do seu médico. A persistirem os sintomas, o médico deverá ser consultado.

Compre Agora

Artrolive

Princípio ativo: Condroitina sulfato, glicosamina sulfato

Apresentação: Cápsulas - MS 1.0573.0286 | Sachê - MS 1.0573.0286

Indicação: Artrolive é indicado para osteoartrite, osteoartrose ou artrose em todas as suas manifestações.

Contraindicação: Você não deve tomar Artrolive se tiver hipersensibilidade (alergia) a quaisquer dos componentes de sua fórmula. Artrolive é contraindicado para uso durante a gravidez e lactação.

  • COMPOSIÇÃO
  • POSOLOGIA
  • INFORMAÇÕES
  • VER BULA
Cada cápsula de Artrolive contém:

sulfato de glicosamina .........500 mg

sulfato de condroitina ..........400 mg

Excipiente: estearato de magnésio.
Adultos:

Recomenda-se o tratamento com a prescrição de 1 cápsula via oral 3 vezes ao dia. Como os efeitos do medicamento se iniciam em média após a terceira semana de tratamento, deve-se ter em mente que a continuidade e a não-interrupção do tratamento são fundamentais para se alcançar os benefícios analgésicos e de mobilidade articular.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.
COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Artrolive é um medicamento cuja ação principal se faz sobre a cartilagem que reveste as articulações. O uso do medicamento por períodos superiores a 3 semanas demonstrou uma ação regeneradora da cartilagem, trazendo como consequência indireta a diminuição da dor e da limitação dos movimentos comuns às doenças da cartilagem.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Recomenda-se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas, durante o tratamento com Artrolive.
Nos casos de história de úlcera gástrica pregressa é necessário avaliação médica e acompanhamento.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Interações medicamentosas:

Você não deve usar Artrolive junto com os medicamentos abaixo:
Gravidade maior (redução da eficácia das substâncias descritas abaixo).

Medicamento: doxorrubicina, etoposideo e teniposideo.
Gravidade moderada (elevação dos níveis séricos (no sangue) do INR (Índice Internacional Normalizado-tipo de exame usado para determinar a tendência de coagulação do sangue) e aumento dos efeitos anticoagulantes, com risco de sangramento).

Medicamento: varfarina, ancrod, anisindiona, acenocumarol, antitrombina humana III, bivalirudina, danaparoide, defibrotide, sulfato de dermatano, desirudina, dicumarol, polisulfato de sódico de pentosan, fenindiona, fenprocumona, fondaparinux e heparina.
Gravidade menor (redução da eficácia dos agentes antidiabéticos)

Medicamento: acarbose, clorpropamida, acetohexamida, glimepirida, gliburida, glipizida, metformina, miglitol, pioglitazona, repaglinida, rosiglitazona, tolazamida, tolbutamida e troglitazona.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Você deve conservar Artrolive em temperatura ambiente (entre 15 e 30oC), ao abrigo da luz e umidade.
Desde que respeitados os cuidados de armazenamento, o medicamento apresenta uma validade de 24 meses a contar da data de sua fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Artrolive é uma cápsula alongada, com o corpo branco e tampa roxa, contendo pó de coloração creme levemente granuloso.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

O esquecimento de uma ou mais doses desta medicação não trará efeitos graves para o paciente, porém, dificultará a obtenção dos resultados desejados no controle da dor e melhora da mobilidade. No caso de esquecimento de uma ou mais doses deve-se proceder tomando a próxima dose no horário de costume e continuar sua tomada três vezes ao dia, ou conforme orientação médica.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

As reações desagradáveis (adversas) que podem ocorrer são:

Reação incomum (> 1/1.000 e < 1/ 100): sonolência, cefaleia (dor de cabeça) e insônia foram relatadas. Edema periférico (inchaço nas extremidades) e taquicardia (aceleração das batidas do coração) foram relatados com a administração do sulfato de glicosamina oral em pacientes com osteoartrite. A relação causal não foi estabelecida.

Reações cutâneas (reações na pele) como eritema (manchas avermelha- das na pele de tamanho variável) e prurido (coceira) tem sido relatadas como complicações raras do sulfato de glicosamina oral.

Náuseas (enjoo), dispepsia (sensação de desconforto na digestão), vômitos, dor abdominal ou dor epigástrica (dor na parte média superior do abdomen), constipação (prisão de ventre), diarreia, azia, anorexia (perda ou dimuição do apetite) foram raramente descritos durante terapia de osteoartrite com sulfato de glicosamina.
Em um estudo aberto (n=1208), com 1,5 g diários de glicosamina, os eventos adversos mais comuns foram a dor/sensibilidade epigástrica (3.5% dos pacientes), azia (2.7%), diarreia (2.5%) e náusea (1%).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o apareci- mento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não estão descritos casos de intoxicação aguda com agentes condroprotetores (medicamento utilizado na artrose) sendo que alterações fisiológicas decorrentes de tal situação devem ser essencialmente tratadas com medidas sintomáticas e de suporte. Não há quadro clínico típico resultante de altas doses com glicosamina ou condroitina.

As medidas terapêuticas a serem tomadas em casos de altas doses de Artrolive são tratamento dos sintomas e de supor- te os quais devem ser administrados em caso de complicações, tais como: hipotensão (pressão arterial baixa), insuficiência renal (redução da capacidade de filtração do rim), convulsões, irritação gastrintestinal e depressão respiratória.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medica- mento, se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.
ARTROLIVE

sulfato de glicosamina sulfato de condroitina

APRESENTAÇÕES

Apresentações: 10, 30 e 90 cápsulas

USO ORAL USO ADULTO

COMPOSIÇÃO

Cada cápsula de Artrolive contém:

sulfato de glicosamina ........500 mg

sulfato de condroitina ..........400 mg

Excipiente: estearato de magnésio.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

Artrolive é indicado para osteoartrite, osteoartrose ou artrose em todas as suas manifestações.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Artrolive é um medicamento cuja ação principal se faz sobre a cartilagem que reveste as articulações. O uso do medicamento por períodos superiores a 3 semanas demonstrou uma ação regeneradora da cartilagem, trazendo como consequência indireta a diminuição da dor e da limitação dos movimentos comuns às doenças da cartilagem.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Você não deve tomar Artrolive se tiver hipersensibilidade (alergia) a quaisquer dos componentes de sua fórmula.

Artrolive é contraindicado para uso durante a gravidez e lactação.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Recomenda-se evitar a ingestão de bebidas alcoólicas, durante o tratamento com Artrolive.

Nos casos de história de úlcera gástrica pregressa é necessário avaliação médica e acompanhamento.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Interações medicamentosas:

Você não deve usar Artrolive junto com os medicamentos abaixo:

Gravidade maior (redução da eficácia das substâncias descritas abaixo).

Medicamento: doxorrubicina, etoposideo e teniposideo.

Gravidade moderada (elevação dos níveis séricos (no sangue) do INR (Índice Internacional Normalizado-tipo de exame usado para determinar a tendência de coagulação do sangue) e aumento dos efeitos anticoagulantes, com risco de sangramento).

Medicamento: varfarina, ancrod, anisindiona, acenocumarol, antitrombina humana III, bivalirudina, danaparoide, defibrotide, sulfato de dermatano, desirudina, dicumarol, polisulfato de sódico de pentosan, fenindiona, fenprocumona, fondaparinux e heparina.

Gravidade menor (redução da eficácia dos agentes antidiabéticos)

Medicamento: acarbose, clorpropamida, acetohexamida, glimepirida, gliburida, glipizida, metformina, miglitol, pioglitazona, repaglinida, rosiglitazona, tolazamida, tolbutamida e troglitazona.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Você deve conservar Artrolive em temperatura ambiente (entre 15 e 30oC), ao abrigo da luz e umidade.

Desde que respeitados os cuidados de armazenamento, o medicamento apresenta uma validade de 24 meses a contar da data de sua fabricação.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Artrolive é uma cápsula alongada, com o corpo branco e tampa roxa, contendo pó de coloração creme levemente granuloso.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Adultos:

Recomenda-se o tratamento com a prescrição de 1 cápsula via oral 3 vezes ao dia. Como os efeitos do medicamento se iniciam em média após a terceira semana de tratamento, deve-se ter em mente que a continuidade e a não-interrupção do tratamento são fundamentais para se alcançar os benefícios analgésicos e de mobilidade articular.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

O esquecimento de uma ou mais doses desta medicação não trará efeitos graves para o paciente, porém, dificultará a obtenção dos resultados desejados no controle da dor e melhora da mobilidade. No caso de esquecimento de uma ou mais doses deve-se proceder tomando a próxima dose no horário de costume e continuar sua tomada três vezes ao dia, ou conforme orientação médica.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

As reações desagradáveis (adversas) que podem ocorrer são:

Reação incomum (> 1/1.000 e < 1/ 100): sonolência, cefaleia (dor de cabeça) e insônia foram relatadas. Edema periférico (inchaço nas extremidades) e taquicardia (aceleração das batidas do coração) foram relatados com a administração do sulfato de glicosamina oral em pacientes com osteoartrite. A relação causal não foi estabelecida.

Reações cutâneas (reações na pele) como eritema (manchas avermelhadas na pele de tamanho variável) e prurido (coceira) tem sido relatadas como complicações raras do sulfato de glicosamina oral.

Náuseas (enjoo), dispepsia (sensação de desconforto na digestão), vômitos, dor abdominal ou dor epigástrica (dor na parte média superior do abdomen), constipação (prisão de ventre), diarreia, azia, anorexia (perda ou dimuição do apetite) foram raramente descritos durante terapia de osteoartrite com sulfato de glicosamina.

Em um estudo aberto (n=1208), com 1,5 g diários de glicosamina, os eventos adversos mais comuns foram a dor/sensibilidade epigástrica (3.5% dos pacientes), azia (2.7%), diarreia (2.5%) e náusea (1%).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não estão descritos casos de intoxicação aguda com agentes condroprotetores (medicamento utilizado na artrose) sendo que alterações fisiológicas decorrentes de tal situação devem ser essencialmente tratadas com medidas sintomáticas e de suporte. Não há quadro clínico típico resultante de altas doses com glicosamina ou condroitina.

As medidas terapêuticas a serem tomadas em casos de altas doses de Artrolive são tratamento dos sintomas e de suporte os quais devem ser administrados em caso de complicações, tais como: hipotensão (pressão arterial baixa), insuficiência renal (redução da capacidade de filtração do rim), convulsões, irritação gastrintestinal e depressão respiratória.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medica- mento, se possível.

Em caso de intoxicação ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações sobre como proceder.

DIZERES LEGAIS

MS - 1.0573.0286

Farmacêutica Responsável: Gabriela Mallmann CRF-SP no 30.138

Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.

Via Dutra, km 222,2
Guarulhos - SP

CNPJ 60.659.463/0001-91 Indústria Brasileira

Esta bula foi aprovada pela Anvisa em 03/05/2013.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.
Download da Bula

Quero me cadastrar!

Clique aqui e cadastre-se para obter os benefícios do programa.

CADASTRE-SE

Temas Populares

Fique por Dentro

Osteoporose: O dano causado aos ossos é irreversível?

Doenças dos Ossos

Osteoporose: O dano causado aos ossos é irreversível?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

Quem tem osteopenia já corre riscos maiores de fraturas?

Doenças dos Ossos

Quem tem osteopenia já corre riscos maiores de fraturas?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

A osteoporose tende a se manifestar mais tarde em homens? Por quê?

Doenças dos Ossos

A osteoporose tende a se manifestar mais tarde em homens? Por quê?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

Osteoporose: Quais são as consequências de uma fratura para um paciente idoso?

Doenças dos Ossos

Osteoporose: Quais são as consequências de uma fratura para um paciente idoso?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

As fraturas ósseas são consideradas a principal complicação da osteoporose, doença que enfraquece os ossos a ponto de torná-los suscetíveis a quebras. Essas fraturas atrapalham a rotina de qualquer pessoa, mas nos idosos, elas podem ser mais graves, causando sérios prejuízos à saúde. Confira as
Como o médico analisa o risco de o paciente sofrer uma fratura óssea?

Doenças dos Ossos

Como o médico analisa o risco de o paciente sofrer uma fratura óssea?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

A osteoporose é uma doença que afeta pessoas a partir da meia-idade, especialmente as mulheres, provocando uma perda progressiva da massa óssea. Como consequência, essa condição deixa os ossos fracos, podendo uma causar fratura óssea. O ortopedista Paulo Kanaji explica como os profissionais da área
O que são as fraturas por compressão? Saiba mais sobre essa possível consequência da osteoporose!

Doenças dos Ossos

O que são as fraturas por compressão? Saiba mais sobre essa possível consequênci...

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), as fraturas ósseas decorrentes da osteoporose afetam pelo menos 30% da pessoas com mais de 60 anos. Elas são uma das principais complicações da doença e podem comprometer a movimentação e a qualidade de vida dos
Osteoporose: Existem variações da doença? Quais são?

Doenças dos Ossos

Osteoporose: Existem variações da doença? Quais são?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

A osteoporose é caracterizada por uma gradativa redução da densidade mineral do tecido ósseo, provocando uma fragilização dos ossos e, frequentemente, causando fraturas. A doença pode ser alocada em dois grupos com causas distintas: osteoporose primária e secundária. Quais as diferenças
A osteoporose pode causar pequenas fraturas na coluna?

Doenças dos Ossos

A osteoporose pode causar pequenas fraturas na coluna?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), a osteoporose é a principal causa de fraturas na população com mais de 50 anos de idade. Um dos tipos mais comuns são as fraturas na coluna causadas por compressão vertebral
Quais são as diferenças entre a osteopenia e um quadro de osteoporose?

Doenças dos Ossos

Quais são as diferenças entre a osteopenia e um quadro de osteoporose?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

Um paciente que começa o tratamento assim que descobre um quadro de osteopenia pode evitar a osteoporose?

Doenças dos Ossos

Um paciente que começa o tratamento assim que descobre um quadro de osteopenia p...

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

Assim como a osteoporose, a osteopenia é marcada pela diminuição da densidade da massa óssea. Trata-se de uma condição anterior à osteoporose, em que a deterioração dos ossos é menos intensa. No entanto, se não for tratada, a osteopenia pode
Qual é a relação entre a osteoporose e a obesidade?

Doenças dos Ossos

Qual é a relação entre a osteoporose e a obesidade?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

Segundo uma pesquisa conduzida pelo Ministério da Saúde em 2018, 19,8% dos brasileiros têm obesidade, enquanto o excesso de peso atinge cerca de 55% da população. Esses dois problemas de saúde devem ser combatidos de forma séria porque são fatores de risco para uma série
A osteoporose pode provocar danos nos ossos da região do pescoço?

Doenças dos Ossos

A osteoporose pode provocar danos nos ossos da região do pescoço?

saude-e-tratamento

Doenças dos Ossos

A osteoporose é uma doença caracterizada pela perda progressiva da massa óssea e, consequentemente, pelo enfraquecimento dos ossos do corpo, segundo o Ministério da Saúde. O pescoço faz a ligação entre a cabeça e o tronco e esta é uma das parte mais sensíveis do