Autoestima: Herpes não é motivo de vergonha, e você não deve deixar o lado psicológico te abalar nas eventuais manifestações da doença


  • +A
  • -A

Quem tem herpes está sujeito às manifestações eventuais da doença, sempre que o vírus é ativado no organismo. Com isso, surgem os sinais na pele, pequenas bolhas, que geralmente aparecem na boca, lábios, gengivas e/ou genitais. Essas marcas causam, além de dor, coceira e desconforto, efeitos psicológicos negativos por prejudicarem a sua estética.

Baixa autoestima não pode te afastar do tratamento da herpes


Com a autoestima baixa, você pode acabar não aderindo adequadamente ao tratamento, o que só tende a piorar o quadro. “Algumas sensações negativas promovidas por essa doença podem gerar um quadro de tristeza, reduzindo a taxa de adesão ao tratamento e promovendo a piora da sua qualidade de vida enquanto estiver com o sintoma”, aponta a dermatologista Gabriella Albuquerque.

Por mais que seja normal você sentir vergonha ao sair de casa e ficar para baixo por conta do herpes, é importante ter em mente que se trata de uma doença comum e que tem tratamento. Mesmo sem cura, o tratamento consegue diminuir o tempo de atuação do vírus, aliviando os sintomas e pode até mesmo ajudar a suprimir futuras manifestações da doença.

Iniciar o tratamento o mais cedo possível é essencial em um quadro de herpes


A especialista explica que normalmente o herpes é precedido por um sintoma de formigamento ou ressecamento da região aonde irão surgir as vesículas e que começar o tratamento já neste momento é fundamental. “
O ideal é instituir o tratamento o mais precocemente possível. Você pode iniciá-lo logo que sentir estes sintomas iniciais ou esperar a formação das primeiras vesículas”, afirma.

Ainda segundo a médica, a profilaxia com o aminoácido lisina pode prolongar o intervalo entre as crises, suprimindo a replicação do vírus que causa a doença. “Outro ponto importante em relação ao herpes é que o uso oral do tratamento antiviral tem mais resultado que os cremes de uso local”, completa Gabriella.

Dra. Gabriella Albuquerque é dermatologista formada pela Universidade Federal Fluminense (UFF), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e atua no Rio de Janeiro. CRM-RJ: 71503-4 – Site oficial

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
TAGS
herpes
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

8 comentários para "Autoestima: Herpes não é motivo de vergonha, e você não deve deixar o lado psicológico te abalar nas eventuais manifestações da doença"

Raimunda Nonata

Tem medicação para herpes genital

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Raimunda, realize uma consulta com o dermatologista para que ele possa prescrever o produto adequado. Abraços.

Talita

Tenho herpes genital é possível transmitir através do beijo?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Talita, o vírus da Herpes é transmitido por meio do contato de mucosas infectadas; podendo inclusive passar de uma parte do corpo para outra. As mucosas orais e genitais são as mais sensíveis a doença. Segue o link de uma de nossas matérias com mais informações para você:
https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/problemas-de-pele/o-que-fazer-para-minimizar-o-risco-de-transmissao-do-herpes-para-alguem
Abraços.

Stefanie

Oi ei tenho de 19 anos desde de Janeiro venho dando crise de herpes direto. Nn para e td dia eu nn aguento mas . Eu estou tomando aciclovir mas eu queria saber msm eu tomando remedio eu nn posso tranzar? Mas to com machucados ainda

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Stefanie, neste é necessário que você faça uso do preservativo (camisinha). Abraços.

Dyanna

Quem tem herpes genital, nunca pode ter relacoes sem preservativo , nem mesmo quando nao esta ativa ? Estando ( latente ) quais as chances de nao transmitir ?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Dyanna, o ideal é que não haja nenhuma relação sexual sem proteção, maiores informações você pode conseguir com seu médico. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.