Você sabe o que é DPOC? Entenda mais sobre a doença pulmonar que afeta milhões de brasileiros

  • +A
  • -A

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) afeta cerca de sete milhões de brasileiros e está diretamente associada ao tabagismo. Como seus sintomas não são alarmantes no início, o paciente acaba procurando o especialista depois de anos de vício, o que acaba dificultando o tratamento. “A DPOC tem origem inflamatória e sua principal causa é a fumaça dos cigarros e aquela originada da queima de biomassa (incêndios, cozimento de alimentos em fogões a lenha em ambientes fechados, queima de lenha para aquecimento)”, explica o pneumologista Dr. Arnaldo Noronha, do Rio de Janeiro

O tabagismo é o principal causador da DPOC, mas, em alguns casos, a doença pode ter origem genética. “Há certas deficiências de substâncias protetoras dos pulmões, como a  ‘alfa 1 antitripsina’, que pode causar a DPOC”, acrescenta.

Quais são os sintomas das DPOC?

De acordo com Noronha, o principal sintoma da DPOC é a falta de ar e o cansaço, principalmente, durante os esforços físicos. “Tosse e expectoração em abundância podem ocorrer. Muitas vezes, o paciente percebe a doença apenas em estágios avançados, pois ao longo do tempo ele vai evitando o desconforto, reduzindo suas atividades e se adaptando sem perceber. Um dia se percebe com a falta de ar e cansaço nas atividades cotidianas como tomar banho, subir um lance de escada, carregar compras, etc”, afirma o médico.

Campanha antitabagismo é a melhor prevenção para DOPC

O ideal para prevenir a doença é busca por informação e campanhas antitabagismo. Exigir ambientes mais saudáveis para o trabalho também é essencial. “Prover condições para que populações mais carentes de recursos não usem fogões ou aquecedores sem adequada exaustão”, ressalta o pneumologista.

Segundo o médico, o tratamento básico da doença se faz com medicações broncodilatadoras inalatórias, que podem ter curta duração de efeitos, precisando de repetidas doses durante o dia, ou de ação longa, que podem ser usadas duas ou, até, só uma vez ao dia. “Em casos selecionados, podem ser usados derivados de cortisona, também sob a forma inalatória, e reposição intravenosa de alfa 1 antitripsina, além de drogas anti-inflamatórias específicas para a DPOC”, finaliza.

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Arnaldo Noronha

Dr. Arnaldo Noronha

Pneumologia

CRM: 52-263281 / RJ

TAGS
dpoc
respiracao

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Você sabe o que é DPOC? Entenda mais sobre a doença pulmonar que afeta milhões de brasileiros"

Sueli Alves

Fumo a mais de 40 anos, já fui no posto de saúde e participei das palestras, e no final recebi os adesivos por um mês,.quando voltei para pegar mais eles não tinham mais, conclusão todos pararam.o tratamento inclusive eu, voltei a estaca zero, depois fui a uma pneumologista estava parando de fumar, só que a medica foi transferida para Brasília, assumo que não tenho força de vontade, mas quero parar de fumar.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Sueli. Agradecemos por compartilhar seu relato conosco. O hábito de fumar cigarros pode gerar graves danos ao pulmão, assim como o sistema respiratório como um todo. Esse dano, aliás, não contempla todos os problemas causados pelo tabagismo. Para evitar os malefícios do cigarro, é preciso parar de fumar. Quem não consegue por conta própria pode procurar auxílio médico para abandonar de vez o vício. Há medicamentos específicos, chicletes e adesivos que tratam a dependência química, além de antidepressivos e agonistas de receptores de nicotina, que atuam diretamente no sistema nervoso central. Continue por aqui para mais matérias e informações como essa. Até logo.

Alvelina

Quero parar de fumar mais não consigo sozinha que eu faço

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Alvelina. Os danos que o cigarro provoca em todo o organismo já são bem conhecidos e comprovados por diversos estudos: aumenta o risco de doenças cerebrovasculares, de doenças do coração e também de muitos tipos de câncer. Além disso, as consequências do hábito de fumar para quem tem hipertensão também são considerados muito graves. Converse com seu médico para que ele possa orienta-lá de forma completa e eficaz de como abandonar o vicio. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.