Por que a oleosidade da pele deve ser contida, e não eliminada?

  • +A
  • -A

Existem quatro tipos de pele: a normal, a seca, a oleosa e a mista. A pele oleosa indica que o corpo está produzindo sebo em excesso, o que pode levar a alguns problemas como, por exemplo, uma maior tendência a cravos e espinhas. Para muitos, a solução mais comum é lavar a área com sabonete, mas o que parece ajudar, se feito de forma intensa, pode aumentar a oleosidade da pele.

Isso é chamado de efeito rebote. A produção de óleo faz parte do funcionamento do corpo, que cria uma camada de proteção natural, mas quando ele é retirado exageradamente pode causar irritações e induzir as glândulas sebáceas a produzir ainda mais sebo, em uma tentativa de compensação. Segundo a dermatologista Marcela Benez, o controle da oleosidade pode ser feito também a partir da hidratação. “Quando se hidrata a pele oleosa, esta entende que deve-se diminuir a sua produção, mas o contrário também acontece, quando se retira muito a oleosidade”, explica. 

Entenda os riscos de usar sabonete comum


O sabonete comum pode ser um grande vilão nos cuidados com a oleosidade. Isso acontece porque o pH desses produtos é muito diferente do presente na pele e o seu uso pode causar um desequilíbrio.
O pH da pele é levemente ácido e contribui para criar uma barreira de proteção, a sua remoção pode deixar o corpo mais vulnerável a agentes externos, como os fungos e bactérias. 

sabonetes específicos para esse tipo de tratamento, o ideal é que tenham ativos anti-acne, como por exemplo os ácidos salicílico e glicólico e que sejam hidratantes para evitar o ressecamento e a irritação da pele. Dra. Marcela alerta para a utilização indiscriminada desses produtos, por isso vale lembrar que é fundamental o acompanhamento de um especialista para analisar o quadro, entender as necessidades de cada pessoa e orientar o uso. “Os sabonetes abrasivos e adstringentes em excesso retiram a oleosidade e proteção da pele, esta se torna mais sensível, podendo ficar vermelha, irritada e descamativa”, afirma.

Como cuidar da oleosidade da pele?


Além de usar os sabonetes indicados e hidratar bem a pele,
alguns hábitos simples incorporados ao dia dia também ajudam no tratamento. Ter uma alimentação balanceada, reduzindo alimentos gordurosos, não lavar o rosto excessivamente, usar filtro solar com toque seco para não estimular a oleosidade, tirar a maquiagem sempre antes de dormir e evitar cosméticos comedogênicos, que bloqueiam os poros, são alguns exemplos.

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Marcela Benez

Dra. Marcela Benez

Dermatologia

CRM: 52802263 / RJ

TAGS
limpeza-de-pele
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Por que a oleosidade da pele deve ser contida, e não eliminada?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.