Dermatite atópica: é possível controlar a doença?


  • +A
  • -A
Imagem do post Dermatite atópica: é possível controlar a doença?

A dermatite atópica é uma doença crônica e de causa genética. “Manifesta-se por meio de placas vermelhas, que coçam, descamam e às vezes, ficam úmidas ou com casca de ferida. Nos bebês, há predomínio na face e no lado extensor de braços e pernas e, nas crianças, nas dobras dos braços, pernas e pescoço”, explica a dermatologista Bianca Venturini. Com o tratamento certo, o problema pode ser controlado.

Como impedir a volta dos sintomas da dermatite atópica?


Para impedir o retorno dos sintomas, que incluem ainda cortes e áreas da pele se tornando mais espessas, é importante seguir o tratamento à risca. “A prevenção das crises deve ser iniciada tão logo se descubra a doença, com orientações específicas, uso de hidratantes restauradores da barreira cutânea e acompanhamento regular com um dermatologista”, recomenda a profissional.

A pele pode se tornar seca, sensível e irritável a qualquer estímulo externo. Poeira, sabão, calor, atrito, banhos quentes, variações de temperatura, cosméticos, transpiração e até o contato com determinados tecidos, como lã e roupas sintéticas, podem desencadear uma nova crise de dermatite atópica. Evitar esse contato é uma das principais maneiras de prevenir os sintomas, que podem também ser desencadeados por fatores psicológicos, como o estresse.

Tratamento da dermatite usa pomadas e medicamentos orais


Boa parte dos casos utiliza também medicações tópicas para tratar a dermatite, ou seja, cremes e pomadas aplicados diretamente na pele, além de antibióticos quando houver infecção bacteriana. Alguns pacientes podem necessitar de medicamentos orais, como imunossupressores, corticoides e os anti-histamínicos, que aliviam a coceira. É importante o controlar o impulso de coçar as feridas, já que isso pode permitir a entrada de bactérias na pele.

Segundo a especialista, a doença está relacionada à deficiência do fator de hidratação natural da pele que compõe o manto hidrolipídico, uma camada que ajuda a controlar a perda de água. O histórico familiar é um dos fatores de risco da dermatite atópica, que está frequentemente associada à asma e à rinite alérgica. É importante destacar que o problema não é contagioso.

Dra. Bianca Venturini é dermatologista, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e pós-graduada pela UNIRIO. CRM-RJ: 52778249

Foto: Shutterstock

TAGS
dermatite
pele

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

1 comentário para "Dermatite atópica: é possível controlar a doença?"

Glaris Menegaz

Sou atopica tenho asma e rinite.a coceira inicia na cabeça e vai ate as costasQdo estou atacada da asma diminui a coceira. Enfim é um círculo vicioso ora um ora outro sintoma.Difícil de conviverAs explicações foram bem generalizadas pouco alentadoras

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.