Doença silenciosa: A ausência de sintomas da hipertensão pode prejudicar o tratamento?

  • +A
  • -A

A hipertensão é uma doença crônica que provoca o aumento da pressão arterial, mesmo em momentos de repouso, colocando em risco não só a saúde do sistema cardiovascular como de todo o corpo. Uma de suas principais características é a ausência de sintomas na maior parte dos casos, o que pode acabar atrasando o diagnóstico e atrapalhando o tratamento. Por isso, a hipertensão é conhecida como uma doença silenciosa.

 

Falta de sintomas da hipertensão dificulta diagnóstico e busca por tratamento

 


Segundo o cardiologista Francisco Flávio Costa Filho, a hipertensão é traiçoeira. “Mesmo quando está descontrolada, machucando nossos vasos sanguíneos do cérebro, coração, rins e olhos, ela pode não trazer nenhum sintoma! Por não sentirmos nada, não tomamos nenhuma atitude para resolver o problema”, diz o médico.

Esta falta de ação faz com que o indivíduo com pressão alta não consiga controlar a doença e, consequentemente, tenha um risco maior para algumas das principais complicações da hipertensão, como infarto, derrame e insuficiência renal, em comparação aos pacientes que iniciaram o tratamento e conseguiram controlar a pressão arterial.

 

Pessoas com fatores de risco devem monitorar pressão com frequência

 


Com o passar do tempo, os prejuízos da doença vão se acumulando e os
sintomas só aparecem quando o quadro de saúde já é crítico. Para as mulheres, isso é ainda pior. “Elas procuram mais tardiamente um serviço de emergência, só quando começam a sentir os sintomas. Nas mulheres, muitas vezes, os sintomas são inespecíficos, o que atrasa o diagnóstico”, alerta o especialista.

A recomendação é não esperar o aparecimento de um sintoma para começar a desconfiar de uma hipertensão descontrolada, especialmente quem tem algum fator de risco. Quem recebeu o diagnóstico da doença, deve seguir o tratamento à risca e jamais interrompê-lo sem autorização do médico. Para quem não foi diagnosticado, o ideal é procurar uma farmácia ou posto médico para aferir a pressão periodicamente.

 

Dr. Francisco Flávio Costa Filho é cardiologista formado pela Universidade Federal do Ceará e atua em São José dos Campos (SP). CRM-SP: 141903

 

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
TAGS
avc
cardiovascular
coracao
dor-no-peito
infarto
pressao-alta

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

12 comentários para "Doença silenciosa: A ausência de sintomas da hipertensão pode prejudicar o tratamento?"

Rute Lea Gomes Coelho

Fui ao Cardiologista para pedir o risco cirúrgico pra operar a catarata chegando lá minha pressão estava alta nunca tive a pressão alta ele pediu uns exames e tenho medido diariamente e ela permanece alta tenho sentido dor de cabeça

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Rute, por isso a fama de silenciosa, faça o acompanhamento com o cardiologista rigorosamente. Abraços.

Antônia de Maria Bezerra Santiago

Eu acho que estas informações e muito boas para um aprendizado para aprendizado e muito valido

CUIDADOS PELA VIDA

Ola Antônia, que bom que você tem gostado das matérias, fica por aqui que sempre tem matéria nova. Abraços.

Nely da Rocha Xavier

Informação lastreada em bases científicas é sempre de grande valia. Obrigada.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Nely, que bom que gostou, cuidados com a saúde é realmente importante. Continue conosco para mais matérias como esta. Um abraço.

Rosi Simioni

Obrigada amiga Tania. Foram infirmações muito uteis. Obrigada pir me enviar

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Rosi, agora você já conhece a página, fique sempre por aqui, novidades é o que não faltam. Abraços

ANTONIO RAYMUNDO

EU SOU HIPERTENSO DESDE JOVEM, E NA FAMILIA É UM FATOR COMUM SER HIPERTENSO, E DEPOIS DE UM LONGO PERÍODO DE TESTES E MEDICAÇÕES, CONSEGUI EQUILIBRAR POR MUITOS ANOS MINHA PRESSÃO, TOMANDO DIARIAMENTE SIENERGEN 2,5 X10 E RITMONORM 300. MAS À TRÊS ANOS, COMEÇOU UM DESCONTROLE INCOMPREENSÍVEL, PASSANDO A VARIAR DE 17 X 12, AS VEZES 10X 6, E SEM EXPLICAÇÃO NENHUMA; FIZ O CATETERISMO E NADA GRAVE APARECEU, DE DESDE ENTÃO EU E MINHA ESPOSA ESTAMOS PASSANDO POR ESSE MISTÉRIO DE MANHÃ, ACORDAMOS COM A PRESSÃO UM POUCO ELEVADA TIPO 14 X 9, MAS LOGO DEPOIS ELA ESTABILIZA EM 11 X 7, E AÍ NÃO TOMO DIURÉTICOS E VOU CONTROLANDO ASSIM QUE ELA PASSA DOS 13, COMEÇO A TOMAR O RITMONORM PELA METADE, E METADE DE CARDIOVILOL E ATÉ A NOITE EU TOMO O SIENERGEN, MAS A CADA DIA É UMA ESCALADA DIFERENTE, POIS AS VEZES FICO ATÉ DOIS DIAS SEM TOMAR SIENERGEN OU OUTROS PARECIDOS, O CARDIOLOGISTA NÃO SABE ME EXPLICAR, E NEM O QUE TENHO DE FAZER, ACEITO SUGESTÕES. MEU PERFIL: HIPERTENSO, EX-FUMANTE PAREI Á DOIS ANOS, COM DIMINUIÇÃO DOS PULMÕES, E SISTEMA URINÁRIO COMPROMETIDO COM OS RINS, E COM ACOMPANHAMENTO POR NEFROLOGISTA.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Antonio. Agradecemos por você compartilhar seu relato conosco. A hipertensão é uma doença crônica que afeta cerca de 30% da população brasileira acima dos 20 anos de idade e cerca de 60% das pessoas acima dos 60 anos, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão. Para facilitar o controle da doença, quem recebe o diagnóstico deve começar logo o tratamento, que inclui não só medicações, mas também mudanças importantes na rotina. É importante consultar seu cardiologista para que ele possa diante de exames identificar a causa dessas variações e assim indicar o tratamento adequado para você. Até a próxima.

Vilson Raile

Como sou hipertenso a muitos anos, aei que com o passar do tempo e aumento na idade a tendencia é sempre provavel que os niveis pressoricos sejam cada vez mais elevados. Digo isso pro experiencia propria. Quando eu tinha entre 45 e 55 anos, para mim uma pressão de 160 x 100 era uma “crise hipertensiva”… Hoja, com 72 as vezes quando tenho as tais crises meus numeros chegam a niveis de assustar . Esta semana chegou a 220 x 125 que é um nivel perigosissimo para se ter um derrame ou ate um infarto. Alem disso sou diabetico e jatenho um stent por infarto ocorrido em 2015. Mas acontece que como eu tenho o habito de estar constantemente monitorando minha PA eu “pego” essas altas . Essa ultima era caso de urgencia hospitalar mas consegui reduzir aos poucos ( isso é importante) e em 3 horas ja estava com niveis normais de 110 x 75 . Esquentar o corpo com banho quente ajuda a baixar e se manter aquecido, pois isso provoca a dilatação dos vasos e menor resistencia a PA. Utilizo nas crises medicamentos bem basicos mas em dosagens dobradas e repouso. Um tranquilizante tambem ajuda . Só um alerta: se vc “pegar” uma hiper dessa no medidor, mas sem nenhum outro sintoma, apesar de vc estar num risco grande, é pouco provavel que esteja infartando. Agora mesmo com niveis um poucos acima do normal, mas com sintomas suspeitos ou sentindo que um jeito que nunca sentiu antes, corra para um bom hospital. Quando eu infartei, minha pressão nao alterou muito acima o normal mas por outros sintomas , tinha certeza que estava infartando. Fui direto para o hospital pois la eles estão mais preparados para aplicar os exames necessários . Mesmo com o eletrocardiograma absolutamente, mas a protombina tava alterada. Ja me internaram e ndepois de 3 dias ( pois uso metformina para diabetes e tive que esperar pois o contraste iodado nao pode ser usado enquanto o organismo não estiver totalmente limpo da metformina, passei por cateterismo que detectou um entupimento de 95% em uma coronária. Feito a angioplastia e colocado o stent farmacologica. Hoje faço em media umas 5 medições por dia e nas crises acompanho a evolução e a regressão a cada dez minutos. Isso da uma media de uma 30 medições num prazo de 5 horas. Caso nao estiver abaixando ou não abaixou para um nivel aceitavel, o jeito é ir para o hospital. Mas a gente que sofre com HAS tem que ler muito e se aprofundar e entender bem essa doença. Isso não quer dizer que vc vai estar “garantido” porque na vida não existe isso, mas pelo menos vc vai saber lidar melhor com seu problema e talves isso ja tenha me salvado algumas vezes. Alerta total todo o tempo ..isso é importante. Compre varios medidores, prefira da marca Omron, podem ser os de pulso que são menos precisos mas são mais praticos para quem mede muitas vezes por dia. São bons para a gente fazer uma triagem. E porque varios? ( em torno de 4 ) porque se vc tiver duvida numa medida, vc pode conferir com o outro..Pode dar uma diferença que deve ser pequena mas pelo menos vc sabe que nao vai “explodir” ou ta realmente com a pressão alta, Ou baixa também que é um problema comum em hipertensos quando trocam medicamentos e podem ter uma hipo. Lembre-se: O médico só está com vc enquanto vc esta la no consultorio ou no hospital. Fora de lá , no dia a dia, vc esta por sua conta e vc é que tem que saber lidar, ate certo ponto, com seu problema.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Vilson. Obrigado por compartilhar seu relato conosco. Buscar atendimento médico é sempre crucial para identificar a causa dos sintomas e assim iniciar o tratamento adequado. Seguir o tratamento indicado pelo cardiologista é de suma importância para manter os níveis de pressão dentro da normalidade. Continue por aqui para receber mais matérias, informações e dicas sobre saúde, doenças e tratamentos. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.