Moradora de Cuiabá destaca boa relação com médico no tratamento para a hipertensão


  • +A
  • -A

A hipertensão arterial é, no geral, uma doença silenciosa, infelizmente muito comum e que exige tratamento atento e sério, visto que pode trazer consequências graves. Além dos riscos imediatos à saúde, a pressão alta pode provocar, em alguns casos, sensações incômodas que atrapalham o bem-estar do paciente em seu dia a dia.

 

Uso da medicação correta é fundamental para evitar sintomas

 


Foi o que aconteceu com Cristiane P.P., administradora de empresas de 44 anos que vive em Cuiabá, Mato Grosso. Antes de descobrir que era hipertensa e começar o tratamento, ela sentia vários sintomas desagradáveis, como fortes dores de cabeça, irritação e dificuldade de dormir. Tudo isso a impedia de ter uma rotina normal, prejudicando até mesmo o trabalho.

“Depois que passei a fazer uso contínuo do medicamento, tudo voltou ao normal, pois já não sentia mais nada. Outro ponto super interessante é que não tive nenhum efeito colateral. Me sinto super bem com a medicação, levando em conta também que o meu médico é um excelente cardiologista”, afirma Cristiane.

 

Importância da prática de atividade física para tratar a hipertensão

 


A paciente diz que leva uma vida normal e que a cada dia procura mudar seus hábitos em prol da saúde. Cristiane pratica caminhada intercalada com corrida, um exercício aeróbico excelente para manter uma boa saúde cardíaca, além de ajudar a reduzir o peso.
“Um estudo publicado em 2010 mostrou que pessoas que se envolveram com caminhadas de 35 minutos ao dia obtiveram uma redução média entre 5,2 e 11,0mmHg na pressão arterial sistólica e entre 3,8 e 7,7mmHg na pressão arterial diastólica”, comenta o cardiologista Marcelo Bichels Leitão.

 

Bom relacionamento com médico é essencial para sucesso do tratamento

 


Cristiane destaca a relação com seu médico, ressaltando o quanto ele sempre a deixou tranquila quanto aos detalhes do tratamento. “A relação que tenho com o meu médico é ótima. Ele é super preocupado com seus pacientes, me orienta a fazer meus exames a cada 6 ou 8 meses. Confio plenamente nele”, avalia.

O tratamento medicamentoso foi iniciado por Cristiane há cerca de seis anos e, de lá pra cá, ela não mudou de remédio. “O médico comentou que é um medicamento muito bom e que dificilmente daria algum tipo de mal estar”, diz a administradora. A única alteração realizada no período foi na dosagem, que foi reajustada porque a pressão ainda não estava nos níveis ideais.

 


Dr. Marcelo Bichels Leitão
é cardiologista e especialista em Medicina do Exercício e do Esporte e atua em Curitiba (PR). CRM-PR: 12255

Foto: Shutterstock

TAGS
cardiovascular
coracao
pressao-alta

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Moradora de Cuiabá destaca boa relação com médico no tratamento para a hipertensão"

ricardo zandavalle

qual o nome do remédio que ela toma.

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Ricardo, o correto é que você realize uma consulta médica para que possa receber o melhor tratamento para o seu caso. Abraços.

ana maria barbosa

Mudei meu estilo de vida e minhas taxas de glicemia, pressão se normalizaram e minha catarata regrediu e não dependo mais de medicamentos.Sou vegetariana estrita, não como açucar, trigo, gluten e produtos industrializados

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Ana Maria, obrigada por compartilhar sua história conosco! Parabéns pelo empenho na busca de uma maior qualidade de vida. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.