Pacientes que sofrem com esquizofrenia tendem a ser perigosos?


  • +A
  • -A

As doenças mentais foram, durante muito tempo, estigmatizadas e vítimas da falta de conhecimento da população em geral. A esquizofrenia é uma delas. Ela é caracterizada pela dificuldade de percepção do que é real e do que é apenas parte da imaginação. O indivíduo pode se tornar indiferente ao ambiente ao redor e ainda acreditar em fatos irreais.

Pacientes com esquizofrenia não são perigosos

 

Um dos problemas que envolvem a esquizofrenia é a crença de que os pacientes representam uma ameaça à vida de amigos e familiares. “O paciente em um quadro psicótico, não apenas o esquizofrênico, pode colocar outros em risco sim, mas costuma ser muito mais vítima do que autor de violência”, esclarece o psiquiatra Eduardo Aratangy.

De acordo com ele, a falta de conhecimento e o preconceito são os responsáveis por essa percepção pública. “Durante as crises, especialmente naquelas em que o paciente se sente perseguido, pode haver comportamento agressivo, mas na maior parte das vezes, o esquizofrênico não oferece risco aos outros”, afirma Aratangy.

É possível viver bem

 

Uma pessoa que sofre com a esquizofrenia requer tratamento médico, frequentemente, por toda a vida. Entretanto, o psiquiatra diz que é possível ter uma vida produtiva e feliz: “Com as novas medicações e terapias disponíveis, o paciente pode desenvolver autonomia e cuidar bem da própria vida.” Existem algumas limitações, mas aqueles que recebem cuidados da família e tratamento adequado conseguem ter uma vida independente e de boa qualidade.

As causas para o surgimento da esquizofrenia ainda não foram totalmente esclarecidas, mas acredita-se que haja fatores neurológicos e ambientais envolvidos. “Na esquizofrenia existe um transtorno do neurodesenvolvimento, que acarreta sintomas alucinatórios e delirantes, prejuízos cognitivos e afetivos e desorganização do pensamento e dos atos”, explica o psiquiatra. Ainda segundo Aratangy, os sintomas são duradouros e, às vezes, progressivos.

Eduardo Wagner Aratangy é psiquiatra formado pela USP e atua em São Paulo. CRM-SP: 116020

 

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Eduardo Aratangy

Dr. Eduardo Aratangy

Psiquiatria

CRM: 116020 / SP

TAGS
esquizofrenia

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

7 comentários para "Pacientes que sofrem com esquizofrenia tendem a ser perigosos?"

Tânia Maria

Se estão em surto são perigosos sim,pois tenho um filho esquizofrênico e sei bem como é isso.

Antonio Tavares Lopes

tenho um enteado que e’ esquizofrenico mas nao aceita sua doença e ainda por cima consome bebidas e tem surtos fica extramamento agrecivo ,ja fui no delegado de saude para o internar oque nao resultou em nada pois ele tem 41 ano latrlatro

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Antonio, lamentamos saber sobre a situação. “A família tem fundamental importância não só para o tratamento da esquizofrenia, mas sim para todos os transtornos mentais” afirma o psiquiatra Gustavo de Carvalho Araujo. Veja a matéria na integra em https://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/importancia-familia-tratamento-esquizofrenia. Abraços para você e para seu enteado.

Marcos

Pelo o que eu estava lendo, eu tenho comportamento parecido.Eu não gosto de ficar perto de pessoas, prefiro ficar sozinho, fico imaginando coisas que não existem e não consigo chamar as pessoas para conversar e não tenho vontade de falar em grupo, eu fico só em silêncio.Gostei da reportagem esses sintomas são parecidos os que eu tenho.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Marcos, nesse caso o mais indicado é que você busque ajuda de um psiquiatra para que ele possa identificar a causa desses sintomas e indicar o tratamento mais adequado melhorando sua qualidade de vida. Temos outra matéria sobre o tema abordado que trás informações importantes sobre a doença. Confira no link abaixo. Abraços.

https://cuidadospelavida.com.br/meu-corpo/cabeca-e-pescoco/importancia-desmistificar-esquizofrenia

vanessa

Nao distinguir sonho de realidade tambem faz parte dos sintomas de esquizofrenia? Eh verdade que pode ser tratada apenas com vitamina B?

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Vanessa. De acordo com o psiquiatra Dr. Gustavo de Carvalho Araujo, alguns sinais são comuns antes do primeiro surto e chamam a atenção dos familiares, como alteração do comportamento, retraimento e isolamento social e prejuízo global de seu funcionamento, apresentando atitudes fora do comum e, por vezes, com discurso confuso. Há inúmeros casos de pessoas que acreditam estarem sendo filmadas ou que receberam o implante de um chip em seu corpo, segundo o profissional. As alucinações, como ouvir vozes ou ver pessoas que não existem são outro aspecto frequente. O tratamento mais adequado será indicado de acordo com a necessidade do paciente e avaliação médica. Até a próxima.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.