Riscos da esquizofrenia: Interromper o medicamento é perigoso?


  • +A
  • -A
Imagem do post Riscos da esquizofrenia: Interromper o medicamento é perigoso?

No tratamento da esquizofrenia, é recomendada a combinação de medicamentos antipsicóticos e psicoterapia, mas o uso dos remédios é o diferencial para que o quadro apresente melhora efetiva. Portanto, iniciar o tratamento sem medicação ou parar de usá-la no meio do processo pode ser perigoso, pois os sintomas do transtorno podem piorar.  

 

Perigos da interrupção precoce do tratamento de esquizofrenia

 


“A interrupção do tratamento medicamentoso em portadores de esquizofrenia é perigoso e totalmente contra-indicado, pois pode levar a uma nova crise ou surto psicótico”, afirma a psiquiatra Erika Mendonça. O remédio estabiliza o quadro ao amenizar os sintomas da esquizofrenia, que são delírios e alucinações, além de comportamento e pensamentos desorganizados e agitados.

Em outros transtornos psiquiátricos, como depressão e ansiedade, por exemplo, existe a possibilidade do tratamento ser feito com base apenas na psicoterapia, principalmente nos quadros mais brandos. Com a esquizofrenia, por outro lado, isso não é viável. “Trata-se de um transtorno mental que exige tratamento medicamentoso em todos os casos”, enfatiza a psiquiatra.

 

Detalhes do tratamento de esquizofrenia

 


Mesmo quando um paciente se submete ao tratamento completo, os sintomas podem não desaparecer completamente. No entanto, as chances de remissão aumentam consideravelmente. “O tratamento multimodal da esquizofrenia, com uso de medicamentos e psicoterapia, quando realizado adequadamente, consegue manter a maioria dos pacientes estáveis”, diz Erika.

O efeito terapêutico do remédio costuma demorar entre 4 e 8 semanas, mas antes disso, ainda nos primeiros dias de tratamento, já é percebida alguma melhora. Isso faz com que muitas pessoas interrompam o uso, por acharem que já se recuperaram. Contudo, o que normalmente ocorre logo após esse abandono precoce é o retorno dos sintomas, com possíveis crises. Por isso, é importante destacar que somente o médico pode determinar o curso do tratamento, seja aumentando, reduzindo ou modificando de alguma forma a medicação.

 

 

Dra. Erika Mendonça de Morais é psiquiatra formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e atua em São Paulo. CRM-SP: 124933

Foto: Shutterstock

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

11 comentários para "Riscos da esquizofrenia: Interromper o medicamento é perigoso?"

Rirlei Costa

Fiz o tratamento a dez anos atrás,abandonei..mas em algumas situaçoes ao longo desse tempo..sinto algumas coisas novamente…e esta piorando..é possivel depois de tanto tempo voltar? Tomava melleril…amytrill…geodon..cloridrato de clomipramina..é possivel voltar?como agir..devo procurar ajuda médica?

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Rirlei, assim como algumas doenças, infelizmente a esquizofrenia não tem cura, porém é possível minimizar os sintomas. O tratamento deve ser realizado pelo resto da vida do paciente, sem interrupções. Marque novamente uma consulta com o médico especialista para que ele prescreva o tratamento. Melhoras.

Bianca

Meu irmão tevê surto a seis meses estava fazendo tratamento continuo com medicamentos. Porém é usuário de drogas e estavá tendo crise nervosa por misturar a droga com remédio minha mae achou que tava muito agitado com os remédios mais de cinco por dia resolveu suspender faZ uma semana estou preocupada qual o risco? Ela acha que o médico passa muito remédio pedI pra ela procurar outras opinião embora sei que só é possível com remédio. Mais talvez menos remédios ela acha o nos fazemos por favor? Pedi pra ela voltar a dar os remédios ele está ficando com medo um sintoma que ela já percebeu por ter parado com os remédios e ele continua com a droga

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Bianca, de acordo com o médico, Dr. Alexandre Proença, o uso de drogas por pacientes que já têm o transtorno pode piorar os sintomas e dificultar o tratamento: “O uso de drogas é a comorbidade mais comum em pacientes esquizofrênicos. Essa associação piora e muito o prognóstico da doença, aumentando o número e a gravidade das crises, aumentando o tempo de internação, as taxas de recaídas, infecções, violência e suicídio e diminuindo a adesão ao tratamento”. Os pacientes devem receber informações sobre os malefícios que o uso das drogas pode provocar, especialmente em pacientes com esquizofrenia. Já em situações em que a pessoa é viciada em determinada substância, é importante ter o apoio da família e receber orientações de um especialista sobre como tratar o vício. Assim como algumas doenças, infelizmente a esquizofrenia não tem cura, porém é possível minimizar os sintomas. O tratamento deve ser realizado pelo resto da vida do paciente, sem interrupções. Converse com sua mãe para que ela entenda que é importante que seu irmão trate os dois problemas para que tenha uma melhor qualidade de vida. Abraços.

Norma nossar,

Meu ex-marido frequenta um centro de mesa,com minha filha esquizofrênica,tem uns 3 anos,agora ela melhorou dos surtos esta assim so fala quando a gente pergunta ou ela quer alguma coisa,ela estava tomando 5.000 miligramas de remédios,parou de tomar pois estava atacando o figado estava tonta direto,depois que parou passou a tonteira.Dr.sera que foi um milagre.estou nervosa.

Thaina

Tenho escrizofenia fasso tratamento vai fazer quantro anos que fasso este tratamento des em que o dia eu tive ploblema com droga e hoje não uso mais drogas e eu sempre tenho pensamento como de coisas mais coisas boa as vezes fico lamentando do passado como deveria sido antes as vezes também tenho imaginações de pessoas e não de coisas mais será que depois de uns anos de tratamento a gente pode ser curado e ser uma pessoas normal nem nenhuma marca que o mundo nos deixou através de mal influências tem cura ….

CUIDADOS PELA VIDA

Oi Thaina, assim como algumas doenças, infelizmente a esquizofrenia não tem cura, porém é possível minimizar os sintomas. O tratamento deve ser realizado pelo resto da vida do paciente, sem interrupções. No entanto, a esquizofrenia não impede o convívio social, bem como a realização das atividades cotidianas. Temos em nosso site o depoimento de um paciente que convive com a doença http://cuidadospelavida.com.br/saude-e-tratamento/esquizofrenia/mineiro-enfrenta-esquizofrenia
Abraços.

Adriano

Entai tive crise de esquizofrenia ano passado ai fui internado pq tava muito feia coisa tive que ser internado com camisa de força ai ta la onde tava internado eu tomava uns remedios que n dava efeitos colaterais e tals eu me sentia bem ai ta voltei pra casa e comecei a tomar os remedios que foi prescrevido pela medica ai cmc a fazer efeitos colaterais muita sonolencia,andava que nem um robo,e n conseguia fazer caminhadas longas sempre tinha que parar pra descancar,n conseguia ficar em pe direito,a luz do sol n fazia com que eu abrise o olho direito,n conseguia escovar os dentes e nem tomar banho direito ai ta cmc a parar com o remedio no cmc e tomava sempre ai adepois cmc a tomar de 3 em 3 dias pq cmc a dar dor de cabeça poe ficar muito tempo sem tomar o remedio ai ate entao larguei os remedios pq n me dava mais dores de cabeça ai cmc a voltar ao normal sem sonolencia,andar direito,escovar os dentes,tomar banho td normal…percebi que os remedios que eu tomava fazia aquilo tudo cmg ai a um tempo atras fui na psiquiatra e ela me disse pra continuar com os msm remedios e acrescento mais um pra aminizar a sonolencia sq n to tomando.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Adriano, é importante que você siga corretamente o tratamento prescrito e faça um periódico com o médico especialista, assim ele irá acompanhar sua evolução e fazer as alterações necessárias no tratamento. Abraços.

Francis Eduardo

Olá, sou portador de esquizofrenia, tomo Olanzapina, penso em parar com a medicação pelos efeitos colaterais, minha psicologa me disse que tenho uma esquizofrenia muito leve e já fiquei um tempo sem a medicação sem nenhum problema

CUIDADOS PELA VIDA

Olá Francis, não suspenda sua medicação sem a orientação de seu médico. Como a Dra. Erika Mendonça de Morais informa nesta matéria, “O efeito terapêutico do remédio costuma demorar entre 4 e 8 semanas, mas antes disso, ainda nos primeiros dias de tratamento, já é percebida alguma melhora. Isso faz com que muitas pessoas interrompam o uso, por acharem que já se recuperaram.” Converse com seu médico e informe os efeitos adversos do medicamento. Abraços.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.