Vídeo

Vídeo

Isolamento social: qual é a importância da vitamina D na proteção da saúde óssea de idosos?

Diferentemente de outros nutrientes obtidos a partir da alimentação, a vitamina D é obtida quase em sua totalidade pela exposição aos raios solares. O ideal é tomar sol todos os dias durante 15 a 20 minutos, sem protetor solar. Por causa do isolamento social, provocado pela pandemia de COVID-19, nem todos os idosos conseguem seguir essa recomendação, mas é necessário encontrar maneiras de driblar esse problema, já que a vitamina D é muito importante para a saúde óssea de idosos. Entenda mais sobre o assunto!

Vitamina D ajuda a manter a saúde óssea de idosos


“A
vitamina D é fundamental para a saúde dos ossos e tem um papel importante na força muscular. Essa vitamina age regulando a concentração de cálcio e fósforo em nosso organismo e age também aumentando a absorção desses sais minerais no intestino”, afirma o ortopedista Paulo Kanaji. 

Por outro lado, a falta de vitamina D no corpo, com o passar do tempo, pode gerar consequências à saúde. “Quando há a deficiência da vitamina D no organismo, é maior o risco de quedas e fraturas, devido à fraqueza muscular. Em adultos, os ossos se tornam frágeis, com riscos de fraturas espontâneas”, alerta o médico. Nas crianças, há risco de raquitismo, e nos idosos, maiores chances de desenvolver osteoporose. 

Além de sua importância para a saúde óssea, a vitamina D também atua no sistema imunológico e exerce um papel considerável na prevenção de doenças que afetam outras partes do corpo, como câncer, diabetes, hipertensão e outros problemas cardíacos. 

Mulheres idosas são mais afetadas pela falta de vitamina D


A osteoporose é um dos principais problemas causados pela falta de vitamina D e tende a atingir mais as mulheres, sobretudo por causa da diminuição do volume de massa óssea, que começa a partir dos 40 anos. “Especificamente, mulheres são mais afetadas pela osteoporose no período da pós-menopausa em função da diminuição da síntese de estrogênio, o que favorece a remodelação óssea”, explica o ortopedista.

Portanto, as mulheres a partir desta faixa etária, o que inclui as mulheres idosas, podem se beneficiar de medidas que ajudem a regular os níveis do nutriente no corpo. Uma dessas medidas é a suplementação de vitamina D, capaz de prevenir fraturas ósseas, além de auxiliar na prevenção e no tratamento da osteoporose. 

Mas, de acordo com Dr. Kanaji, a melhor opção mesmo é se expor ao sol sempre que der. Ele complementa: “Outra fonte alternativa, mas menos eficaz, é a dieta (ingestão através da alimentação), responsável por apenas 20% das necessidades corporais, mas que assume um papel de maior importância em idosos, pessoas institucionalizadas e habitantes de climas temperados”.

Foto: Shutterstock

Matérias

AGENDA DE EVENTOS

Vídeo

Vídeo

Isolamento social: qual é a importância da vitamina D na proteção da saúde óssea de idosos?

Diferentemente de outros nutrientes obtidos a partir da alimentação, a vitamina D é obtida quase em sua totalidade pela exposição aos raios solares. O ideal é tomar sol todos os dias durante 15 a 20 minutos, sem protetor solar. Por causa do isolamento social, provocado pela pandemia de COVID-19, nem todos os idosos conseguem seguir essa recomendação, mas é necessário encontrar maneiras de driblar esse problema, já que a vitamina D é muito importante para a saúde óssea de idosos. Entenda mais sobre o assunto!

Vitamina D ajuda a manter a saúde óssea de idosos


“A
vitamina D é fundamental para a saúde dos ossos e tem um papel importante na força muscular. Essa vitamina age regulando a concentração de cálcio e fósforo em nosso organismo e age também aumentando a absorção desses sais minerais no intestino”, afirma o ortopedista Paulo Kanaji. 

Por outro lado, a falta de vitamina D no corpo, com o passar do tempo, pode gerar consequências à saúde. “Quando há a deficiência da vitamina D no organismo, é maior o risco de quedas e fraturas, devido à fraqueza muscular. Em adultos, os ossos se tornam frágeis, com riscos de fraturas espontâneas”, alerta o médico. Nas crianças, há risco de raquitismo, e nos idosos, maiores chances de desenvolver osteoporose. 

Além de sua importância para a saúde óssea, a vitamina D também atua no sistema imunológico e exerce um papel considerável na prevenção de doenças que afetam outras partes do corpo, como câncer, diabetes, hipertensão e outros problemas cardíacos. 

Mulheres idosas são mais afetadas pela falta de vitamina D


A osteoporose é um dos principais problemas causados pela falta de vitamina D e tende a atingir mais as mulheres, sobretudo por causa da diminuição do volume de massa óssea, que começa a partir dos 40 anos. “Especificamente, mulheres são mais afetadas pela osteoporose no período da pós-menopausa em função da diminuição da síntese de estrogênio, o que favorece a remodelação óssea”, explica o ortopedista.

Portanto, as mulheres a partir desta faixa etária, o que inclui as mulheres idosas, podem se beneficiar de medidas que ajudem a regular os níveis do nutriente no corpo. Uma dessas medidas é a suplementação de vitamina D, capaz de prevenir fraturas ósseas, além de auxiliar na prevenção e no tratamento da osteoporose. 

Mas, de acordo com Dr. Kanaji, a melhor opção mesmo é se expor ao sol sempre que der. Ele complementa: “Outra fonte alternativa, mas menos eficaz, é a dieta (ingestão através da alimentação), responsável por apenas 20% das necessidades corporais, mas que assume um papel de maior importância em idosos, pessoas institucionalizadas e habitantes de climas temperados”.

Foto: Shutterstock