Por que as parasitoses intestinais são mais frequentes em locais sem saneamento básico?


  • +A
  • -A

As parasitoses intestinais estão entre os problemas de saúde que mais afetam as crianças. Amebíase, lombriga e teníase são apenas alguns exemplos. No Brasil e em outros países em desenvolvimento, a situação é agravada pela falta de saneamento básico, especialmente em regiões mais pobres, deixando a população mais suscetível à contaminação.

 

Água não tratada e solo contaminado pelo esgoto podem conter parasitas

 

“As parasitoses intestinais são mais frequentes em locais sem saneamento básico porque as mais comuns são transmitidas pelo consumo de água sem tratamento ou alimentos contaminados e consumidos crus, como frutas e verduras”, afirma o infectologista Fernando Luiz de Andrade Maia. Nesses lugares, é comum as crianças brincarem descalças e, por vezes, engolirem, mesmo sem querer, água de córregos, poças e lagos poluídos.

Além disso, segundo o médico, não é preciso nem mesmo beber a água suja. “Algumas parasitoses intestinais também podem ser adquiridas pelo contato direto da pele com o solo contaminado, como a necatoríase, o amarelão, ou ainda, em contato com água limpa e parada de lagos e rios, como a esquistossomose”, alerta o especialista.

 

Hábitos de higiene ajudam a evitar parasitoses intestinais

 

Para evitar esses problemas, os pais e responsáveis devem estar atentos aos hábitos das crianças. Em primeiro lugar, é preciso evitar que elas andem descalças e tomem banho em rios e lagoas em que são encontrados caramujos que transmitem a esquistossomose, além de se certificar que elas estão consumindo apenas água tratada e alimentos bem lavados.

Maia recomenda ainda estimular as crianças a lavarem bem as mãos antes de comer e depois de ir ao banheiro e manter suas unhas bem aparadas e limpas. Em caso de contato com água suja, por exemplo, é fundamental lavar a pele com água e sabão e procurar um médico para uma avaliação completa, especialmente se a água tiver sido bebida, e começar o tratamento.

 

Dr. Fernando Luiz de Andrade Maia é infectologista, formado em Medicina pela Universidade Estadual do Pará (UEPA), onde também fez residência médica em Infectologia. Atua em Maceió (AL). CRM-AL: 3767

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
TAGS
parasitoses

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Por que as parasitoses intestinais são mais frequentes em locais sem saneamento básico?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.