Interromper o tratamento da infecção causada pela H. pylori oferece riscos? Quais?

  • +A
  • -A

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 50% da população dos países industrializados está infectada pela bactéria H. pylori, mas os números são ainda maiores em países em desenvolvimento, atingindo 90% da população. A doença afeta o estômago e o intestino, podendo causar sintomas como dores abdominais, náuseas, vômitos, perda de apetite e até complicações mais graves como úlceras gástricas e duodenais e câncer de estômago. Será que interromper o tratamento da infecção oferece riscos? Entenda!

Interromper o tratamento pode comprometer as chances de cura

“Abandonar o tratamento no meio, além de aumentar o risco de que a bactéria continue, pode piorar a resistência bacteriana aos antibióticos, fazendo com que tratamentos posteriores tenham que utilizar antibióticos mais potentes, com mais efeitos colaterais e cada vez menor chance de cura”, explica o gastroenterologista Stéfano Gonçalves.

Além disso, o médico esclarece que a persistência da bactéria no estômago é o principal fator de risco para o desenvolvimento de câncer de estômago. De acordo com pesquisas científicas recentes, a inflamação desencadeada pela bactéria leva a alterações progressivas na mucosa do estômago que podem culminar no aparecimento do câncer. Esses estudos demonstraram que a erradicação da H. pylori reduz as chances de câncer gástrico para menos da metade mesmo nos portadores da bactéria que têm casos desse tipo de câncer na família.

Como é feito o tratamento para H. pylori?

O tratamento é feito com medicamentos antibióticos e dura, em média, 14 dias. Algumas medidas de higiene também devem ser associadas, uma vez que a infecção ocorre por meio do contato com água, solo e alimentos contaminados. É recomendado lavar bem as mãos e alimentos, como verduras, frutas e legumes, não compartilhar itens pessoais e evitar o contato com áreas que podem estar contaminadas.

É indicado também que, durante o tratamento para H. pylori, o paciente adote alguns cuidados com a alimentação. Medidas simples podem amenizar os sintomas causados pela infecção, como evitar café, refrigerante, molhos, condimentos e alimentos industrializados, manter o corpo bem hidratado e ter uma dieta leve e equilibrada, priorizando frutas, legumes e verduras.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS): https://www.who.int/bulletin/archives/79(5)455.pdf

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dr. Stéfano Gonçalves Jorge

Dr. Stéfano Gonçalves Jorge

Gastroenterologia

CRM: 88173 / SP

TAGS
ulcera

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

3 comentários para "Interromper o tratamento da infecção causada pela H. pylori oferece riscos? Quais?"

Geisiane

Eu estou tratando da bactreria no estomago gostaria de saber depois que a gente terminar de tomar o remedio quantos dias a gente pode fazer outra enbiscospia.

CUIDADOS PELA VIDA

Olá, Geisiane. A depender da resposta do tratamento e grau de lesões, alguns especialistas comentam que em alguns casos não há a necessidade de repetição periódica deste exame. Para verificar a melhor orientação em seu caso, deve conversar com seu médico de confiança. Torcemos pelo sucesso em seu tratamento. Abraços.

Josélia ramos

Terminei essa semana os 14 dias de tratamento, as dores no meu estômago aumentaram, estou sentindo até diarreia, não sei mais o que fazer.Para marcar para minha gastro só depois de vários dias.Não sei mais o que fazer.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.