Doação de leite: saiba como ajudar mães que não conseguem amamentar seus filhos

  • +A
  • -A

A doação de leite é um ato que pode salvar muitas vidas, já que o leite materno deve ser o único alimento de um bebê nos primeiros seis meses de vida. Além disso, por causa dos benefícios proporcionados ao crescimento da criança, como a redução da mortalidade e do risco de desenvolver diabetes, hipertensão e alergias, o Ministério da Saúde recomenda que o aleitamento materno seja feito até os dois anos de vida. 

No entanto, alguns bebês não podem ser amamentados pela própria mãe. “Os recém- nascidos prematuros e internados em unidades de terapia intensiva neonatal que não podem ser amamentados pela própria mãe se beneficiam muito dessas doações. Devido à condição clínica, o bebê não pode sugar no seio materno e isso interfere diretamente na produção de leite das mães”, afirma a pediatra Lays Abreu. 

Brasil tem a maior rede de bancos de leite do mundo

Os bancos de leite são responsáveis por fazer a coleta, o armazenamento, a distribuição e o controle de qualidade do leite materno recolhido. Eles também oferecem apoio às mulheres que estão amamentando, por meio de ajuda especializada, e são fundamentais na promoção do aleitamento materno

Para que o processo da doação de leite seja feito de forma mais segura e organizada, o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) criaram em 1998 a Rede de Bancos de Leite Humano (rBLH), considerada a maior do mundo pela Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com o ministério, todos os estados brasileiros e o Distrito Federal têm pelo menos um banco de leite.  

Quais são os critérios para ser doadora de leite?

Embora a seleção das doadoras seja feita de forma minuciosa, de acordo com a ginecologista e obstetra Rachel Sá, poucos fatores impedem uma mamãe de se tornar uma doadora de leite: “Todas as mulheres que possuem leite materno em excesso e que não estejam em uso de medicamentos que interfiram na doação podem doar procurando um banco de leite que existe nas maternidades”. 

Outro critério que pode impedir uma mãe de fazer a doação de leite é o uso de álcool, o consumo de qualquer droga ilícita e o hábito de fumar mais de dez cigarros diariamente, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Todos esses fatores deverão ser analisados no momento da triagem realizado pelos profissionais do banco de leite. 

Além de salvar a vida de bebês que não podem ser amamentados por suas mães, a doação de leite também pode ajudar a própria doadora com que possui grandes quantidades de leite, já que a produção excessiva pode causar dor e desconforto e o leite pode empedrar. Esta condição é conhecida como ingurgitamento mamário.

Como é feito o processo de doação de leite?

Ao procurar um banco de leite para fazer a doação, a puérpera encontrará uma equipe especializada e pronta para ajudar com a ordenha, que pode ser feita de forma manual ou com o auxílio de bombas. Porém, se a mamãe preferir, a retirada do leite pode ser feita em casa. 

Para isso, é preciso adotar alguns cuidados na hora da ordenha e do armazenamento. A mamãe precisa, por exemplo, lavar as mãos e os braços com água e sabão, lavar as mamas com água e secá-las com uma toalha limpa, cobrir os cabelos com uma touca e o nariz e a boca com uma máscara ou um pano.  

A retirada deve ser feita num ambiente limpo e confortável para a mãe. Dra. Lays explica o passo a passo da ordenha: 

– Primeiro, massageie as mamas com as pontas dos dedos em movimentos circulares no sentido do centro da mama (aréola, parte mais escura da mama) para a periferia;
– coloque o dedo indicador e o dedo médio abaixo da aréola e o polegar acima;
– firme os dedos e empurre em direção ao corpo, fazendo a ordenha;
– despreze as primeiras gotas;
– vá mudando a posição dos dedos para conseguir ordenhar toda a mama;
– coloque o leite ordenhado no frasco de vidro limpo.

O frasco deve ser de vidro com a tampa de plástico. Ele deve ser lavado adequadamente e fervido durante 15 minutos junto com a tampa. É importante anotar a data e a hora da coleta e guardar o frasco no freezer ou no congelador, onde poderá permanecer somente por 10 dias. 

Em caso de dúvidas, a mamãe também pode telefonar para o número 136 e tirar dúvidas sobre os bancos de leite e processo de doação. Vale lembrar que a doação é feita de forma gratuita e não há nenhuma espécie de compensação pelo ato. 

 

Dados do Ministério da Saúde: https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/43891-ministerio-da-saude-lanca-nova-campanha-de-amamentacao

http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/doacao-de-leite-2019

Dados da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP): https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/nutricao/doacao-de-leite/

Foto: Getty Images

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
Dra. Rachel Sá

Dra. Rachel Sá

Ginecologia e Obstetrícia

CRM: 52101992-9 / RJ

Dra. Lays Abreu

Dra. Lays Abreu

Pediatria

CRM: 186636 / SP

TAGS
amamentacao
gravidez

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Doação de leite: saiba como ajudar mães que não conseguem amamentar seus filhos"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.