É possível recuperar áreas do cérebro afetadas pelo mal de Alzheimer?


  • +A
  • -A
Imagem do post É possível recuperar áreas do cérebro afetadas pelo mal de Alzheimer?

O mal de Alzheimer é uma doença degenerativa que costuma afetar algumas áreas específicas do cérebro. “A demência de Alzheimer tende a afetar as regiões do lobo frontal e lobo temporal, mais especificamente, o hipocampo, que é uma região no córtex responsável pela formação de novas lembranças”, afirma o geriatra Danilo Yábar Bambarén.

Tratamento do Alzheimer não permite recuperar memórias


Entretanto, mesmo com opções de tratamentos para o problema cada vez mais modernas, ainda não é possível recuperar as áreas do cérebro afetadas, segundo o especialista: “No momento, a demência de Alzheimer é uma doença sem cura. O tratamento se baseia em retardar a evolução da doença”, afirma Bambarén.

Além de acontecimentos da vida, a perda de memória causada pelo mal de Alzheimer gera impactos que podem ser ainda mais complexos. “As funções envolvidas na memória, planejamento de ações, linguagem, capacidade de localização no espaço, humor e a capacidade de executar uma ação motora são algumas das funções prejudicadas”, diz o médico.

Avanços da ciência podem mudar o rumo do tratamento do Alzheimer


Ainda que seja muito cedo para falar em cura, algumas pesquisas recentes estão ajudando os cientistas a compreenderem melhor os mecanismos do mal de Alzheimer no cérebro. O pesquisador japonês Yoshinori Ohsumi foi honrado com um prêmio Nobel em 2016 por sua pesquisa sobre a autofagia, um processo natural de “reciclagem” das células. A pesquisa de Ohsumi indica que doenças neurodegenerativas, como Parkinson e Alzheimer, podem estar intimamente ligadas ao declínio ou interrupção do processo autofágico, resultando em células que não conseguem se livrar de proteínas danosas, que se acumulam e prejudicam as funções orgânicas. De acordo com Jay Debnath, professor da Universidade da Califórnia, em entrevista ao Huffington Post, a melhora da função autofágica poderia abrir uma nova avenida para o tratamento de doenças degenerativas.

Por enquanto, o combate o Alzheimer é feito com medicações voltadas para desacelerar o processo de degeneração das funções cognitivas. Além disso, outro aspecto do tratamento é associado a melhorar a qualidade de vida dos pacientes em uma abordagem multidisciplinar, usando inclusive hobbies e atividades do dia a dia para deixar a memória mais afiada, ajudando a frear a progressão da doença.

Dr. Danilo Yábar Bambarén é geriatra pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), coordenador do Serviço de Cuidados Paliativos do Hospital de Câncer de Mato Grosso e atende em Cuiabá (MT). CRM-MT: 5993

Foto: Shutterstock

TAGS
alzheimer

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

3 comentários para "É possível recuperar áreas do cérebro afetadas pelo mal de Alzheimer?"

Fátima Mamede

É uma doença misteriosa, ainda sem cura. Daqui que descubra sua cura já não estarei mais aqui

Cassio Stersi dos Santos

Realmente hoje para os doentes com Alzhaimer,alem dos medicamnetos dados em horarios determinados só nos restam dar aos mesmos todo o amor ,carinho e atenção e tentar com que eles façam exercícios físicos como caminhada e Pilates..

Cuidados Pela Vida

Olá Fátima, ainda não existe cura para o Alzheimer, mas nós nunca podemos perder a esperança. Abraços

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.