Quais atividades do cotidiano oferecem maior risco para pacientes com Alzheimer?


  • +A
  • -A

O mal de Alzheimer é uma doença degenerativa que afeta os idosos e que é conhecida principalmente pela redução progressiva da memória, além das capacidades de atenção e orientação. Com a piora do Alzheimer, os pacientes acabam perdendo sua autonomia e muitas atividades antes consideradas simples passam a oferecer risco aos idosos.

Idosos com Alzheimer não devem cozinhar sozinhos


“A progressão do Alzheimer implica em um maior
comprometimento cognitivo e funcional. Portanto, muitas atividades do cotidiano passarão a requerer supervisão ou auxílio, não necessariamente devendo ser excluídas da rotina”, afirma o geriatra Ricardo Komatsu, que cita atividades domésticas, como guardar as próprias roupas, desde que a condição do paciente permita.

O ideal é que a rotina do idoso portador de Alzheimer permaneça semelhante aos dias antes do diagnóstico. Mas, é claro, com as alterações necessárias que a doença requer. Por causa da perda da memória recente, o paciente não deve ser deixado sozinho enquanto utiliza o fogão, sob o risco de deixar a panela no fogo, nem manipulando facas e outros objetos cortantes devido às suas limitações físicas.

Atividades que oferecem risco ao idoso devem ser feitas sob supervisão

Para os cuidadores não ficarem perdidos, Komatsu explica que as atividades do dia a dia que devem ser mantidas são aquelas que o idoso gosta de fazer e é capaz de realizar sozinho sem colocar sua saúde em risco. Outras atividades devem ser feitas com supervisão do cuidador, de um familiar ou de um profissional da área da saúde.

Para dar mais qualidade de vida ao paciente com Alzheimer, é importante também iniciar novos passatempos. “Devem ser criadas atividades que fortaleçam os seis pilares da saúde cerebral: atividade física, como caminhada, hidroterapia e pilates, alimentação saudável, sono repousante, controle dos riscos à saúde por meio de acompanhamento médico regular, interação social com familiares, amigos e grupos da melhor idade, e estimulação cognitiva com palavras cruzadas, jogos de tabuleiro e livros de pintura”, cita o especialista.

Dr. Ricardo Komatsu é geriatra, médico clínico e chefe da Disciplina de Geriatria e Gerontologia da Faculdade de Medicina de Marília (SP). CRM-SP: 56604

Foto: Shutterstock

COLABORARAM NESTE CONTEÚDO: 
TAGS
alzheimer

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Quais atividades do cotidiano oferecem maior risco para pacientes com Alzheimer?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.