Saiba diferenciar a gastrite do incômodo causado pelo estresse da doença crônica


  • +A
  • -A
Imagem do post Saiba diferenciar a gastrite do incômodo causado pelo estresse da doença crônica

Quem já teve um quadro de gastrite sabe o quanto é desconfortável. Sintomas como sensação de queimação, dor ou indigestão, náuseas e vômitos são os mais comuns. Para chegar ao tratamento mais eficaz, faz-se necessário alguns exames, como a endoscopia e pesquisa da presença da bactéria Helicobacter pylori. Essas medidas são importantes, pois, mesmo havendo a confirmação de uma gastrite, é preciso saber se ela é crônica ou nervosa, ou seja, relacionada ao estado emocional do paciente. Convidamos o Dr. Roberto Debski para falar sobre o assunto.

Gastrite crônica x gastrite nervosa

Basicamente, o que difere ambas é a causa e o aparecimento dos sintomas. “A gastrite crônica se desenvolve mais lentamente, podendo ou não ter sintomas tão exuberantes, sendo também bastante incômoda e comprometendo a alimentação e a qualidade de vida”, diz o médico. A doença crônica pode ocorrer na presença da bactéria Helicobacter pylori, muitas vezes pouco sintomática ou mesmo assintomática. “Quando há úlcera gástrica, sua presença pode contribuir para aumentar a probabilidade do aparecimento de um câncer gástrico”.

Já a chamada gastrite nervosa é desencadeada ou agravada por sintomas emocionais. “Também chamada de dispepsia funcional, ela ocorre quando há sintomas digestivos, dor na boca do estômago, enjoo, gazes e distensão abdominal, mas não há lesões ou ulcerações na mucosa gástrica”, explica o Dr. Roberto.  A mucosa do sistema digestório pode reagir de acordo com os estados emocionais, pois ocorre alteração na secreção ácida e diminuição na resistência da mucosa. “Quando estamos tranquilos e calmos, a digestão é melhor, e quando estamos ansiosos e nervosos temos muitas vezes queimação, azia, e, junto aos outros fatores causais, pode facilitar o aparecimento da gastrite e outras doenças como colite agudas”.

O tratamento da gastrite

Medidas dietéticas como não fumar, diminuir o café, chá preto e mate, evitar bebidas alcoólicas, ácidas e gasosas como os refrigerantes, evitar comidas gordurosas, excessivamente temperadas, e chocolate são medidas de suma importância no tratamento de gastrite. “Além disso, é necessário manter um estilo de vida saudável, com a prática de atividade física regular, ter um sono reparador e tomar os medicamentos prescritos por seu médico. Quando houver úlcera gástrica e a presença da bactéria H. Pylori, deve-se usar antibióticos. Além destes, há os medicamentos naturais como os fitoterápicos que podem ser utilizados de forma complementar”, finaliza o profissional.

Dr. Roberto Debski é psicólogo, médico especialista em homeopatia e acupuntura e diretor da Clínica Ser Integral, em Santos (SP). CRP/06 84803 – CRM-SP: 58.806

TAGS

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

3 comentários para "Saiba diferenciar a gastrite do incômodo causado pelo estresse da doença crônica"

Edina Paes Miranda

Gostei da matéria, mas como conseguir tratamento fitote rápido para tratar a gástrite crônica?

Cuidados Pela Vida

Olá Edina,
É de extrema importância identificar os sintomas de problemas de saúde e buscar uma intervenção adequada. Por isso, a orientamos consultar um gastroenterologista para que possa obter maiores orientações a respeito dos seus sintomas e qual será o tratamento adequado.

Raphael Alves do Amaral

Boa tarde pessoal, primeiramente parabéns pelo post. Muito esclarecedor!Agora uma dúvida: Todos os tipos de frutas cítricas não são indicadas para pessoas com caso de gastrite nervosa? …Existe alguma lista de frutas indicadas e outra com frutas não indicadas para quem tem gastrite? Sem sim, tem como disponibilizar para nós?Desde já agradeço,Raphael Alves do Amaral

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.