Memória metabólica: entenda o processo que tem grande influência no ganho e perda de peso


  • +A
  • -A
Imagem do post Memória metabólica: entenda o processo que tem grande influência no ganho e perda de peso

Poucas pessoas sabem o significado da expressão memória metabólica, mas muitas conhecem um amigo que come bastante e não engorda ou têm um familiar que emagreceu, mas logo voltou a ganhar peso. Casos assim têm uma explicação lógica: vários mecanismos no corpo, assim como certos hábitos, fazem com que ele se acostume com determinada forma física.

O que é a memória metabólica?

A memória metabólica condiciona o corpo a permanecer do jeito que está, mesmo que o organismo passe por mudanças. Se alguém foi obeso por mais de 10 anos e iniciou uma dieta, o corpo continuará a se comportar como se fosse obeso por um bom tempo. O mesmo acontece com uma pessoa magra que passou a comer mais, mas não consegue engordar ou engorda e perde peso com facilidade.

No caso de pessoas obesas, a memória metabólica atua em conjunto com o hormônio leptina, responsável por regular a sensação de saciedade e fabricada em grandes quantidades por organismos obesos, como explica a nutricionista Patricia Rodrigues: “Quando produzida em excesso, o nosso corpo cria uma resistência e não deixa a leptina atuar corretamente, fazendo com que o indivíduo perca o controle sob a fome.” Será necessário, portanto, um grande esforço para que haja perda de peso.

Como mudar a forma física?

Parte desse esforço deve estar voltado para a busca do equilíbrio entre uma alimentação adequada e a prática de atividade física. “Os exercícios são responsáveis pela liberação de substâncias que aumentam o prazer, regulam a fome, diminuem hormônios que geram estresse e ansiedade, além de aumentar o gasto energético”, conta Patricia. Ela afirma que os primeiros dias são de difícil adaptação, mas que o corpo deverá se acostumar ao fim do primeiro mês de mudanças.

Quem passou por uma transformação corporal precisa ter cuidados especiais para não retomar o processo de obesidade ou perder os quilos que ganhou recentemente. É importante procurar um profissional para avaliações do metabolismo, buscar uma vida com baixos níveis de estresse e ansiedade, beber bastante água e manter uma alimentação diversificada.

Dra. Patricia Rodrigues é nutricionista, graduada em Gastronomia e Culinária e Nutrição, pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional e atua no Rio de Janeiro. CRN-RJ: 11101136

TAGS
emagrecer

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Memória metabólica: entenda o processo que tem grande influência no ganho e perda de peso"

Marlene silva

Nossa preciso muito emagrecer mais esta muito dificil.

Patricia Batista

Perdi 28Kg nos últimos 3 anos e tenho muita facilidade em ganhar peso. Realmente minha memória metabólica ainda não acostumou com meu peso atual. É uma luta constante. Minha história e rotina de alimentação esta no Instagram @pathy_batista

Marcos Paulo

a depressao faz tbm engordar, ganhei muito peso em poucos meses depois de uma perda de um anti querido, tem dias q nem comia e dias q comia demais, e ganhei muito peso nunca tinha chegado a esse peso setembro 121kg hj estou com 132kg muito rapido. obrigado pela dica de hj

Cecilia dos Santos Alves

Não sei mais o que fazer para emagrecer.Gostaria de receber sujestões para o meu problema.faço acompanhamento com Endocrinologista ,ja fiz uso de medicamentos,com receita medica,mas mesmo assim ,perde gramas e não kilos.Hoje estou usando café Marita vocês conhecem? obrigado!!!

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.