search
    Título

    Como funcionam as injeções de insulina?

    Uncategorized

    Por

    A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas e é muito importante para a saúde do corpo. É ela a substância responsável por permitir que o açúcar obtido por meio da alimentação chegue nas células, para que ele possa ser utilizado como fonte de energia.

    A insulina, em diabéticos, pode ser produzida em quantidades inferiores às necessárias, como no tipo 1 da doença, ou enfrentar resistência no organismo, como nos portadores de diabetes tipo 2. Isso deixa os níveis de açúcar no sangue elevados, gerando uma série de riscos ao organismo.

    Para controlar esta situação, os rins entram em campo para eliminar o excesso de açúcar. O paciente vai ao banheiro diversas vezes, o que pode gerar cansaço, fome e sede. A fim de contornar estes e outros problemas causados pelo diabetes, alguns pacientes precisam de doses extras do hormônio adquiridas por meio de injeções.

    Não é para todo mundo

    Nem todos os diabéticos devem aplicar injeções de insulina. O endocrinologista Simão Lottenberg afirma que “somente os diabéticos tipo 1 ou os diabéticos tipo 2, cujas metas de tratamento não são atingidas com alimentação correta, atividade física e outras medicações” podem utilizá-las.

    É preciso tomar alguns cuidados na hora da aplicação da injeção de insulina, em relação ao local do corpo e tipo de agulha. “As injeções de insulina podem trazer prejuízo ao organismo caso sejam aplicadas numa situação errada. O evento mais grave que pode ocorrer é a hipoglicemia, a queda do nível de glicose, que pode ter graves consequências”, afirma Lottenberg.

    Cuidados na aplicação

    O hormônio deve ser injetado logo abaixo da pele, no tecido subcutâneo. Por isso, as agulhas não são grandes e tampouco muito desconfortáveis: o tamanho varia de quatro a oito milímetros. Quem precisa de insulina várias vezes ao dia deve ficar atento aos locais de aplicação. É importante não colocar a agulha sempre no mesmo lugar do corpo para evitar o surgimento de edemas e depósitos de gordura, que podem fazer com que a insulina seja absorvida mais rapidamente.

    Newsletter
    Compartilhamento

    Posts relacionados

    Converse com um dos nossos atendentes