Com parentes hipertensos, Alceu descobre pressão alta em consulta médica


  • +A
  • -A

O sedentarismo e a falta de uma alimentação balanceada no dia a dia são dois elementos importantes para o surgimento da pressão alta, mas a genética familiar também é um fator de risco. “Os fatores genéticos são, isoladamente, um risco alto de incidência. Aqueles que têm uma genética desfavorável devem se cuidar desde cedo”, alerta o cardiologista Benjamin Farbiarz Segal.

Medicação ajuda a controlar valores da pressão arterial


Foi o que fez Alceu L. G., que trabalha como instrutor de processos de fabricação em uma oficina no Rio Grande do Sul. Com dois casos de hipertensão em familiares próximos, ele começou a se prevenir contra a doença ao chegar próximo aos 30 anos de idade: “Passei a ir ao médico sempre para fazer exames de prevenção e checar se estava tudo certo com a minha saúde”.

Mas, ao comemorar 40 anos de vida, o morador da cidade de Novo Hamburgo descobriu que, mesmo sem apresentar sintomas, não havia escapado da doença e também era hipertenso. A partir daí, sua rotina com a doença seguiu o rumo de muitos outros pacientes. Alceu iniciou o tratamento com as medicações, que ajudam-no a manter sua pressão arterial controlada e em níveis seguros.

Consultas frequentes com médico diminuem risco de AVCs e infartos


Além do tratamento medicamentoso, medidas que visam bem-estar físico e mental também são essenciais para os casos de hipertensão. Hoje, aos 47 anos, o gaúcho sabe dessa recomendação e faz exatamente como seu cardiologista pede: “Eu cuido da minha alimentação, faço caminhada de três a quatro vezes por semana e
faço exames com o médico todos os anos“.

Na oficina em que trabalha, os cuidados continuam para evitar o estresse da rotina. O estresse e a ansiedade estimulam o cérebro que, como consequência, pode contrair os vasos sanguíneos e elevar a pressão arterial, atrapalhando o tratamento da doença. Com resultados positivos, Alceu continua sem ter sintomas nem complicações causadas pela pressão alta desde o diagnóstico.

Dr. Benjamin Farbiarz Segal é cardiologista formado pelo Instituto Israelita Albert Einstein e atua no Rio de Janeiro. CRM-RJ: 52.80252-2 http://benjaminsegal.com.br/

Foto: Shutterstock

TAGS
pressao-alta

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

1 comentário para "Com parentes hipertensos, Alceu descobre pressão alta em consulta médica"

Rosilene slompo

Eu tenho 34 e sempre tive uma for de cabeça tipo uma pressão e nunca medi minha pressão até um dia q medi pq tava muito mal e medi tava 14/9 até então não sabia q isso minha pressão subia daí gostaria de saber se eh q tenho 34 anos 14/9 e alta pra minha idade

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.