Pacientes com esquizofrenia devem ficar sob vigilância constante?


  • +A
  • -A

Quem tem um amigo ou familiar esquizofrênico sabe que a doença não é um simples problema mental. A esquizofrenia é um distúrbio psiquiátrico bastante complexo que atinge cerca de 1% da população mundial, segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Suas principais características são as alucinações e os delírios.

Esquizofrênicos podem colocar a própria vida em risco

 

De acordo com o psiquiatra Marcelo Calcagno Reinhardt, uma pessoa esquizofrênica deve ser monitorada para sua segurança e saúde: “Se o paciente estiver sob risco, tendo alucinações visuais e auditivas, ideias suicidas e desconfiança, é preciso mantê-lo sob vigilância, pois ele pode colocar sua vida e a de outras pessoas em risco.” Caso os sintomas estejam controlados, alguns casos podem dispensar a vigilância constante.

O tratamento da esquizofrenia é realizado com o uso de medicamentos antipsicóticos, que ajudam a organizar a neurotransmissão cerebral, adequando os níveis de dopamina e serotonina. Psicoterapias e reabilitação funcional, neurocognitiva, da aprendizagem e da linguagem também são fundamentais para garantir que o paciente possa viver melhor.

Familiares devem cuidar dos remédios de um esquizofrênico

 

O consumo dos medicamentos também deve ser monitorado por pessoas que convivem diariamente com o esquizofrênico. “O paciente só poderá cuidar de sua medicação se estiver muito bem em relação aos sintomas”, explica o médico, que complementa que muitos interrompem o uso por acreditarem que estão saudáveis, mas acabam piorando a doença.

É comum pacientes acreditarem que estão sendo perseguidos e que alguém quer prejudicá-los por meio do tratamento, interrompendo o uso da medicação. Caso se recuse a seguir as recomendações médicas, a internação pode ser necessária. Entretanto, o avanço na qualidade do tratamento, especialmente, quando a esquizofrenia é detectada precocemente, proporciona uma melhoria significativa na qualidade de vida.

Dr. Marcelo Calcagno Reinhardt é formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e atua em Florianópolis. CRM-SC: 10573

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

Nenhum comentário para "Pacientes com esquizofrenia devem ficar sob vigilância constante?"
Seja o primeiro a comentar

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.