Um paciente com esquizofrenia pode morar sozinho e longe da família?


  • +A
  • -A

A esquizofrenia está associada à disfunção social e profissional e por isso a possibilidade de um paciente viver sozinho, de forma independente, se torna remota. De acordo com a psiquiatra Ana Cláudia Ducati, estima-se que apenas 20 a 30% dos pacientes sejam capazes de levar vidas relativamente normais, com um número muito reduzido chegando à remissão completa.

“Se for avaliado que o paciente tem capacidade de gerenciar a própria vida, nada o impediria de morar sozinho. Contudo, para evitar riscos, seria necessário haver uma rede de apoio que conseguisse identificar uma piora do funcionamento ou retorno dos sintomas psicóticos do paciente”, esclarece a médica.

Riscos e perigos da esquizofrenia


A esquizofrenia apresenta alguns comprometimentos, tais como a deterioração cognitiva, prejudicando as atividades do dia a dia, e o empobrecimento afetivo, que leva ao isolamento social, e isso será sempre um risco para o paciente. Se por acaso ele estiver se aventurando em uma vida independente e esses sintomas se manifestarem, estará correndo real perigo.

No geral, a progressão educacional e manutenção do emprego ficam prejudicadas nos indivíduos com esquizofrenia, sendo que a maioria deles acaba apresentando contatos sociais limitados fora da família. Em casos mais graves, até mesmo atividades cotidianas e cuidados pessoais ficam prejudicados. “Como a maioria dos indivíduos com esquizofrenia necessita de apoio em tempo integral, é difícil imaginar a possibilidade de morarem sozinhos e longe da família”.

Comprometimento com o tratamento pode ajudar quem tem esquizofrenia


Por mais que a independência seja algo raro e difícil para quem tem esquizofrenia, a adesão a variados métodos de tratamento pode contribuir para que isso ocorra. “Para aqueles pacientes que apresentam maior comprometimento, a inserção em terapias adicionais, como terapia ocupacional e psicoterapia, pode aumentar o seu nível de autonomia”.

Dra. Ana Claudia Ducati Dabronzo é psiquiatra geral e da infância e adolescência, formada pela Universidade de São Paulo (USP). CRM: 150.562

Foto: Shutterstock

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

3 comentários para "Um paciente com esquizofrenia pode morar sozinho e longe da família?"

Gabriela

O pai do meu noivo é esquizofrênico, e o meu noivo apresentou alguns sintomas como alteração de humor, irritabilidade e me disse no meio de uma discussão que iria suicidar… Devo me preocupar? Seria estes os primeiros sintomas da doença?

Cuidados Pela Vida

Olá Gabriela, a esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico crônico caracterizado por uma desconexão do paciente com a realidade. Os sintomas são divididos em dois grupos: os chamados sintomas positivos envolvem os delírios, as alucinações e a agitação psicomotora. Já os negativos são isolamento social, dificuldades de falar, de organizar o pensamento e de expressar emoções e sentimentos. O ideal é que o paciente procure um especialista para que ele possa realizar o diagnóstico correto e prescreva o tratamento adequado. Abraços.

Leandro

Sou portador de esquizofrenia e moro com minha mãe que é a única pessoa que posso contar. Não falo com meu pai, irmãs, tios e primos e não tenho amigos, todos me abandonaram é minha mãe já é idosa. Se um dia ela partir não vou ter outra alternativa a não ser morar sozinho. Será que existe algum lugar onde as pessoas não nos tratam como indigente?

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.