Esquizofrenia: Quando um paciente deve ser internado?


  • +A
  • -A

As estimativas mais recentes apontam que mais de dois milhões de brasileiros têm esquizofrenia. A doença crônica é conhecida pelas mudanças no pensamento de um indivíduo, que se torna incapaz de distinguir a realidade da imaginação. Os pacientes costumam sofrer com alucinações e delírios e muitos deles se isolam. Alguns casos são tão graves que é necessário recorrer à internação.

 

Internação é alternativa quando tratamento da esquizofrenia não é suficiente

 


“Pacientes com esquizofrenia que estão em um surto psicótico e não respondem bem ao tratamento farmacológico ambulatorial podem precisar de uma internação para o controle do quadro”, afirma a psiquiatra Luciana Staut. Segundo a médica, a internação é necessária quando é importante manter o paciente sob vigilância contínua.

“A internação deve ocorrer quando o paciente apresenta um quadro grave, em que não faz uso adequado dos medicamentos ou que não apresenta remissão dos sintomas, mesmo em uso de medicação”, explica a profissional. O principal fator de decisão para a internação é o risco em que o paciente se encontra devido aos sintomas da esquizofrenia.

 

Paciente esquizofrênico participa de terapias ao ser internado

 


Por causa dos sintomas psicóticos, o indivíduo pode não ter noção do perigo ou se envolver em situações de conflito, sem que outras pessoas saibam da doença e consigam ajudá-lo. Luciana ressalta que o paciente não é necessariamente agressivo e nem todos oferecem risco para terceiros. Em um surto, é possível que haja agressividade em alguns casos, quando o paciente acredita estar sendo ameaçado ou vigiado.

Durante uma internação, o paciente esquizofrênico recebe o acompanhamento de profissionais médicos, psicólogos, enfermeiros e também participa de atividades terapêuticas. Entre elas estão atividades ocupacionais e artísticas, de modo intensivo, para acelerar o processo de recuperação. Para o controle da esquizofrenia, também são utilizados medicamentos antipsicóticos.

 

Dra. Luciana Cristina Gulelmo Staut é psiquiatra, formada pela Universidade Federal de Mato Grosso, membro da Sociedade Brasileira de Psiquiatria e atende em Cuiabá (MT). CRM-MT: 6734

Foto: Shutterstock

TAGS
esquizofrenia
psicologico

FIQUE POR DENTRO DE DICAS
DE SAÚDE
E BEM-ESTAR

4 comentários para "Esquizofrenia: Quando um paciente deve ser internado?"

Maria do Socorro Martins Lima

Me ajudou muito 👍a lidar com o meu esposo!

Cuidados Pela Vida

Olá Gentil, ficamos felizes por você ter apreciado a matéria. Nossa intenção é que todos possam ter acesso a informação e possam assim cuidar da saúde. Abraços.

Elizabete

Meu filho tem esquizofrenia e eu gosto sempre de pesquisar sobre essa doença, pois me ajuda muito, obrigado!

Ivanildes

Meu filho foi enterrado numa psiquiatria pela primeira vez devido engerir 30 comprimidos na época ele tinha 15 anos, agora está com 22 anos no final de 2015 ele começou a ter algumas alterações e mim agredir verbalmente e fisicamente,eu sou o foco dele ele já tentou até mesmo mim sufocá com as próprias mãos…..ele já passou por 3 caps mais logo desiste do tratamento,alegando que não tem nenhum problema de saúde. O diagnóstico dele ainda está em aberto eu preciso muito de ajudo pra lidar com ele é muito difícil pra mim…ja passei muitas noites em claro devido o problema dele.

Deixe seu comentário

Obrigado por compartilhar sua opinião! Todos os comentários passam por moderação, por isso podem não aparecer imediatamente na matéria.